AFIA | Exportações de componentes automóveis superiores a 1000 milhões de euros em maio

Com um crescimento de 21,9% face ao mesmo mês de 2022, as exportações de componentes automóveis estão a subir há treze meses consecutivos.

in AFIA, 11-07-2023


As exportações de componentes para automóveis ultrapassaram os 1.000 milhões de euros em maio deste ano, registando uma subida de 21,9% face ao mesmo mês de 2022. De acordo com os dados recolhidos pela AFIA – Associação de Fabricantes para a Indústria Automóvel, este crescimento de dois dígitos, representa uma subida pelo décimo terceiro mês consecutivo, mostrando também um ritmo de crescimento superior às exportações nacionais de bens, que neste mesmo período diminuíram 6,9%.

No que se refere ao acumulado até maio as exportações de componentes para automóveis estão na ordem dos 5.000 milhões de euros, o que se traduz num acréscimo de 21,8% face ao mesmo período em 2022.

Importante realçar que em 2023, 70% das exportações portuguesas de componentes automóveis continuam a pertencer ao top 5 de países composto por Espanha, Alemanha, França, Eslováquia e Estados Unidos da América.

Espanha, com vendas de 1422 milhões de euros, continua a ser o principal cliente dos componentes fabricados em Portugal, seguida pela Alemanha com 1108 milhões de euros. Na terceira posição encontramos a França, com 560 milhões de euros, enquanto a quarta posição pertence à Eslováquia com 224 milhões, fechando-se o top 5 com Estados Unidos da América com 189 milhões de euros.

Destaque-se que as exportações para quatro destes cinco países aumentaram relativamente ao ano anterior. Assim, as exportações para Espanha aumentaram 22,6% relativamente ao ano de 2022, Alemanha apresenta-se com um crescimento de 28,6%, as exportações para França, 3.º país cliente, cresceram 23,0% e por último, a Eslováquia registou um aumento de importações de componentes automóveis portugueses de 26,5% em relação a 2022.

Por outro lado, os EUA continuam a registar uma queda, agora de 21,0%, nas importações de componentes automóveis provenientes de Portugal, no que se refere ao período homólogo de 2022 mantendo-se como 5º país cliente.

Saliente-se ainda que as exportações dos componentes automóveis para países como a Espanha e a Alemanha estão a crescer mais do que a produção, ganhando assim quota de mercado nestes países. Aliás, entre janeiro e maio deste ano a produção em Espanha teve um aumento de 19,9% enquanto as exportações subiram 22,6%. Já na Alemanha a produção situou-se nos 27,1% contra os 28,6% das exportações.

Sem grandes alterações no panorama nacional e internacional no que se refere ao aumento dos custos da inflação, transportes, energia e matérias-primas, que continuam a acentuar a incerteza neste e outros setores, é importante relembrar que a indústria de componentes para automóveis mantém a sua consistência e resiliência, continuando a criar formas de se manter competitiva e continuar a ganhar quota de mercado às suas congéneres.

Os cálculos da AFIA têm como base as Estatísticas do Comércio Internacional de Bens divulgadas a 10 de julho pelo INE – Instituto Nacional de Estatística.

 

Para mais informações consultar o ficheiro pdf neste link

 

Sobre a AFIA

  • A AFIA – Associação de Fabricantes para a Indústria Automóvel é a associação portuguesa que congrega e representa, nacional e internacionalmente, os fornecedores de componentes para a indústria automóvel.
  • A indústria de componentes para automóveis em Portugal agrega cerca de 350 empresas e emprega diretamente 62.000 pessoas. Fatura 12 mil milhões de Euros (ano 2022), com uma quota de exportação superior a 85%.
  • Em termos de importância na economia nacional, representa 5,3% do PIB, 9,1% do emprego da indústria transformadora, 11,1% do valor acrescentado bruto da indústria transformadora, 13,5% das exportações nacionais de bens transacionáveis e 16,6% do investimento total da indústria transformadora.

EXACT SYSTEMS | MotoBarometer 2023: moods in the Automotive Industry in Europe

The 7th edition of the opinion poll of representatives of the automotive industry in Europe “MotoBarometer 2023

Exact Systems, 28-06-2023


What are the greatest problems related to employment in the automotive industry right now? In which year will the prices of EVs catch up with those of internal combustion engines? Will solutions based on artificial intelligence, the Internet of Things, and the metaverse have a positive impact on the cars produced?

Exact Systems together with automotive representatives will soon try to answer these difficult questions.

The leader in quality control of automotive parts and one of the largest companies in the industry in Europe is conducting the 7th edition of the study “MotoBarometer 2023: moods in the automotive industry in Europe”. Last year, almost 1000 representatives of production plants from as many as 11 countries participated in the study: Poland, Belgium, the Czech Republic, Spain, the Netherlands, Germany, Slovakia, Romania, Hungary, Portugal and Turkey.

The aim of the study is to obtain information about the condition of the automotive industry, in particular about production, employment and prospects for automotive. The survey is anonymous and its results will be presented in aggregate form.

How to take part in the study?

All you need to do is complete a short online survey – it only takes a few minutes to answer. As a thank you for completing the questionnaire, all respondents will receive a full report with the results. The study will last until July 07 this year, and the report will be available this fall!

Link to the survey:

The previous editions of the “MotoBarometr” report can be downloaded from the website:

 

https://motobarometer.com/en/

 

We invite you to participate in the survey!

 

***
Exact Systems is an international group that provides flexible solutions in the field of production, quality and logistics. The company’s offer is available in 13 countries where the group has its representative offices: Poland, the Czech Republic, Germany, Slovakia, Turkey, Romania, France, Hungary, Belgium, the Netherlands, Portugal, Spain and China.

The group’s customers include companies from the automotive, electronics and household appliances, medical and cosmetic industries, as well as logistics centres, including those operating in the e-commerce space.

Read more www.exactsystems.com

 

 

AFIA | Exportações de componentes automóveis crescem consecutivamente há um ano

As exportações de componentes automóveis registam, no mês de abril, um crescimento de 26,9% face ao mesmo mês de 2022.

in AFIA, 12-06-2023


As exportações de componentes automóveis atingiram em abril os 899 milhões de euros, registando assim uma subida de 26,9% face ao mesmo mês de 2022, o que se compara com uma diminuição de 3,6% do total das exportações nacionais de bens. Assim, destaca-se que as exportações de componentes para automóveis, estão desde o início do ano, com um ritmo de crescimento superior face às exportações nacionais de bens. De acordo com os dados recolhidos pela AFIA – Associação de Fabricantes para a Indústria Automóvel, este crescimento de dois dígitos, representa uma subida pelo décimo segundo mês consecutivo.

No que se refere ao acumulado até abril as exportações de componentes automóveis alcançaram os 3945 milhões de euros, o que se traduz num acréscimo de 22,5% face ao mesmo período de 2022.

Importante realçar que 70% das exportações portuguesas de componentes automóveis continuam a pertencer ao top 5 de países, composto por Espanha, Alemanha, França, Eslováquia e Estados Unidos da América, durante o ano de 2023.

Espanha, continua a ser o principal cliente dos componentes fabricados em Portugal, com vendas de 1123 milhões de euros, seguida pela Alemanha com 887 milhões de euros. Na terceira posição encontramos a França, com 441 milhões de euros, enquanto a quarta posição pertence à Eslováquia com 175 milhões. As vendas de 150 milhões de euros aos Estados Unidos da América fecham o top 5.

Destaque-se que as exportações para quatro destes cinco países voltam a aumentar relativamente ao ano anterior. Assim, as exportações para Espanha aumentaram 21% relativamente ao ano de 2022, Alemanha apresenta-se com um crescimento de 29,5% e as exportações para França, 3.º país cliente, cresceram 24,2%. A Eslováquia registou um aumento de 29,4% em relação a 2022.

Por outro lado, os EUA continuam a registar uma queda, agora de 15,5%, nas importações de componentes automóveis provenientes de Portugal, no que se refere ao período homólogo de 2022 mantendo-se como 5º país cliente.

Os problemas nas cadeias de abastecimentos continuam a afetar toda a indústria automóvel com a falta de chips e componentes eletrónicos, todavia é de destacar que a indústria portuguesa de componentes para automóveis tem conseguido manter uma forte resiliência e criar formas de continuar a competir com as suas congéneres para ganhar quota de mercado.

Os cálculos da AFIA têm como base as Estatísticas do Comércio Internacional de Bens divulgadas a 9 de junho pelo INE – Instituto Nacional de Estatística.

 

Para mais informações consultar o ficheiro pdf neste link

 

Sobre a AFIA

  • A AFIA – Associação de Fabricantes para a Indústria Automóvel é a associação portuguesa que congrega e representa, nacional e internacionalmente, os fornecedores de componentes para a indústria automóvel.
  • A indústria de componentes para automóveis em Portugal agrega cerca de 350 empresas e emprega diretamente 62.000 pessoas. Fatura 12 mil milhões de Euros (ano 2022), com uma quota de exportação superior a 85%.
  • Em termos de importância na economia nacional, representa 5,3% do PIB, 9,1% do emprego da indústria transformadora, 11,1% do valor acrescentado bruto da indústria transformadora, 13,5% das exportações nacionais de bens transacionáveis e 16,6% do investimento total da indústria transformadora.

 

AFIA – Comunicado de Imprensa | Volkswagen Autoeuropa – chegada de modelo híbrido em 2025

Volkswagen Autoeuropa – chegada de modelo híbrido em 2025

Segundo notícias publicadas no dia 5 de junho na imprensa a “Autoeuropa vai produzir modelo híbrido a partir de 2025”.

in AFIA, 06-06-2023


A concretizar-se este novo modelo para a Volkswagen Autoeuropa, a AFIA – Associação de Fabricantes para a Indústria Automóvel congratula-se e manifesta a sua satisfação por este reconhecimento, que demonstra a capacidade de acolhermos investimentos estrangeiros num setor altamente competitivo de escala global.

A AFIA acredita que com este novo modelo, a ser fabricado no nosso país, haverá um novo impulso na Indústria Automóvel portuguesa, que muito será valorizada se for aproveitada a oferta das Indústria de Componentes Nacional.

A AFIA está em contacto permanente com todas as entidades que têm poder para influenciar o sector, sensibilizando-as para as potencialidades desta indústria e incentivando-as no sentido das intervenções possíveis e desejáveis.

A AFIA promove o crescimento, a competitividade, a internacionalização e as exportações das empresas nacionais, apoia compradores estrangeiros a encontrar fornecedores portugueses e apoia os investidores estrangeiros no início e na integração de novas atividades em Portugal, tendentes a alargar a base industrial portuguesa e a reforçar o sector.

As empresas da indústria de componentes para automóveis, representada pela AFIA, têm procurado manter um nível competitivo adequado, com o objetivo de manter um posicionamento relevante no mercado da Indústria Automóvel. A possibilidade de podermos fornecer componentes a uma fábrica da Volkswagen, de um player tão importante, é um desafio e muito ajudará a sustentar o crescimento do cluster, da economia nacional.


Sobre a AFIA

A AFIA – Associação de Fabricantes para a Indústria Automóvel é a associação portuguesa que congrega e representa, nacional e internacionalmente, os fornecedores de componentes para a indústria automóvel.

A indústria de componentes para automóveis em Portugal agrega cerca de 350 empresas e emprega diretamente 62.000 pessoas. Fatura 12 mil milhões de Euros (ano 2022), com uma quota de exportação superior a 85%.

Em termos de importância na economia nacional, representa 5,3% do PIB, 9,1% do emprego da indústria transformadora, 11,1% do valor acrescentado bruto da indústria transformadora, 13,5% das exportações nacionais de bens transacionáveis e 16,6% do investimento total da indústria transformadora.

 

 

AFIA | Crescimento das exportações de componentes automóveis é superior à restante indústria nacional

As exportações de componentes automóveis registam, no mês de março, um crescimento de 35,8% face ao mesmo mês de 2022.

in AFIA, 10-05-2023


As exportações de componentes automóveis atingiram em março os 1107 milhões de euros, registando assim uma subida de 35,8% face ao mesmo mês de 2022, o que significa um crescimento maior do que as exportações nacionais. De acordo com os dados recolhidos pela AFIA – Associação de Fabricantes para a Indústria Automóvel, este crescimento de dois dígitos, representa uma subida pelo décimo primeiro mês consecutivo.

No que se refere ao acumulado até março as exportações de componentes automóveis alcançaram os 3053 milhões de euros, o que se traduz num acréscimo de 22,2% face ao primeiro trimestre de 2022.

Importante realçar que 71% das exportações portuguesas de componentes automóveis continuam a pertencer ao top 5 de países, composto por Espanha, Alemanha, França, Eslováquia e Estados Unidos da América, durante o ano de 2023.

Espanha, com vendas de 891 milhões de euros, continua a ser o principal cliente dos componentes fabricados em Portugal, seguida pela Alemanha com 676 milhões de euros. Na terceira posição encontramos a França, com 350 milhões de euros, enquanto a quarta posição pertence à Eslováquia com 134 milhões, fechando-se o top 5 com Estados Unidos da América com 111 milhões de euros.

Destaque-se que as exportações para quatro destes cinco países aumentaram relativamente ao ano anterior. Assim, as exportações para Espanha aumentaram 20% relativamente ao ano de 2022, Alemanha apresenta-se com um crescimento de 28,5% e as exportações para França, 3.º país cliente, cresceram 25,4%. A Eslováquia registou um aumento de 29% em relação a 2022, voltando a surpreender com o maior crescimento dos cincos principais mercados.

Por outro lado, os EUA continuam a registar uma queda, agora de 16,3%, nas importações de componentes automóveis provenientes de Portugal, no que se refere ao período homólogo de 2022 mantendo-se como 5º país cliente.

A situação mundial e a inflação dos custos relacionadas com os transportes, energia e matérias-primas, são fatores que continuam a promover uma incerteza neste e outros setores em termos mundiais, mas é importante destacar que a indústria portuguesa de componentes para automóveis tem conseguido manter uma forte resiliência e criar formas de continuar a competir com as suas congéneres para ganhar quota de mercado.

Os cálculos da AFIA têm como base as Estatísticas do Comércio Internacional de Bens divulgadas a 10 de maio pelo INE – Instituto Nacional de Estatística.

 

Para mais informações consultar o ficheiro pdf neste link

 

 


 

Sobre a AFIA

A AFIA – Associação de Fabricantes para a Indústria Automóvel é a associação portuguesa que congrega e representa, nacional e internacionalmente, os fornecedores de componentes para a indústria automóvel.

A indústria de componentes para automóveis em Portugal agrega cerca de 350 empresas e emprega diretamente 62.000 pessoas. Fatura 12 mil milhões de Euros (ano 2022), com uma quota de exportação superior a 85%.

Em termos de importância na economia nacional, representa 5,3% do PIB, 9,1% do emprego da indústria transformadora, 11,1% do valor acrescentado bruto da indústria transformadora, 13,5% das exportações nacionais de bens transacionáveis e 16,6% do investimento total da indústria transformadora.

 

 

AFIA | Décimo mês consecutivo de subida das exportações de componentes automóveis

As exportações de componentes automóveis registam no mês de fevereiro, um crescimento de 14,5%, atingindo os 954 milhões de euros.

in AFIA, 10-04-2023


As exportações de componentes automóveis atingiram em fevereiro os 954 milhões de euros, registando assim uma subida de 14,5% face ao mesmo mês de 2022. De acordo com os dados recolhidos pela AFIA – Associação de Fabricantes para a Indústria Automóvel, este crescimento de dois dígitos, representa uma subida pelo décimo mês consecutivo.

No que se refere ao acumulado até fevereiro as exportações de componentes automóveis alcançaram os 1.946 milhões de euros, o que se traduz num acréscimo de 15,6% face ao período de janeiro a fevereiro de 2022.

Importante realçar que 71% das exportações portuguesas de componentes automóveis continuam a pertencer ao top 5 de países, composto por Espanha, Alemanha, França, Eslováquia e Estados Unidos da América, durante o ano de 2023.

Espanha continua a ser o principal cliente dos componentes fabricados em Portugal com vendas de 588 milhões de euros, seguida pela Alemanha com 420 milhões de euros. Na terceira posição encontramos a França, com 221 milhões de euros, enquanto a quarta posição pertence à Eslováquia com 82 milhões, seguindo-se os Estados Unidos da América na última posição do top 5, com 71 milhões de euros.

Destaque-se que as exportações para quatro destes cinco países aumentaram relativamente ao ano anterior. Assim, as exportações para Espanha aumentaram 9,7% relativamente ao ano de 2022, Alemanha apresentou um crescimento de 24,9% face a 2022 e as exportações para França, 3.º país cliente, cresceram 12,1%. Eslováquia continua a surpreender, depois de no mês passado ter substituído o Reino Unido neste top 5, volta a representar o 4.º mercado cliente das exportações dos componentes automóveis produzidos em Portugal, com uma subida de 16,2%.

Notícias menos boas apresenta o mercado dos EUA que, tal como no mês anterior, volta a registar uma queda, agora de 12,6% relativo ao período homólogo mantendo-se como 5º país cliente.

A situação mundial e a inflação dos custos relacionadas com os transportes, energia e matérias-primas, são fatores que continuam a promover uma incerteza neste e outros setores em termos mundiais, mas é importante destacar que a indústria portuguesa de componentes para automóveis tem conseguido manter uma forte resiliência e criar formas de continuar a competir com as suas congéneres para ganhar quota de mercado.

Os cálculos da AFIA têm como base as Estatísticas do Comércio Internacional de Bens divulgadas a 10 de abril pelo INE – Instituto Nacional de Estatística.

 

Para mais informações consultar o ficheiro pdf neste link

 


 

Sobre a AFIA

A AFIA – Associação de Fabricantes para a Indústria Automóvel é a associação portuguesa que congrega e representa, nacional e internacionalmente, os fornecedores de componentes para a indústria automóvel.

A indústria de componentes para automóveis em Portugal agrega cerca de 350 empresas e emprega diretamente 62.000 pessoas. Fatura 12 mil milhões de Euros (ano 2022), com uma quota de exportação superior a 85%.

Em termos de importância na economia nacional, representa 5,3% do PIB, 9,1% do emprego da indústria transformadora, 11,1% do valor acrescentado bruto da indústria transformadora, 13,5% das exportações nacionais de bens transacionáveis e 16,6% do investimento total da indústria transformadora.

 

###

 

 

AFIA | Exportações de componentes automóveis sobem pelo nono mês consecutivo

A manter o seu ritmo de recuperação, as exportações de componentes automóveis registam no mês de janeiro uma subida de 16,6%, relativamente a 2022, atingindo os mil milhões de euros.

in AFIA, 13-03-2023


De acordo com os dados recolhidos pela AFIA – Associação de Fabricantes para a Indústria Automóvel, as exportações de componentes automóveis continuam a subir pelo nono mês consecutivo e mantêm, no mês de janeiro, um registo de recuperação, atingindo os 1000 milhões de euros. Este valor representa uma subida de 16,6% relativamente ao mesmo mês de 2022.

No que se refere às exportações de componentes automóveis por país, Espanha continua a ser o principal cliente dos componentes fabricados em Portugal com vendas de 306 milhões de euros, seguida pela Alemanha com 208 milhões de euros. Na terceira posição encontramos a França, com 118 milhões de euros , enquanto a quarta posição pertence à Eslováquia com 43 milhões, seguindo-se os Estados Unidos da América na última posição do top 5, com 37 milhões de euros. Estes cinco países representam 72% das exportações portuguesas de componentes automóveis.

De destacar positivamente que as exportações para quase todos os países do top 5 aumentaram relativamente ao ano de 2022, com a exceção dos Estados Unidos da América. As exportações de Espanha, o principal cliente dos componentes fabricados em Portugal, aumentaram 8,4% relativamente ao ano de 2022, enquanto para a Alemanha aumentaram 29% e os valores de França tiveram um crescimento de 14,2%. Por último, destaca-se a entrada no top 5 por parte da Eslováquia, como 4.º mercado cliente das exportações dos componentes automóveis produzidos em Portugal, depois dos seus valores terem aumentado 18,6%, face ao ano de 2022.

De uma forma menos positiva, realça-se a queda de 13,4% das exportações para os Estados Unidos da América, levando-os para o 5.º lugar do top de países clientes.

De assinalar que as empresas portuguesas têm sido obrigadas a gerir de uma forma constante toda a incerteza que se vive em termos mundiais, quer em relação à difícil situação geopolítica determinada pela guerra na Ucrânia quer pela tensão entre os EUA e a China. Fator também condicionante para toda esta incerteza, é a contínua escassez de semicondutores, assim como a inflação dos custos relacionadas com os transportes, energia e matérias-primas, que obrigam à interrupção das cadeias de abastecimento.

A indústria portuguesa de componentes para automóveis tem conseguido oferecer soluções para dar forma à mobilidade do futuro – inteligente e com baixas emissões de carbono -, contudo, a AFIA mantém a sua preocupação na capacidade futura das empresas nacionais conseguirem manter esta resiliência e serem capazes de continuar a competir com as suas congéneres, manter a expressão nos clientes e progredirem no processo de ganhar quota de mercado.

Os cálculos da AFIA têm como base as Estatísticas do Comércio Internacional de Bens divulgadas a 13 de março pelo INE – Instituto Nacional de Estatística.

 

Para mais informações consultar o ficheiro pdf neste link

 

 

 


Sobre a AFIA
A AFIA – Associação de Fabricantes para a Indústria Automóvel é a associação portuguesa que congrega e representa, nacional e internacionalmente, os fornecedores de componentes para a indústria automóvel.
A indústria de componentes para automóveis em Portugal agrega cerca de 350 empresas e emprega diretamente 62.000 pessoas. Fatura 12 mil milhões de Euros (ano 2022), com uma quota de exportação superior a 80%.
Em termos de importância na economia nacional, representa 5,3% do PIB, 9,1% do emprego da indústria transformadora, 11,1% do valor acrescentado bruto da indústria transformadora, 13,5% das exportações nacionais de bens transacionáveis e 16,6% do investimento total da indústria transformadora.

 

 

AFIA Mostra Desagrado com Medidas Introduzidas pela Assembleia da República à Legislação do Trabalho

AFIA Mostra Desagrado com Medidas Introduzidas pela Assembleia da República à Legislação do Trabalho

A AFIA enviou ontem uma Carta ao Primeiro-Ministro António Costa e ao Ministro da Economia e do Mar, António Costa Silva, mostrando o seu desagrado para com a aprovação da Agenda do Trabalho Digno no Parlamento

in AFIA, 01-03-2023


Na sequência dos contactos recebidos dos nossos Associados, onde manifestavam o forte desagrado pelas medidas introduzidas pela Assembleia da República à legislação de trabalho, a AFIA – Associação de Fabricantes para a Indústria Automóvel enviou ao Governo uma carta onde traduzia o protesto das empresas produtoras de componentes para a Indústria Automóvel. Com esta decisão de não fazer passar estas alterações pela Concertação Social, por não discutir estes assuntos com as Associações Empresariais, como era suposto, torna difícil explicar ao tecido empresarial, nacional e externo, a razoabilidade, a oportunidade e o enquadramento num plano europeu.

As empresas ligadas a esta Indústria têm como preocupação principal a competitividade e consideram que algumas das medidas apresentadas e aprovadas na Agenda do Trabalho Digno no Parlamento, não ajudam a manter este desígnio. É neste contexto que a AFIA decidiu escrever para alertar para o intenso acentuar do ónus que as alterações à legislação laboral fazem recair sobre as empresas, nomeadamente nas novas exigências na dispensa de trabalhadores em período experimental, nas restrições ao trabalho temporário e à sucessão de contratos a termo, na proibição de recurso ao “outsourcing” para satisfazer as mesmas necessidades de um trabalhador despedido até doze meses antes, etc.

Diz ainda a AFIA que está preocupada com as relações laborais num futuro próximo, por isso não pode deixar de o expressar, por ser esse o “sentimento dos seus Associados que preconizam todos os dias a vontade de serem melhores e ombrearem com os seus competidores europeus.

 


 

Sobre a AFIA
A AFIA – Associação de Fabricantes para a Indústria Automóvel é a associação portuguesa que congrega e representa, nacional e internacionalmente, os fornecedores de componentes para a indústria automóvel.
A indústria de componentes para automóveis em Portugal agrega cerca de 350 empresas e emprega diretamente 62.000 pessoas. Fatura 12 mil milhões de Euros (ano 2022), com uma quota de exportação superior a 80%.
Em termos de importância na economia nacional, representa 5,3% do PIB, 9,1% do emprego da indústria transformadora, 11,1% do valor acrescentado bruto da indústria transformadora, 14,9% das exportações nacionais de bens transacionáveis e 16,6% do investimento total da indústria transformadora.

 

 

AFIA | Exportações de componentes automóveis ultrapassam os 10 mil milhões de euros em 2022, recorde absoluto

As exportações de componentes automóveis mantêm o seu ritmo de recuperação e ultrapassaram pela primeira vez a barreira dos 10 mil milhões de euros, em 2022. Um acréscimo de 7,6% face ao período janeiro a dezembro de 2021.

in AFIA, 09-02-2023


A AFIA – Associação de Fabricantes para a Indústria Automóvel anuncia que as exportações de componentes automóveis terminaram o ano de 2022 a subir, tendo ultrapassado o valor produzido e faturado em 2019. Esta tendência de crescimento tem-se vindo a registar nos últimos oito meses, atingindo no mês de dezembro os 722 milhões de euros. Este valor representa uma subida de 15,9% relativamente ao mesmo mês de 2021.

No 4.º trimestre de 2022 venderam-se ao exterior 2.719 milhões de euros. Um aumento de 18,6% face ao período outubro a dezembro de 2021. Assim, no ano de 2022 as exportações de componentes automóveis ultrapassaram pela primeira vez a barreira dos 10 mil milhões de euros – record absoluto – o que significa um acréscimo de 7,6% face ao período compreendido entre janeiro a dezembro de 2021.

Já no que diz respeito às exportações de componentes automóveis por país, o top 5 dos principais países continua a representar 70% das exportações portuguesas de componentes automóveis. Espanha mantém-se na primeira posição com vendas de 2.775 milhões de euros (+1,1%), seguida pela Alemanha com 2.347 milhões de euros (+20,2%). Na terceira posição continua a França, com 1024 milhões de euros (-6,6%), seguida dos Estados Unidos da América com 613 milhões de euros (+21,8%) e, finalmente, na quinta posição temos o Reino Unido, com 402 milhões de euros (-9,3%).

O comportamento das exportações para a Alemanha, o segundo país cliente dos componentes fabricados em Portugal, que aumentaram 20,2 % relativamente a 2021, continua a merecer destaque positivo, assim como as exportações de Espanha, principal cliente dos componentes fabricados em Portugal, aumentaram 1,1% relativamente a 2021. Por último, destacamos ainda os EUA, que continua a ser o 4º mercado cliente das exportações de componentes automóveis produzidos em Portugal registando também um aumento de 21,8%.

De uma forma menos positiva, temos de realçar que as exportações para França, apesar de manter o seu lugar como o terceiro país cliente dos componentes automóveis fabricados em Portugal, diminuíram 6,6% face a 2021. Também as exportações para o Reino Unido continuam em queda, tendo caído 9,3%, relativamente ao ano anterior.

2023 será um ano de constante desafio, pois continuamos a viver momentos de incerteza mundial devido à difícil situação geopolítica determinada pela guerra na Ucrânia e a tensão entre os EUA e a China. Continuamos também a assistir à escassez de semicondutores, assim como à inflação dos custos relacionadas com os transportes, energia e matérias-primas, que obrigam à interrupção das cadeias de abastecimento.

Todos estes fatores obrigam as empresas a gerir de uma forma constante toda esta incerteza, que acaba por acontecer dentro de um contexto, especialmente exigente, de dupla transição – digital e energética.

Apesar de tudo, a Indústria Portuguesa de Componentes Automóveis tem revelado um desempenho acima da produção automóvel na Europa, tendo entre 2015-2021 registado um crescimento de +4,2% ao ano, o que compara com um decréscimo médio anual de -4,4% da produção automóvel na Europa. Esta performance só é possível pela capacidade de resiliência, competência e fiabilidade continuadamente demonstradas pela indústria junto dos clientes internacionais. Refira-se que 98% dos carros produzidos na Europa têm pelo menos um componente fabricado em Portugal.

A indústria portuguesa de componentes para automóveis oferece soluções para dar forma à mobilidade do futuro, inteligente e com baixas emissões de carbono. Contudo, a AFIA mantém a sua preocupação na capacidade futura das empresas nacionais conseguirem manter esta resiliência e serem capazes de continuar a competir com as suas congéneres, manter a expressão nos clientes e progredirem no processo de ganhar quota de mercado.

Os cálculos da AFIA têm como base as Estatísticas do Comércio Internacional de Bens divulgadas a 09 de fevereiro pelo INE – Instituto Nacional de Estatística.

 

Para mais informações consultar o ficheiro pdf neste link

 

 

Sobre a AFIA
A AFIA – Associação de Fabricantes para a Indústria Automóvel é a associação portuguesa que congrega e representa, nacional e internacionalmente, os fornecedores de componentes para a indústria automóvel.
A indústria de componentes para automóveis em Portugal agrega cerca de 350 empresas e emprega diretamente 62.000 pessoas. Fatura 11,2 mil milhões de Euros (ano 2021), com uma quota de exportação superior a 80%.
Em termos de importância na economia nacional, representa 5,3% do PIB, 9,1% do emprego da indústria transformadora, 11,1% do valor acrescentado bruto da indústria transformadora, 14,9% das exportações nacionais de bens transacionáveis e 16,6% do investimento total da indústria transformadora.

 

 

AFIA | Exportações de componentes automóveis, em novembro, atingem os mil milhões de euros

As exportações de componentes automóveis mantêm o seu ritmo de recuperação e ultrapassam os mil milhões de euros, ao registar no mês de novembro uma subida de 13,3%, relativamente a 2021.

De acordo com os dados recolhidos pela AFIA – Associação de Fabricantes para a Indústria Automóvel, as exportações de componentes automóveis mantêm, no mês de novembro, um registo de recuperação, tendo superado os mil milhões de euros. Este valor representa uma subida de 13,3% relativamente ao mesmo mês de 2021 e, consequentemente, um aumento pelo sétimo mês consecutivo.

No que se refere ao acumulado até novembro, as exportações de componentes automóveis alcançaram os 9,5 mil milhões de euros, o que significa um aumento de 7% face ao período compreendido entre janeiro e novembro de 2021.

Já no que diz respeito às exportações de componentes automóveis por país, Espanha continua na primeira posição com vendas de 2.587 milhões de euros (+0,7%), seguida pela Alemanha com 2.168 milhões de euros (+19,5%). Na terceira posição continua a França, com 961 milhões de euros (-6,4%), os Estados Unidos da América estão no quarto lugar com 569 milhões de euros (+24,8%) e, finalmente, na quinta posição surge o Reino Unido, com 379 milhões de euros (-9,5%). Este top 5 de países continua a representar 70% das exportações portuguesas de componentes automóveis.

O comportamento das exportações para a Alemanha, o segundo país cliente dos componentes fabricados em Portugal, que aumentaram 19,5% relativamente aos primeiros onze meses de 2021, continua a merecer destaque positivo, assim como as exportações de Espanha, principal cliente dos componentes fabricados em Portugal, que voltaram a aumentar 0,7% relativamente ao acumulado até novembro do ano anterior. Por último, destacamos ainda os EUA, que continua a ser o 4º mercado cliente das exportações de componentes automóveis produzidos em Portugal, e que registaram também um aumento de 24,8%.

De uma forma menos positiva, temos de realçar que as exportações para França, apesar de manter o seu lugar como o terceiro país cliente dos componentes automóveis fabricados em Portugal, diminuíram 6,4% face aos onze primeiros meses do ano passado. Também as exportações para o Reino Unido continuam em queda contínua, tendo caído 9,5%, entre janeiro e novembro de 2022.

Continuamos a realçar que existe um ambiente de grande complexidade no que respeita ao planeamento da produção quer pelas razões apontadas em comunicações anteriores – como é para a situação geopolítica, determinada pela guerra na Ucrânia e a tensão entre os EUA e a China; as disrupções nas cadeias de abastecimento; a escassez de semicondutores e outras matérias-primas; a inflação dos custos das matérias-primas, energia e transporte – ao que agora temos que somar as incertezas de abastecimento, consequentes das paragens de produção na China devido à vaga pandémica que afeta este país. As empresas associadas da AFIA manifestam preocupação e há um acréscimo de incerteza evidente, que exige toda a concentração no processo de gestão e em muitos casos a adiar os planos de investimentos, que como vimos dizendo é exigente para as empresas se manterem competitivas,

Os cálculos da AFIA têm como base as Estatísticas do Comércio Internacional de Bens divulgadas a 09 de janeiro pelo INE – Instituto Nacional de Estatística.

 

Para mais informações consultar o ficheiro pdf neste link