Skip to main content

Schmidt Light Metal Group | Obter a Certificação COVID SAFE é para nós Um Orgulho

Lembrando que a indústria metalomecânica tradicional portuguesa tem muitos bons exemplos para dar, Patrícia Villas-Boas, diretora de pessoas & comunicação do Schmidt Light Metal Group destaca o facto de este grupo ter sido o primeiro produtor de componentes para automóveis, em Portugal, a obter a certificação COVID SAFE

in Expresso / Dossier Especial da edição nº 2500, 26-09-2020


QUE IMPACTO TEVE a pandemia de COVID-19 sobre o negócio do Schmidt Light Metal Group e que forma encontrou a empresa para responder a esses desafios?

Fazendo parte da indústria de componentes para automóveis em Portugal, produzindo peças fundidas em ligas de alumínio e maquinadas, assim como os moldes utilizados no processo, os efeitos da pandemia cedo se fizeram sentir, com perdas de negócio na casa dos 80% em abril e de 60% em maio e com uma incerteza permanente sobre como e quando alguma recuperação iria acontecer.

No entanto. e porque os pedidos de clientes assim o ditaram, estivemos sempre a trabalhar, com uma população muito reduzida, procurando antever quais seriam as primeiras peças a retomar níveis de venda habituais.
No mês de junho, de uma forma ainda ténue, as linhas de montagem automóvel retomaram a atividade tendo, a partir de julho, atingido a velocidade de cruzeiro na ordem dos 80 a 90% relativamente a períodos similares de 2019. Por quanto tempo mais, não sabemos, sendo certo que neste tipo de indústria o equilíbrio entre a produção e o escoamento tem de ser razoavelmente equilibrado. O Schmidt Light Metal Group projeta quebra de receitas em 2020 na ordem dos 27%, mantendo, no entanto, rácios financeiros que não colocam a continuidade do negócio em risco.

O que motivou o Schmidt Light Metal Group a requerer a certificação COVID SAFE?

Quando, em janeiro de 2020, fomos confrontados pelos nossos clientes com o pedido de um plano de contingência para fazer face ao surto de SARS-CoV-2, sabíamos que era necessário prepararmo-nos para o que aí vinha. Numa altura em que se falava pouco deste assunto em Portugal, criámos a comissão de gestão de crise, definimos o plano de contingência, demos formação de segurança aos colaboradores e reforçámos stocks de matérias, componentes e equipamentos de proteção individual.

Fizemos tudo isto com base em informação recolhida junto de clientes e parceiros, criámos o nosso Playbook Covid Safe (o manual de gestão desta crise). Quando em março foi decretado o estado de emergência, estávamos preparados e com medidas implementadas. Desenvolvemos um conjunto grande de ações, preparámos gabinetes e chão de fábrica, enviámos para casa os doentes de risco e implementámos o teletrabalho, onde era possível ou necessário.

A certificação era para nós importante, pois constituía a validação do trabalho que tínhamos vindo a fazer, com base em boas práticas, o nosso conhecimento e uma grande dose de bom senso. Desenvolvemos procedimentos específicos de segurança, de sinalética, criámos equipas de prevenção, estivemos sempre a par da legislação, mas queríamos ter a certeza de que estávamos, de facto, a proceder da melhor forma para manter as nossas pessoas em segurança. A certificação trouxe-nos essa certeza.

Como se processou e o que implicou a obtenção desta certificação?

Como organização certificada na área da qualidade, ambiente e segurança, este procedimento foi muito similar a anteriores. Para a obtenção da certificação foi necessário aprofundar questões definidas pela legislação nacional e internacional, fizemos alguns ajustes de procedimentos e atualizámos o nosso manual quando aplicável. Os dias de auditoria destinaram-se a verificar todo o trabalho efetuado, tanto em termos de cumprimento de legislação como implementação desta. Foi feita uma auditoria exaustiva no terreno, que passou pelos diferentes postos de trabalho, pela verificação de balneários, refeitórios e outras instalações comuns. Os procedimentos de segurança na entrada dos colaboradores no início de cada turno foram também acompanhados e auditados. A lista de verificação tem mais de 180 pontos: um trabalho exaustivo, mas que uma vez mais nos dá confiança no trabalho que desenvolvemos e que, em muitos casos, vai bem mais além daquilo que a legislação, nacional ou internacional, obriga.

Patrícia Villas-Boas, diretora de pessoas & comunicação do Schmidt Light Metal Group

Que vantagens trouxe para a empresa esta certificação?

Obter uma certificação como esta, num assunto de tão grande importância, é para nós um orgulho. Desde muito cedo que o nosso foco tem sido a segurança e saúde das pessoas. Num trabalho estreito com o nosso médico do trabalho, temos estado atentos e vigilantes, apoiando colaboradores que passaram pela dor da perda de entes queridos durante a pandemia, certificando-nos que todos os potenciais casos são prontamente identificados e seguidos.

As medidas que adotámos desde março vão muito para além daquilo que nos é exigido e, ao obtermos a certificação, também estas boas práticas são validadas, o que claramente constitui uma vantagem.

Outra vantagem da certificação é a consolidação junto dos colaboradores de todo o trabalho desenvolvido, o que ajuda a tranquilizar os mais preocupados e a reforçar a importância das medidas com os mais descuidados. O facto de termos sido o primeiro produtor de componentes para automóveis a obter a certificação – sendo que o nosso grupo é composto por uma empresa de fabricação de moldes, uma unidade de injeção de alumínio e uma empresa que maquina as peças –, deixa-nos ainda mais orgulhosos: a indústria metalomecânica tradicional portuguesa tem muitos bons exemplos a dar!

O selo COVID SAFE vem consubstanciar o compromisso do Schmidt Light Metal Group com a qualidade?

Sem dúvida que sim. Estando nós integrados na indústria automóvel, temos como exigência de qualidade a norma IATF 16949. Na sua redação e requisitos, esta tem um grande foco na gestão das pessoas, na importância desta e na mitigação de riscos. Quando falamos em procedimentos de segurança que ajudem ao combate da pandemia, estamos a focar-nos na gestão das pessoas e, por consequência, em qualidade. Por outro lado, qualidade para nós não se limita ao produto. Este acaba por ser a consequência de todo um trabalho de equipa numa organização onde a cultura e os valores são a bússola da nossa ação. A qualidade do produto é um reflexo do coletivo de pessoas alinhadas a um mesmo conjunto de valores: responsabilidade, equipa, compromisso, disciplina e talento não podiam deixar de se refletir na qualidade daquilo que fazemos, seja nas peças que exportamos para todo o mundo seja na gestão de combate à pandemia.

Estamos a entrar numa nova fase de combate à pandemia de COVID-19, com a chegada do outono. O Schmidt Light Metal Group está a preparar-se para fazer face aos desafios acrescidos que possam daí advir?

Os desafios são de facto muitos, mas acreditamos que planear com antecedência é crucial.

Por esse motivo e no regresso de férias, testámos todos os colaboradores e até agora não tivemos nenhum caso positivo, o que consideramos um excelente sinal: as medidas de prevenção e segurança estão interiorizadas e foram transpostas para casa.

Lançámos também a nossa campanha de vacinação contra a gripe, fazendo este ano um reforço especial junto dos colaboradores para a importância da sua toma. Tal como em anos anteriores, o custo desta ação é suportado na íntegra pela organização. Iremos ainda dedicar o mês de outubro à saúde, pelo que também aqui teremos campanhas para reforçar a importância das medidas de segurança que adotámos face à pandemia.

Conscientes dos impactos que esta nova fase vai trazer em termos de absentismo, estamos a reforçar alguns postos de trabalho e a redistribuir equipas por diferentes espaços físicos para garantir ainda mais distanciamento físico. Reforçámos também relações com agências locais de formação e recrutamento, bem como de saúde e prevenção.

Mais do que tudo, sabemos que o importante é a mensagem diária, é o reforço sobre a importância do uso da máscara, é comunicar abertamente, é, no fundo, acreditar que estamos alinhados e queremos o mesmo: o bem e a saúde de todos. Não é por acaso que adotámos a máxima:

“Eu protejo-te, tu proteges-me”.

 

http://www.performing.solutions/

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.