SOFIA SOARES É A NOVA MATERIAL HANDLING MANAGER DA INEOS AUTOMOTIVE

A INEOS Automotive está a chegar a Portugal, tendo escolhido Estarreja para a criação da sua primeira fábrica em Portugal, um investimento de 250 milhões de euros para ocupar um terreno na ordem dos 350 mil metros quadrados, e isso representou uma nova oportunidade para Sofia Soares, que irá agora abraçar um novo projecto “do zero” com o cargo de Material Handling Manager da empresa do sector automóvel.

in Supply Chain Magazine, 03-03-2020


“Não nego que a expectativa é muito alta. Estamos a falar de uma empresa, da indústria Automóvel, que vai ser construída de raiz em Portugal”, comenta a nova responsável olhando para este novo desafio, “como se isto não fosse por si só simplesmente espectacular, consideramos, ainda, que é uma OEM e uma marca nova!”.

Sofia Soares considera que nesta primeira fase, e “a curto prazo, acho que o maior desafio passa por organizar e suportar todas as actividades necessárias até vermos, finalmente, o primeiro Granadier a rolar na estrada”. Espera-se que as primeiras unidades sejam produzidas no primeiro semestre de 2022, segundo avançava Diamantino Sabina, presidente da Câmara Municipal de Estarreja, ao Jornal Económico em finais de Janeiro.

A responsável está ciente de que “para tal acontecer, toda a equipa terá de ser bastante polivalente e cooperativa o que, certamente, me vai levar para fora da minha zona de conforto e mesmo de experiência/conhecimento”, e tem a consciência de que o desafio será imenso, e “no final, o beneficio, quer para a INEOS e para a equipa, quer para mim enquanto profissional, vai ser tremendo!”

Por sua vez, “a médio/longo prazo espero encontrar todos os desafios e dificuldades que já vivia na KIRCHHOFF Automotive, mas, claro, com o tempero de uma start-up e de uma cultura distinta”.

“Sou uma apaixonada pelo meu trabalho e em tudo o que faço tento sempre dar o meu melhor e fazê-lo de forma eximia. Sou das pessoas que acredita que a sorte dá muito trabalho a conseguir!”, defende.

Sofia Soares explica que a sua motivação parte “do próprio projecto”, e destaca que o facto de a empresa ser construída de raiz, na indústria automóvel, ao lado de casa, e uma OEM são alguns dos maiores motivos para abraçar este desafio. “A par disto, eu também sou uma pessoa bastante ambiciosa e, claro, tenho o meu plano de carreira bem idealizado. Obviamente que atingir um cargo de Manager estava no meu percurso. Ter essa possibilidade, nesta fase da minha carreira, é uma conquista incrível!”, acrescenta.

No seu percurso anterior, esteve noutra empresa do sector, onde conta com uma história de mais de seis anos. “Entrei como estagiária na KIRCHHOFF Automotive e saí como Responsável de Área – Armazéns e Fluxos”, comenta Sofia Soares, um crescimento “fruto do meu trabalho, mas também de uma aposta da Direcção e da Administração da empresa e, claro, de um voto de confiança de todos os meus colegas da equipa operacional”, a quem faz questão de destacar e agradecer “pela jornada incrível que vivemos juntos”.

“Como gosto de dizer: há oportunidades que aparecem uma vez na vida. Eu sou uma felizarda por ter sido convidada a viver esta oportunidade!”, conclui Sofia Soares.

 

 

Nova fábrica traz 250 milhões de euros e cria 500 postos de trabalho em Estarreja

A produção dos veículos representa um investimento que pode ultrapassar os 250 milhões de euros e criar até 500 postos de trabalho, quando estiver a trabalhar na sua máxima capacidade, devendo produzir cerca de 25 mil veículos por ano.

in Câmara Municipal de Estarreja, 23-01-2020


Esta quarta-feira, dia 22 de janeiro, a Câmara Municipal de Estarreja assinou um Protocolo de Colaboração com a britânica INEOS Automotive para a implementação de um complexo industrial para a produção de uma nova marca “Grenadier”, de automóveis ligeiros todo o terreno, no Eco Parque Empresarial de Estarreja.

Após dois anos intensos de pesquisa por toda a Europa, a INEOS Automotive escolheu a cidade de Estarreja para instalar a fábrica. Pode ler-se no protocolo que o início da construção está agendado para abril deste ano. Em novembro de 2020 está previsto a instalação do equipamento. Já no próximo ano, em outubro iniciará a fase de pré-teste operacional da fábrica. Em abril de 2022, arrancará a produção dos automóveis todo o terreno representando um investimento que pode ser superior a 250 milhões de euros.

Durante a Cerimónia de Formalização do Protocolo de Colaboração, Dirk Heilmann, CEO da Ineos Automotive, disse que “no momento em que comparámos as opções no país, foi em Estarreja que encontrámos espaço para crescer e disponibilidade dos que hoje são nossos parceiros.” Acrescentou ainda que “a qualidade e a atenção que há em Estarreja é exatamente o que procuramos e acreditamos que pode resultar muito bem para a nossa empresa.”

Numa primeira fase, a INEOS Automotive irá produzir a carroçaria, os chassis e a pintura. Futuramente pretende-se que em Portugal seja feita a montagem ou a assemblagem. A produção destes componentes empregará “cerca de 200 pessoas e à medida que atingirmos os nossos objetivos, pretendemos chegar aos 500 postos de trabalho”, afirmou Dirk Heilmann.

Diamantino Sabina, Presidente da Câmara Municipal de Estarreja, referiu que o acordo firmado com a empresa britânica “é um marco histórico para o desenvolvimento económico do concelho de Estarreja. Conseguimos reunir as condições necessárias para avançarmos com esta unidade industrial que permitirá uma simbiose industrial com outras empresas criando também postos de trabalho indiretos”.

 

 

Fábrica de jipes em Estarreja já tem terrenos para a construção

Com Estarreja confirmada como sede de uma fábrica para a produção do jipe 4×4 Grenadier da INEOS Automotive, a empresa britânica irá assinar hoje um protocolo com a autarquia local com vista ao início dos trabalhos para a construção daquela infraestrutura que irá atrair mais investimento e criar numa primeira fase 200 novos postos de trabalho na região.

in Dinheiro Vivo, por Pedro Junceiro/Motor24, 22-01-2020


Sobre a nova infraestrutura de Estarreja, Mark Tennant, diretor comercial da INEOS Automotive, revela ao Dinheiro Vivo/Motor24 que “há ainda muito trabalho para fazer, porque apenas agora conseguimos concretizar a aquisição de todos os terrenos, mas estamos a avançar. Será um calendário apertado, mas estamos confiantes de que poderemos cumprir todos os prazos”. Contactada, a Câmara de Estarreja confirma que, “a não ser em uma ou outra situação que faltará formalização, está praticamente tudo comprado”.

O responsável da recém-criada marca britânica explica que a escolha de Portugal obedeceu a uma conjunto de fatores que levou a melhor sobre outras potenciais localizações para o estabelecimento da fábrica que irá servir de suporte à infraestrutura principal, também à espera de construção, no País de Gales.

“Houve alguns fatores importantes para a escolha. Um deles foi a cadeia paneuropeia de fornecimento para construir veículos na Europa e parte do foco em Portugal foi o facto de aí podermos estar em contacto próximo com empresas que estão na Península Ibérica, como a Gestamp, da qual somos bastante próximos, ou também a Caetano, com a qual estamos próximos para algum potencial envolvimento nalguns aspetos do desenvolvimento”, explica, apontando ainda que “ficámos muito impressionados com a receção e com o apoio que tivemos ao lidar com toda a burocracia e com todos os pedidos de planeamento. O Governo português foi excelente, bem como a Aicep e a autarquia local. Isso foi muito importante. Foi um pouco como o País de Gales, onde o Governo também foi muito solícito e solidário”.

O diretor comercial da INEOS Automotive não quis adiantar números específicos em relação ao investimento em Estarreja, adiantando que “falamos apenas em termos absolutos. O investimento no projeto é de cerca 600 milhões de libras e não temos valores discriminados”. Destacou, porém, o contributo que será dado em termos laborais com a “criação de 200 empregos inicialmente, que podem chegar potencialmente aos 500 postos de trabalho diretos se atingirmos os nossos objetivos”.

Novo jipe no final de 2021

Prossegue a bom ritmo o trabalho de desenvolvimento do novo jipe Grenadier, cujo lançamento no mercado está previsto para o final de 2021. E, paralelamente, estão também a ser dados os primeiros passos concretos com vista à construção de um novo complexo industrial para a produção de sub-chassis em Estarreja, o qual deverá estar pronto em abril de 2022.

Para a fase inicial de produção do novo veículo, a INEOS Automotive irá recorrer à austríaca Magna Steyr, que conta com larga experiência no fabrico de veículos, sobretudo na área dos 4×4, sendo também o local de produção dos Classe G da Mercedes-Benz.

O INEOS Grenadier será um jipe de tração integral e alta robustez, pensado por Jim Ratcliffe, multimilionário e CEO da INEOS, para ser um sucessor espiritual do Land Rover Defender, como chegou a admitir inicialmente. No entanto, Tennant garante que já se “avançou um pouco face a essa ideia inicial. “Se olharmos para as nossas inspirações, penso que são mais latas e creio que remetem para os heróis 4×4 originais, como o Jeep Willys, o [Land Rover] Defender Série I, o FJ40 Land Cruiser da Toyota ou até o Mercedes-Benz Classe G”

Primeiros carros “made in Estarreja” em abril de 2022

A fábrica da britânica Ineos deverá começar a ser construída já em abril e estar pronta em outubro. O projeto de produção do veículo todo-o-terreno representa um investimento de 251 milhões de euros e deverá criar 400 a 500 postos de trabalho.

in Negócios, por Pedro Curvelo, 21-01-2020


Numa altura em que a indústria automóvel portuguesa bate sucessivos recordes de produção e exportação, a britânica Ineos Automotive assina esta quarta-feira um protocolo com a Câmara Municipal de Estarreja para a instalação de um fábrica de veículos todo-o-terreno (4×4) no município.

O protocolo indica abril deste ano como data para o início da construção da fábrica. E o edifício base deverá estar concluído em outubro. No mês seguinte arrancará a instalação de equipamento na fábrica. Em outubro do próximo ano começará a fase de pré-teste operacional da fábrica e, finalmente, o arranque da produção está previsto para abril de 2022. A unidade deverá empregar 400 a 500 trabalhadores quando funcionar em pleno e deverá produzir cerca de 25 mil veículos por ano.

O projeto da Ineos Automotive, que representa, segundo o protocolo, “um investimento total na ordem de 251 milhões de euros”, foi um processo “relativamente rápido”, refere ao Negócios Diamantino Sabina, presidente da autarquia.

“A primeira abordagem ocorreu em março ou abril do ano passado, a Ineos mostrou grande interesse pela plataforma modal prevista para Estarreja e foi assim que começou o namoro”, diz. “Sabemos que não fomos a única localização em Portugal estudada pela empresa, embora em concreto apenas sei que Ovar foi uma hipótese”.

Agora, a assinatura do protocolo é um “passo muito importante” para o desenvolvimento do projeto, assinala o autarca, que considera o investimento da Ineos a “cereja no topo do bolo do desenvolvimento económico do município”.

“Mesmo antes da Ineos, o parque empresarial cresceu imenso. Há seis anos tinha 14 empresas e 400 a 500 empregos. Agora são 29 empresas e o número de trabalhadores mais do que triplicou”, sustenta. E este desenvolvimento tem atraído o interesse de investidores, nomeadamente no imobiliário, refere. “Estes novos empregos têm pressionado o mercado imobiliário, onde existe pouca oferta e a procura tem crescido exponencialmente”, reforça o autarca.

Ineos compra terrenos à Bondalti

Para a instalação da fábrica, a Ineos negociou a aquisição de várias parcelas de terreno no parque industrial com a Bondalti Chemical (ex-CUF), do grupo José de Mello.

Segundo o autarca de Estarreja, cerca de 85% dos terrenos necessários à fábrica da Ineos pertencem à Bondalti e “esse negócio está concluído ou em vias de ser formalizado”. O Negócios não conseguiu confirmar até ao fecho da edição junto da empresa química se a operação já foi finalizada.

Quanto às parcelas que não pertenciam à Bondalti nem à autarquia, Diamantino Sabina indica que “praticamente todas já foram adquiridas pelo município e sem expropriações, tudo por via negocial”. E o autarca diz que essas aquisições totalizaram “menos de um milhão de euros”.

AICEP fala em argumento para mais investimento

A Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP) indica ao Negócios que o projeto da Ineos “foi uma angariação da AICEP e tem vindo a ser acompanhado de perto, em todas as suas fases, pela agência”.

Este investimento, precisa fonte da AICEP, não foi contabilizado nos 1.172 milhões de euros de investimento contratualizado pela agência no ano passado e que constituem o valor mais elevado de sempre.

A AICEP aproveita para sublinhar “a importância deste projeto para reforçar a imagem de Portugal como país produtor automóvel” e constitui “mais um excelente argumento para a AICEP utilizar na captação de mais investimento”.

 

 

Estarreja: Aprovado protocolo para fábrica de veículos ‘todo o terreno’

A Câmara de Estarreja aprovou, por maioria, um protocolo de colaboração a assinar com a empresa inglesa Ineos Automotive, que se propõe construir uma fábrica de jipes no Eco Parque Empresarial.

in Notícias de Aveiro, 25-12-2019


O município tem acompanhado nos últimos meses “em estreita articulação” com a Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP) o projeto de uma unidade de produção de automóveis ligeiros a desenvolver pelo grupo, que confirmou em setembro passado a decisão de investir em Estarreja.

A Ineos deseja produzir em Portugal a carroçaria e chassis do veículo ‘todo o terreno’ Grenadier, o que deverá gerar “um aumento significativo de empregos, quer na fase de construção, quer na fase de exploração, na ordem dos 251 milhões de euros”, lembra a autarquia liderada por Diamantino Sabina (PSD).

“Um projeto cuja relevância reside no reforço do cluster automóvel nacional, estando o interesse público amplamente salvaguardado”, sustenta ainda o município.

Para a concretização de todas as fases de execução do projeto, tornou-se necessário estabelecer um protocolo de colaboração entre as partes, nomeadamente para preparar a disponibilização dos terrenos nos polos D e E do Eco Parque Empresarial (210.340 metros quadrados de área de implementação), assinatura do contrato de planeamento para alteração do plano de pormenor e concretização das obras de urbanização.

Os eleitos do PS votaram contra o protocolo, embora estejam a favor do investimento, por falta de informação técnica e financeira.

“Não estamos contra o projeto, que é de extrema importância para Estarreja, mas não nos sentimos confortáveis a votar favoravelmente por a proposta não estar suportada em nenhuma informação técnica, quer dos serviços financeiros, quer do urbanismo”, refere a declaração de voto.

Terrenos da antiga CUF em vista para a nova fábrica

O município assume o compromisso de adquirir parcelas adicionais que pertencem atualmente a terceiros e de as alienar ou transferir a título oneroso com as parcelas de que é atualmente proprietário ao promotor. Existem parcelas da Bondalti (ex-CUF) que estão a ser negociadas com esse fim.

É necessário também desviar a vala da Breja e construir uma bacia de retenção de águas superficiais a sul do polo D, que a Ineos irá custear.

O grupo inglês quer candidatar a fábrica para ser reconhecida como projeto de Potencial Interesse Nacional (PIN).

O Ineos aponta para Abril de 2020 o inicio dos trabalhos de construção do complexo, que, se correr como previsto, deverá entrar em laboração dois anos depois.

 

 

Ineos Automotive Announces Engineering Partner for Series Development of the Grenadier

Magna to undertake series development of the new utilitarian 4×4

in Ineos, 17-12-2019


INEOS Automotive has announced an expansion of its partnership with global mobility technology company, Magna. Its subsidiary, Magna Powertrain, has been responsible for chassis and suspension development since the inception of the project. It will now be joined by Magna Steyr, which will undertake the series development phase of the forthcoming Grenadier.

Dirk Heilmann, Chief Executive Officer of INEOS Automotive, confirmed: “The transition from concept to series development is a major landmark in the evolution of the Grenadier. We are pleased to have Magna, with their long heritage and experience in 4×4 development, with us for the next stage of the journey. With our production plans recently confirmed, we now move into all-important series development and start to set our sights on the start of production.”

Frank Klein, President of Complete Vehicle Manufacturing & Engineering at Magna Steyr, said: “Magna is in a unique position with our complete vehicle knowledge. Because of our expertise, we can continue to support traditional automakers while also becoming the go-to supplier for new players entering the space. We are excited to help INEOS Automotive bring the Grenadier to reality.”

The confirmation of Magna Steyr’s appointment follows recent announcements of BMW Group as suppliers of their world-class inline six-cylinder turbocharged petrol and diesel engines for the Grenadier, and its new manufacturing home in Bridgend, South Wales.

 

Note. In the accompanying image, the individuals pictured are: Left front, Dirk Heilmann, INEOS Automotive, CEO. Right front, Helmut Gasser, Magna Steyr, Vice President. Left back, Hans-Peter Pessler, Magna Steyr, Project Leader for INEOS Automotive. Right back, Vadim Ustinov, Magna Steyr, Sales. Car pictured is a Steyr-Daimler-Puch Pinzgauer 4×4, developed by Magna Steyr since 1969, and pictured on the Schöckl mountain of Graz, Austria

 

 

Projeto ‘Grenadier’ acelera em Estarreja

Fábrica para produzir chassis de todo-o-terreno da Ineos Automotive reconhecida como de interesse público municipal. Promotor aluga mais espaço no Centro de Negócios para equipa que está encarregada do desenvolvimento local do projeto.

in Notícias de Aveiro, 16-11-2019


filial portuguesa do grupo inglês que pretende instalar em Estarreja uma fábrica de viaturas todo-o-terreno em parceira com fornecedores de componentes pediu à autarquia local mais espaços para além das duas salas alugadas, desde agosto passado, no Centro de Negócios do Eco Parque Empresarial.

A Amazing Wheels Unipessoal “tem vindo a desenvolver um conjunto de trabalhos inerentes à sua instalação” na zona industrial “que implica a constante presença” de representantes ligados à Ineos Automotive, assim como “um vasto conjunto” de quadros de empresas prestadoras de serviços que integram a equipa multidisciplinar envolvida na criação da unidade fabril, explicou a edilidade.

A equipa do grupo inglês trabalhará em salas do Centro de Negócios durante a fase de arranque do projeto, até que as suas instalações a construir no Eco Parque estejam disponíveis.

A autarquia estarrejense decidiu disponibilizar o arredamento do espaços inacabados, onde projetava inicialmente acolher uma agência bancária e um posto dos correios. As obras de adaptação ficam a cargo do inquilino.

“É reconhecida a importância local, regional e nacional do investimento da Ineos Automotive”, refere a autarquia para aceder ao pedido da empresa.

A viatura todo-o-terreno batizada ‘Grenadier‘ será fabricada no País de Gales e em Portugal, neste caso com a unidade de Estarreja a ser destinada à produção de chassis, o que poderá envolver um investimento superior a 300 milhões de euros e criar meio milhar de postos de trabalho.

A Câmara de Estarreja aprovou, também, o “reconhecimento de interesse público municipal na instalação e exploração da unidade de produção de veículos automóveis ligeiros” da Ineos, permitindo que a promotora concorra a incentivos, nomeadamente isenções fiscais.

O projeto vai ao encontro do “enorme esforço” da localidade, “desde há anos”, em disponibilizar loteamento industriais “de modo a possibilitar a atração de novos investimento e potenciar o emprego e o desenvolvimento económico e social de Estarreja e da região”.

Nesta fase, adianta a autarquia, “é crescente o número de investidores estrangeiros que procuram o Eco Parque Empresarial como uma potencial localização para os seus projetos de investimento”.

O grupo inglês “reforça o cluster automóvel nacional e imagem de Portugal como produtor do sector”.

A proposta de interesse municipal ficou a aguardar o ‘sim’ da Assembleia Municipal.

 

Ineos diz que 4 x 4 não será único modelo e que Estarreja pode crescer

A futura fábrica de submontagem da Ineos em Estarreja pretende aproveitar “ao máximo” os fornecedores locais de componentes. A fábrica do grupo liderado por Jim Ratcliffe criará 200 empregos em 2021.

in Negócios, por Pedro Curvelo, 24-09-2019


A futura fábrica do grupo britânico Ineos em Estarreja vai produzir a carroçaria e chassis do veículo todo-o -terreno Grenadier. Mas o diretor comercial da Ineos Automotive diz ao Negócios que acredita que “este não será o único modelo a produzir pela Ineos”.

E, assegura Mark Tennant, “obviamente que contamos com a fábrica de Estarreja para eventuais futuros novos veículos da Ineos”. “Um dos fatores de atração de Portugal é a capacidade de podermos expandir a nossa atividade”, indica. A unidade de Estarreja irá criar “na fase de arranque” cerca de 200 empregos diretos, número que aumentará para 500 quando o veículo “atingir a maturidade”, o que deverá acontecer em 2025, com previsões de vendas de 25 mil viaturas anuais.

Mark Tennant recusa divulgar o valor do investimento na unidade em Estarreja, limitando-se a indicar que o projeto do Grenadier tem um investimento total de 600 milhões de libras (cerca de 680 milhões de euros ao câmbio atual), que inclui as duas fábricas, a divisão de engenharia e o marketing e área comercial.

A fábrica de Estarreja será construída de raiz e o gestor espera que as obras arranquem “nas próximas semanas”, sendo que a unidade industrial terá de estar concluída no início de 2021.

Os “trunfos” de Portugal para captar a fábrica

Mark Tennant assinala que Portugal foi escolhido, juntamente com o País de Gales – onde os veículos serão montados -, após ter sido analisada “a maioria dos países europeus com indústria automóvel, e mesmo alguns fora da Europa”.

A existência de mão-de-obra qualificada, a boa rede de fornecedores de componentes e a colaboração das autoridades locais foram “fatores decisivos” para que a fábrica viesse para Portugal, defende.

Quanto a benefícios concedidos pelo Estado, Mark Tennant admite que “existem alguns incentivos”, mas escusa-se a detalhá-los. Refere apenas que “há incentivos para a facilitação do projeto e também na área da formação”.

O diretor comercial revela também que a Ineos já assinou acordos com alguns fornecedores portugueses, estando a negociar com outros. “Pretendemos que o Grenadier tenha uma componente ‘made in Portugal’ considerável”.

O Grenadier será um “veículo de trabalho” e os mercados principais serão a Europa e a América do Norte. África, Ásia e Austrália deverão representar um terço das vendas, segundo o gestor.

Já sobre a possibilidade de Estarreja vir a ter a produção total de alguns dos veículos num cenário de saída do Reino Unido da União Europeia sem acordo, Tennant frisa que “o projeto nasceu já com o Brexit em cima da mesa, sete meses após o referendo”. “Equacionámos os vários cenários”, diz, sem revelar se a fábrica de Estarreja poderá fornecer os veículos para a UE evitando tarifas.

 

 

INEOS Automotive’s uncompromising 4×4 to be built in Wales and named ‘Grenadier’

Grenadier name chosen by the company’s fans and followers.

Wales to be the home of the INEOS Grenadier, to be assembled in a new manufacturing facility in Bridgend.

A significant commitment to UK manufacturing, creating up to 500 jobs as part of INEOS’s £600 million investment to bring the Grenadier to market in 2021.

in INEOS Automotive, 18-09-2019


INEOS Automotive has announced that its utilitarian 4×4 will be named ‘Grenadier’ after the pub in which it was conceived, with over 6,000 international fans and followers responding to an online poll to choose the vehicle’s name.

INEOS also confirmed that the Grenadier will be built in a bespoke new manufacturing facility on a greenfield site in Bridgend, South Wales. This will create 200 jobs initially, and up to 500 in the long term.  Site development is now under way to support planned start of production in 2021.

INEOS Group Chairman Sir Jim Ratcliffe said: “We have looked long and hard at possible manufacturing locations for Grenadier across the world with lots of good options to choose from.  The decision to build in the UK is a significant expression of confidence in British manufacturing, which has always been at the heart of what INEOS stands for.”

Welsh Government Economy and Transport Minister Ken Skates said: “Today’s announcement is great news for Wales and I’m delighted INEOS Automotive will be setting up home in Bridgend which has a long history of skilled manufacturing expertise. The Welsh Government has worked closely with the company to make this happen and I look forward to seeing the development of the new site progress ahead of the planned start of production in 2021.”

INEOS Automotive has confirmed that in parallel, it will be investing in a sub-assembly plant in Estarreja, Portugal.  The facility will produce the Grenadier’s body and chassis, working in conjunction with INEOS’s European supply chain partners.

Dirk Heilmann, Chief Executive Officer of INEOS Automotive, commented: “Confirming production in the UK, as well as our investment in Portugal, is a major milestone for the project.  We are progressing well with the design and engineering work, as well as our marketing and distribution plans.  In the months ahead, we look forward to sharing more information about the Grenadier, and engaging with local suppliers, the community and region, in advance of the start of production in 2021.”

 


 

 

COMUNICADO DE IMPRENSA DA AFIA, 06 de Setembro de 2019

 

 

 

 

COMUNICADO DE IMPRENSA | Eventual nova fábrica de veículos todo-o-terreno em Portugal

Segundo notícias publicadas esta manhã na imprensa “Portugal acolhe nova fábrica de veículos todo-o-terreno”.

in AFIA, 06-09-2019


A concretizar-se esta nova implantação, a AFIA – Associação de Fabricantes para a Indústria Automóvel congratula-se e manifesta a sua satisfação por este reconhecimento, que demonstra a competitividade da indústria automóvel portuguesa.

A AFIA, desde o ano de 2018, tem vindo a colaborar com a INEOS AUTOMOTIVE na identificação de potenciais fornecedores para o “Projekt Grenadier” https://projektgrenadier.com/. Tendo já ocorrido reuniões individuais entre empresas portuguesas de componentes automóveis e a INEOS.

A Associação está em contacto permanente com todas as entidades que têm poder para influenciar o sector, sensibilizando-as para as potencialidades desta indústria e incentivando-as no sentido das intervenções possíveis e desejáveis.

A AFIA promove o crescimento, a competitividade, a internacionalização e as exportações das empresas nacionais, apoia compradores estrangeiros a encontrar fornecedores portugueses e apoia os investidores estrangeiros no início e na integração de novas actividades em Portugal, tendentes a alargar a base industrial portuguesa e a reforçar o sector.

A indústria de componentes para automóveis, representada pela AFIA, reitera o compromisso em sustentar o crescimento da economia nacional.