Skip to main content

COPEFI | Aposta segura no mercado romeno

Com mais de duas décadas de atividade na indústria de componentes para o setor automóvel, o grupo COPEFI tem registado um crescimento sólido e regular, sendo fornecedor OEM TIER2 desde 2001. Com 350 colaboradores e unidades de produção e escritórios em sítios estratégicos na Europa e na América do Norte, a COPEFI está presente desde 2001 na Roménia, de onde exporta para vários países.

in Portugalglobal, nº 133, Agosto 2020


Como relata João Fleming Torrinha, General Manager do grupo português, o processo de decisão de internacionalização da COPEFI é anterior à criação da empresa, que nasceu em 2001. Participou num evento oficial no Parque das Nações, em Lisboa, sobre o Leste da Europa, onde estiveram representados todos os países daquela região europeia, incluindo a Rússia e a Ucrânia.

Foram diversos os fatores que levaram então João Torrinha a decidir investir na Roménia em detrimento de outros países do Leste europeu, dos quais salienta o facto de se tratar de um mercado que se encontrava numa fase mais atrasada no seu processo de integração na UE, permitindo-lhe ter, assim, mais tempo para investir, crescer e estar preparado para enfrentar a concorrência interna e internacional.

O responsável aponta também outros fatores que pesaram na realização deste investimento, como sejam a dimensão “interessante” do mercado interno, o facto de ter cinco fronteiras terrestres e de ser o único país de língua latina no Leste da Europa. Além disso, possuía já “algumas relações comerciais, ou potenciais, com alguns clientes na Roménia”.

“A Roménia tinha como principais problemas, naquela altura, a instabilidade política, a instabilidade cambial, e também uma economia informal que era transversal ao sistema, mas tendo em conta a estratégia de internacionalização do Grupo, decidi avançar”, refere João Torrinha, acrescentando que a COPEFI está atualmente presente, além da Roménia, em França e no México com unidades industriais, e com escritórios na Alemanha e nos Estados Unidos, como fornecedores do setor automóvel.

O desenvolvimento da empresa na Roménia foi realizado de forma contínua e alavancada, tendo já passado por três instalações próprias, que atualmente ocupam uma área de mais de 7.000 metros quadrados e tem cerca de 100 colaboradores. Trata-se de um investimento com um retorno importante e com elevado potencial de crescimento: “a partir da Roménia exportamos para muitos países, sejam eles do Leste da Europa, como a Rússia, a Turquia, e até mesmo da Europa Central”, revela o responsável.

Às empresas que tenham interesse em investir na Roménia, João Torrinha salienta a necessidade de criação de uma equipa estável e credível, tarefa que afirma não ser fácil, já que se trata de um mercado, que ainda antes da COVID-19, “se encontrava em pleno emprego e onde existe uma elevada rotação na mudança de emprego, perdendo-se, com isso, competências”. A ter também em conta a qualificação dos trabalhadores e o seu know-how, já que “em muitos casos é necessário desenvolver as aptidões de forma continuada e internamente”.

João Torrinha refere ainda que o acesso aos apoios da União Europeia “não são processos lineares e previsíveis, como estamos habituados a ver em Portugal, pelo que as empresas portuguesas interessadas neste mercado deverão ter por base que os projetos a realizar terão de ser viáveis por si mesmo, e não por potenciais apoios”.

O General Manager da COPEFI aponta ainda que o investimento português na Roménia já teve períodos com “níveis consideráveis, mas existe uma taxa de insucesso elevado, com muitas empresas a fecharem o negócio e/ou a venderem a sua atividade”.

http://copefi.com/

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.