Skip to main content

Exportações de componentes vão manter crescimento este ano

A indústria de componentes para automóveis portuguesa cresceu 5,4% no ano passado em relação a 2014, para um volume de vendas de 8000 milhões de euros, um novo recorde em termos absolutos, segundo as previsões da Associação de Fabricantes para a Indústria Automóvel (AFIA). 

in Vida Económica, por Aquiles Pinto, 24-03-2016

Deste valor, 84% referem-se à exportação, ou seja, as vendas ao exterior cresceram 6,7% e totalizaram 6700 milhões de euros, também um novo máximo. A AFIA prevê que em 2016 o sector volte a crescer.

https://i0.wp.com/afia.pt/wp-content/uploads/2016/03/201603241138001.jpg?resize=384%2C221

As exportações de componentes para a indústria automóvel vão manter crescimento este ano, segundo as previsões da Associação de Fabricantes para a Indústria Automóvel (AFIA). “Em 2007 as vendas ao exterior representavam 78% da actividade das empresas, no ano passado esse valor aumentou para os 84%. Para o corrente ano de 2016, espera-se que a indústria consolide esta tendência de subida. As exportações do setor têm vindo a acompanhar o crescimento da produção na europa. Estes dados demonstram a capacidade de resiliência destas empresas que competem numa indústria altamente globalizada e competitiva”, disse à “Vida Económica” fonte da associação.

As exportações de componentes para a indústria automóvel totalizaram 6700 milhões de euros em 2015, mais 6,7% do que no ano anterior. Os destinos das exportações mantêm também a tendência habitual, com Espanha e a Alemanha a surgirem como os principais destinos, seguidos de perto pela França e Inglaterra. Estes quatro países representam entre si 70% do total das exportações, sendo que as restantes 30% estão distribuídos por outros países europeus e outros de fora da Europa, como os Estados Unidos da América e a China.

A importância dos destinos das exportações deverá manter-se este ano, de acordo com a nossa fonte na AFIA. “Historicamente, estes quatro países são os principais parceiros comerciais de Portugal, tendência que se manterá em 2016”, indica.

A mesma fonte salienta, porém, que “as empresas estão sempre a procurar” novos mercados. “Em 2007 as transacções comerciais para países extracomunitários representavam 9% das exportações, em 2015 as vendas para os países fora da União Europeia já representavam 12% das exportações, ou seja, mais três pontos percentuais”, refere.

Setor facturou oito mil milhões, valor recorde

As vendas totais da indústria de componentes automóveis portuguesa registaram o valor de 8000 milhões de euros no ano passado, segundo a AFIA, mais 5,4% do que em 2014 e “um novo recorde em termos absolutos”. O balanço é, por isso, de acordo com a nossa fonte, positivo. “Sem dúvida que o ano de 2015 foi bastante positivo para a indústria dos componentes automóveis. Segundo os dados até agora disponíveis, foram estabelecidos novos recordes em termos de volume de negócios como nas vendas ao exterior”, afirma.

A mesma fonte da AFIA salienta que a “taxa de crescimento é substancialmente superior à média da restante indústria transformadora”. Em Portugal a indústria de componentes para automóveis “representa 4,4% do PIB, 6,5% do emprego da indústria transformadora e 13,4% das exportações de bens transaccionáveis”, sendo, desse modo, “um dos mais importantes sectores da economia nacional”.

A nossa fonte prevê a existência de novos investimentos em Portugal na área dos componentes para a indústria automóvel este ano. “Os investimentos são uma constante e premissa desta indústria; ao longo dos últimos cinco anos foram investidos mais de 1500 milhões de euros em novos equipamentos produtivos e instalações fabris. Pelo que, sim, haverá novos investimentos nesta indústria, em ampliações de unidades fabris existentes e em novas fábricas de raiz”, indica.

 


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.