Skip to main content

Fornecedor da BMW, Mercedes, Ferrari e Porsche instala-se em Portugal

O grupo francês Bontaz, especializado na conceção e fabrico de subconjuntos para motores de automóveis, está a implantar-se em Portugal. A construção de um centro de I&D no Parque Empresarial de Lanheses, em Viana do Castelo, estará concluída no final de julho.

in Automonitor, 26-07-2017


No âmbito da sua estratégia de crescimento, o grupo que é fornecedor de primeira linha de marcas como BMW, Mercedes, Fiat, Ferrari, Porsche, Volvo e Volkswagen, decidiu implementar-se em Portugal. O projeto em desenvolvimento envolve, numa primeira fase, um centro de I&D, orientado para dar resposta aos novos desafios do mercado e para projetar o futuro da indústria. A missão deste complexo será criar e desenvolver linhas de produção mais eficientes e que contribuam para a excelência do processo de fabrico e dos próprios produtos.

A fase em curso implicará a criação de cerca de 100 de postos de trabalho diretos. Com as duas fases posteriores (unidade de usinagem e unidade de torneamento mecânico) a concretizarem-se, estima-se a criação de mais 700 postos de trabalhos.

Indústria Automóvel cresce em Viana

Esta é a quarta unidade para o setor automóvel que a Garcia Garcia concebe e constrói no Parque Empresarial de Lanheses – BorgWarner, Steep Plastique e Eurostyle.

Recentemente o presidente da Câmara de Viana do Castelo, José Maria Costa, manifestou a intenção de formalizar junto do Ministério da Economia a proposta para a criação de um cluster automóvel no norte de Portugal e Galiza. O autarca justificou a criação do mesmo com o facto de “na região Norte estarem instaladas muitas empresas do setor automóvel para fornecer marcas como a Peugeot e Citroën de Porrinho, que produzem cinco vezes mais que a Autoeuropa”.

Recorde-se que um estudo realizado pela consultora Deloitte para a Mobinov – Associação do Cluster Automóvel revelou que o setor em Portugal é maior do que tem sido considerado até agora. Isto, porque, no ano passado, a atividade das empresas do setor (construtores e fornecedores) valeu perto de 11 mil milhões de euros, o que equivale a 5,9% do PIB.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.