Skip to main content

Parque da Autoeuropa alerta para possível fecho de empresas

A maior parte das empresas presentes no parque industrial da VW Autoeuropa têm, quase em exclusivo, como único cliente a fábrica da VW.

in Diário Económico, por Sara Piteira Mota, 16-01-2015

A comissão que representa os trabalhadores do parque industrial Volkswagen (VW) Autoeuropa alerta para a fragilidade da situação de alguns fornecedores do parque industrial que dependem quase em exclusivo da fábrica da VW. Os responsáveis reuniram, ontem, para analisar a situação dos fornecedores presentes no complexo industrial, no que diz a respeito aos volumes de produção actuais e futuros e à situação laboral e social das várias empresas. Segundo o comunicado “o esvaziamento que se faz sentir de negócios de alguns fornecedores da Autoeuropa que revelam dificuldades, em certos casos, na sua manutenção e consequentemente nos postos de trabalho, pode levar ao risco de encerramentos”.

O mesmo documento sublinha ainda que “a sistemática pressão para redução de custos a que os fornecedores estão sujeitos, para que seja possível concorrer a produtos futuros, poderá implicar uma política de baixos salários, o que configura um ‘dumping social’. A comissão executiva frisa que esta situação irá ter como consequência piores condições de trabalho e aumenta a precariedade, e simultaneamente a baixa da qualidade da mão-de-obra. Tendo em conta a actual situação, a comissão agendou uma reunião para 2 de Fevereiro de forma a analisar as medidas a tomar para enfrentar estes problemas.

No ano passado, o número de empresas no parque industrial manteve-se estável, embora a redução do volume de produção do Eos, e o facto da Autoeuropa ter terminado a produção antes do final do ano, ter provocado alguns constrangimentos.

O fim de linha para o descapotável VW Eos, que deverá acontecer este ano, poderá deixar em maus lençóis algumas empresas presentes no parque, principalmente a Webasto que produz o tejadilho do Eos. A Webasto, que já chegou a fazer 265 tectos de abrir por dia, em 2006, produzia 85 unidades/dia em 2009.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.