Skip to main content

Dificuldades para uma mobilidade elétrica sem emissão de CO2

As preocupações com o meio ambiente estão na ordem do dia.

in AutoSport, por André Duarte, 31-05-2018


Um tema que inevitavelmente nos leva a olhar para as emissões de CO2 oriundas dos veículos e que coloca a discussão sobre alternativas. A solução é apontada pelos veículos elétricos, mas estes são ainda hoje uma fonte emissora de CO2 e até que o possam deixar de ser, temos umas boas décadas pela frente. Neste sentido, o equilíbrio é o melhor a que podemos aspirar no presente. Segundo a Schaeffler – “fornecedor global líder integrado dos sectores automóvel e industrial” – há vários pontos a considerar quando falamos em sustentabilidade numa mobilidade elétrica isenta de CO2, os quais apresentamos em seguida:

  1. Hoje em dia os veículos elétricos emitem “até 65% da quantidade de CO2 de um veículo comparável equipado com um motor a gasolina, segundo a combinação de geração de eletricidade atual no seio da União Europeia”;
  2. Se as baterias dos veículos elétricos forem carregadas na sua totlidade por eletricidade proveniente de fontes renováveis, aí as emissões de CO2 estabelecem-se apenas nos 3% em relação a um modelo convencional;
  3. Se as baterias dos veículos elétricos forem carregadas na sua totlidade por eletricidade proveniente de fontes renováveis, aí as emissões de CO2 estabelecem-se apenas nos 3% em relação a um modelo convencional;
  4. As baterias hoje criadas dependem do fornecimento de lítio e cobalto. Porém, e à luz dos cálculos de produção de automóveis elétricos e híbridos, a par de demais dispositivos que requerem baterias, as atuais reservas de cobalto esgotar-se-ão em 2039 e as de lítio em 2047;
  5. Outro dos contras das baterias está no preço. Segundo a Schaeffler, o preço médio de um automóvel cifra-se nos cerca de 24.000€ e um automóvel elétrico só conseguirá competir com estes números se o custo das baterias cair na ordem dos 67% na próxima década. Hoje 45% do custo de um veículo elétrico está no preço das baterias.

 


 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.