Skip to main content

TENDÊNCIAS DO SETOR DE LOGÍSTICA PARA 2024

Descubra as tendências de entrega e logística que podem transformar o seu negócio em 2024, incluindo as mais recentes inovações de IA.

in DHL Express, 20-12-2023


Visão Geral do Setor de Logística

À medida que nos aproximamos de 2024, que tendências logísticas ajudarão as empresas a obter uma vantagem competitiva? Continue a ler para saber mais.

“A Era da Logística chegou. Estamos a ver as empresas transformarem a logística, de uma operação silenciosa e de retaguarda, num ativo estratégico e num fator de valor. Ao mesmo tempo, mais visionários da tecnologia do que nunca estão a começar a compreender as vastas oportunidades que estão a amadurecer no setor da logística para desenvolver e aplicar as suas soluções inovadoras em todo o mundo.”

Katja Busch, Chefe de Soluções e Inovação para Clientes da DHL

O Futuro do Setor de Logística: 4 tendências para observar

1. Big data para mitigar riscos da cadeia de abastecimento

As cadeias de abastecimento globais dependem frequentemente de uma rede complexa de diferentes partes móveis que funcionam em conjunto sem problemas. No entanto, as perturbações podem surgir sob a forma de escassez de matérias-primas, insolvências na rede de fornecedores ou envios retidos nas alfândegas. Para não falar de acontecimentos mundiais como conflitos, inflação e pandemias.

Com os profissionais da logística a enfrentarem mais desafios do que nunca para expedir mercadorias, as empresas em fase de arranque que vendem tecnologia para a cadeia de abastecimento capaz de atenuar alguns dos riscos estão a receber grandes investimentos.

Um exemplo é a Everstream1, uma empresa de análise de risco da cadeia de abastecimento, que recorre à análise preditiva e a “botas no terreno” em todos os portos do mundo para detetar perturbações antes de estas se tornarem problemas para os clientes.

“A Everstream está equipada com uma visão alargada do risco, desde o nível dos componentes aos materiais, passando pela prateleira até ao consumidor”, explica a CEO da plataforma, Julie Gerdeman2. “Combinamos previsões de IA e modelagem baseada em inteligência com análise humana especializada e insights do mundo real, no momento, de uma rede global de parceiros, o que nos permite fornecer visibilidade para fornecer uma visão completa de todas as variáveis que afetam a cadeia de abastecimento de uma empresa, desde atrasos nos portos ou agitação trabalhista até interrupções climáticas – com até 15 dias de antecedência.

Esta tecnologia significa, por exemplo, que um cliente na Alemanha pode antecipar uma escassez de materiais na China em tempo recorde e adotar medidas alternativas. Antecipar-se a estas perturbações conduz a um aumento dos serviços, à redução dos custos de transporte e a mais entregas atempadas.

À medida que avançamos para 2024, esperamos que a agilidade da cadeia de abastecimento seja algo em que cada vez mais empresas invistam.

2. Internet das Coisas para maior visibilidade da cadeia de abastecimento

A Internet das Coisas refere-se a uma rede de objetos físicos ligados à Internet e que trocam dados através da mesma. Exemplos quotidianos incluem televisores inteligentes, carros autónomos e rastreadores de fitness.

Nas cadeias de abastecimento, a IoT está a tornar-se rapidamente uma das ferramentas mais importantes, criando um ecossistema que aproveita ativos e objetos tradicionalmente não ligados para uma melhor visibilidade. Estes dispositivos ligados partilham dados para iluminar cada etapa da cadeia de abastecimento, para uma maior resiliência e transparência.

“A IoT está agora no centro do nosso radar de tendências como uma das tendências mais impactantes e importantes para cada organização compreender e aproveitar na sua cadeia de abastecimento.”

Christopher Fuss, Chefe Global da DHL SmartSolutions IoT na DHL

As etiquetas inteligentes são uma tecnologia que permite a IoT e que irá transformar o setor da logística nos próximos anos. São atualizadas com tecnologia de incorporação inteligente que pode captar e comunicar digitalmente mais informações do que as impressas numa etiqueta física.

Podem transferir dados utilizando códigos de resposta rápida (QR) ou tecnologia de identificação por radiofrequência (RFID) e podem ser sensíveis ao movimento, à temperatura, ao toque e ao ambiente, captando dados do ambiente circundante utilizando pixéis da Internet das Coisas. Tudo isto significa visibilidade total sobre a cadeia de abastecimento: identificação mais rápida de estrangulamentos, melhor rastreabilidade e gestão de inventário, e proteção contra a contrafação. Espera-se que as suas aplicações cresçam ainda mais à medida que se investe mais nesta tecnologia nos próximos anos.

3.AI em logística

A IA na logística é uma perspetiva empolgante – o seu potencial para transformar o setor parece não ter limites. As estatísticas falam por si: um estudo da Accenture3 revelou que 36% das grandes, médias e pequenas empresas implementaram com sucesso a IA nos processos da cadeia de abastecimento e logística, enquanto 28% estavam prestes a fazê-lo. Como resultado, estima-se que a IA irá aumentar a produtividade logística em mais de 20% até 20354.

 

“A IA está a ter um efeito transformador [em] toda a cadeia de abastecimento – na previsão, na triagem de encomendas, no serviço ao cliente, na capacidade geral de uma empresa se adaptar aos desafios… Muitos dos nossos clientes de pequenas empresas estão no espaço do comércio eletrónico, que é altamente competitivo. Cada minuto poupado a embalar uma encomenda, ou cada centímetro de espaço poupado no armazém, pode rapidamente traduzir-se em grandes poupanças de custos para eles”.

Oliver Facey, vice-presidente sénior de programas de operações de rede global da DHL Express

O âmbito alargado da IA torna difícil identificar apenas uma ou duas tendências de entrega e logística que irão influenciar em 2024, mas aqui fica um resumo:

Visão por computador: aplica algoritmos de inteligência artificial (IA) para analisar fotografias e vídeos digitais. As aplicações incluem a manutenção de procedimentos de segurança – durante a pandemia, por exemplo, a tecnologia garantiu que os trabalhadores aderissem aos regulamentos de distanciamento social; e gestão de stock – contando artigos e enviando alertas quando é o momento de reabastecer.

Gestão de inventário mais inteligente: não só os algoritmos de IA podem ajudar os retalhistas a prever melhor a procura – evitando assim produtos em excesso ou em falta – como os sistemas ativados por voz lhes permitirão controlar os níveis de stock sem terem de consultar manualmente uma folha de cálculo.

4. Sustentabilidade logística

Nos últimos anos, a sustentabilidade tem sido uma prioridade crescente para quase todos os setores. Um estudo da KPMG5 revelou que mais de dois terços (69%) dos diretores executivos a nível mundial integraram plenamente as considerações ambientais, sociais e de governação (ESG) na sua atividade. Apesar disso, uma percentagem semelhante (68%) admitiu que os seus progressos atuais em matéria de ESG não são suficientemente fortes para resistir ao potencial escrutínio das partes interessadas e dos acionistas.

A sustentabilidade na logística abrange muitas áreas, mas com os holofotes a incidirem tão frequentemente nos transportes, não é de surpreender que esta seja uma prioridade para muitas empresas. Com o comércio eletrónico, os consumidores também estão a tomar nota, com 51% a afirmar que compreender a pegada de carbono das suas entregas será “muito importante” nos próximos 5 anos6.

Tendo isto em conta, algumas soluções sustentáveis de última milha que a sua empresa poderá querer considerar adotar em 2024 são:

Combustíveis alternativos: A DHL Express lançou recentemente o GoGreen Plus, uma solução dedicada para ajudar as empresas a reduzir as emissões de carbono associadas aos seus envios através da utilização de Combustível Sustentável para Aviação. Este biocombustível é produzido a partir de fontes renováveis, como óleos vegetais, gorduras animais, produtos residuais e culturas agrícolas. O SAF foi especificamente concebido para ser utilizado como substituto do combustível de aviação tradicional e pode reduzir as emissões de gases com efeito de estufa até 80% em comparação com os combustíveis fósseis.

Veículos elétricos: o mercado dos veículos elétricos cresceu exponencialmente nos últimos dois anos, com vendas superiores a 10 milhões em 20227. No setor do comércio eletrónico, 15-20% das frotas de carga de última milha foram eletrificadas a nível mundial8. A tecnologia pode ajudar as empresas a reduzir drasticamente as suas emissões de carbono, a poupar nos custos de combustível e a conquistar clientes preocupados com o ambiente.

Últimas tendências em logística: principais conclusões

À medida que as exigências dos clientes e as pressões da cadeia de abastecimento continuam a crescer, pense em quais das mais recentes inovações em tecnologia, dados e IA poderiam transformar o seu negócio. Os conhecimentos de logística que abrangem o aprovisionamento, a gestão de inventário, a entrega na última milha e até a embalagem ajudá-lo-ão a compreender onde investir os seus recursos para se manter competitivo, resiliente e ágil num mercado competitivo. É um momento emocionante para a logística – aproveite a oportunidade para fazer crescer o seu negócio!

Para começar a beneficiar de algumas destas inovações hoje, faça uma parceria com o líder mundial em logística.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.