Skip to main content

Cerco Sanitário de Ovar – Momento Dramático na Indústria

Cerca de 800 pequenas, médias e grandes empresas, a laborar no concelho de Ovar, com mais de 10.000 colaboradores, têm demonstrado perante as autoridades a sua extrema preocupação com a situação de fecho imposta pelo cerco sanitário ao concelho.

Grupo de Empresas de Ovar, 02-04-2020


Com um volume de negócio estimado de 2,2 biliões de euros, maioritariamente destinado à exportação, representantes de diversas empresas do concelho apelam para que o cerco acautele a atividade empresarial, uma vez que, com milhares de postos de trabalho em risco, os efeitos da pandemia poderão ser demolidores. Já lidando com o facto de alguns dos seus clientes procurarem outros fornecedores, estas empresas, de setores de atividade, desde a madeira, a têxtil, a calçado, à metalomecânica, indústria automóvel, elétrica e eletrónica, preparam com ímpar responsabilidade o regresso dos seus trabalhadores em segurança, adotando medidas extraordinárias de proteção individual, higiene e limpeza, num hercúleo esforço de conjugação de saúde pública e direito ao trabalho.

Assumindo que na proposta de reabertura a prioridade é a segurança individual, o grupo de trabalho elencou diversas propostas de cooperação que passam, por exemplo, pelo arranque gradual da laboração, redução do horário de trabalho, utilização inicial de trabalhadores residentes no concelho de Ovar e claro, sempre que possível, a utilização de mecanismos de trabalho à distância.

Reconhecendo que a atual e extraordinária conjuntura impôs a adoção de medidas excecionais, as empresas assumem desta forma, com os seus trabalhadores e com o estado, o compromisso de manter e criar emprego assim como riqueza tributável para manutenção do estado social, impulsionando as sinergias que sustentam as inúmeras famílias do concelho, algo que só se consegue em atividade.

 

 

 

One thought to “Cerco Sanitário de Ovar – Momento Dramático na Indústria”

  1. É uma vergonha esse senhor de nome Malheiro..
    É uma vergonha o que está a fazer a Ovar às suas gentes, às indústrias e seus clientes espalhados pelo país e pelo mundo. As grandes com mais ó menos dificuldades vão aguentar se as pequenas vão acabar. Essa coisa de nome Malheiro nem sabe o que são 2.2 biliões de euros mas diz qie depois cá estará para ajudar. No carnaval não fechou ele ovar quando o devia ter feito. Tem uma explicação ou várias, a primeira nunca mais pode ser presidente da Câmara logo tá se marimbando, a segunda é que deve estar a tentar ter uns minutos de fama para ir até Lisboa, e a terceira é que é tudo o que é o verdadeiro e triste político, dos que infelizmente existem muitos e não prestam, é oportunista, sem vergonha, falso e hipócrita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.