Skip to main content

CEiiA acelera indústria 4.0 com o Brasil

Através da sua aceleradora 4Scale, o Centro de Engenharia e Desenvolvimento de Produto (CEiiA) vai assinar com a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) um acordo para promover a aproximação entre start-ups e indústria de ambos os países.

in Negócios, por Rui Neves, 07-11-2018


 

O Centro de Engenharia e Desenvolvimento de Produto (CEiiA) tem vindo a estabelecer um conjunto de parcerias internacionais com vista ao lançamento de programas que promovam a rápida internacionalização e escalabilidade das start-ups que passam pela sua incubadora e aceleradora 4Scale, cuja criação é uma das iniciativas previstas no pacote de medidas da Indústria 4.0 em Janeiro de 2017.

 

Ora, “um dos parceiros incontornáveis neste trabalho é a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), que gere o maior programa de conexão entre start-ups e indústria do governo brasileiro”, afirmou Maria Miguel Ferreira, “head of open innovation” do CEiiA.

 

E é precisamente para “promover a aproximação entre start-ups e indústria” de ambos os países, que o CEiiA, através da 4Scale, e a ABDI vão assinar num memorando de entendimento, numa cerimónia que irá decorrer em Lisboa, na próxima quinta-feira, 8 de Novembro, e que contará com a presença do secretário de Estado da Economia, João Correia Neves.

 

Este acordo será assinado num evento promovido pela ABDI, em parceria com a Federação das Câmaras Portuguesas de Comércio no Brasil, Atlantic Hub e No Gap Ventures, que se encontram em Portugal a propósito do Web Summit.

 

Um dos objectivos da visita da ABDI a Portugal é anunciar o arranque do programa Conexão Startup Indústria 4.0, que “foi lançado em 2016 no Brasil e tem conseguido eficazmente aproximar start-ups e grandes indústrias”, garantiu Rodrigo Rodrigues, coordenador de inovação da ABDI.

 

“As 10 indústrias brasileiras que participaram nas edições anteriores representam, em conjunto, aproximadamente 8% do PIB industrial do Brasil e, das 27 start-ups que participaram, 21 continuam a desenvolver projectos com essas indústrias até hoje”, detalhou Rodrigues.

 

Para este responsável, a ABDI pretende agora internacionalizar este programa e encontrou em Portugal, e na 4Scale e no CEiiA, o parceiro adequado.

 

“O objectivo será aproximar start-ups brasileiras da indústria portuguesa e start-ups brasileiras das grandes empresas da indústria brasileira”, enfatizou.

 

As inscrições para empresas da indústria portuguesa que queiram participar no programa, lançando desafios de digitalização a star-tups brasileiras, abrem no final de Novembro, seguindo-se, no início de 2019, as inscrições para start-ups, avança o CEiiA, em comunicado.

 

Novo programa para responder às principais necessidades do sector automóvel

 

Entretanto, o CEiiA, em parceria com a Porto Business School, a Critical Manufacturing e a Beta-i, está a desenvolver um programa internacional de aceleração para start-ups focadas em desenvolver soluções tecnológicas 4.0 para a indústria automóvel.

 

“Este programa visa, por um lado, ajudar a indústria automóvel em Portugal a entrar na 4ª revolução industrial e, por outro, criar uma nova geração de empresas altamente inovadoras e ágeis, capazes de, a partir de Portugal, fornecer tecnologia para a indústria no mercado global”, descreve o CEiiA.

 

Para lançar um programa que dê resposta às principais necessidades do sector automóvel, o CEiiA desafiou as associações do sector, a Associação do Comércio Automóvel de Portugal (ACAP) e a Associação de Fabricantes para a Indústria Automóvel (AFIA), e o cluster Mobinov, a convocar os seus associados para um encontro que vai realizar-se na sede da ACAP, em Lisboa, no dia 13 de Novembro, que terá como tema “Open Innovation – Indústria 4.0 no Sector Automóvel”.

 

O objectivo deste evento, explicou o CEiiA, “é apresentar o programa de aceleração ‘Connected Industry – Auto 4.0’ às empresas do sector e conduzir um ‘workshop’ de identificação dos principais desafios tecnológicos que as empresas interessadas em participar no programa gostariam de ver resolvidos, através de projectos de ‘open innovation’, com as start-ups que venham a ser seleccionadas para este programa de aceleração”.

 

O CEiiA, com sede em Matosinhos, que tem cerca de 300 engenheiros e exporta 70% de uma facturação da ordem dos 20 milhões de euros (o Brasil é o seu principal mercado externo), concebe, desenvolve e opera produtos e serviços nas indústrias de mobilidade, nomeadamente automóvel e mobilidade urbana, aeronáutica, mar e espaço.

O CEiiA apresenta-se como um dos 10 maiores investidores de I&D em Portugal.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.