Catraport obtained the Ecovadis Silver Medal 2021

Another great result obtained by one of our plants in the sustainability Ecovadis assesment.

in CATRAPORT, 24-09-2021


Catraport LDA, site in Portugal, obtained the Ecovadis Silver Medal 2021 with a result better than the 73% of all other companies registered in this platform.

The assessment framework is covering 21 Corporate Social Responsibility criteria (from CO2 emissions to “child labor” and “business ethics”) aligned with GRI G3, Global Compact, and ISO 26000. The EcoVadis methodology is supervised by an international scientific committee.

This is another small step in our way to sustainability improvement, and is only a part of our new corporate sustainability project.

Congratulations to CATRAPORT and to all its staff.

https://www.p-cautomotive.com/en/

 

Stellantis and TotalEnergies welcome Mercedes-Benz as a new partner of Automotive Cells Company (ACC) and raise its capacity plan to at least 120 GWh by 2030

  • Mercedes-Benz becomes an equal shareholder of ACC along with Stellantis and TotalEnergies, each with 1/3 equity stake 
  • Mercedes-Benz to provide technology and production know-how to Automotive Cells Company (ACC).
  • The partners will accelerate ACC’s development with an objective of at least 120 GWh of cell capacity by 2030

in Stellantis, 24-09-2021


Paris, 24 September 2021 – Stellantis, TotalEnergies and Mercedes-Benz have entered into agreements to welcome Mercedes-Benz as a new partner of Automotive Cells Company (ACC). Following its entry, the partners commit to increase ACC’s industrial capacity to at least 120 GWh by 2030. The transaction is subject to agreement on definitive documentation and customary closing conditions, including regulatory approvals.

ACC results from the initiative taken in 2020 by Stellantis and TotalEnergies and supported by the French, German and European authorities, to create a European battery champion for electric vehicles. The entry of Mercedes-Benz in ACC is a clear demonstration of the industrial progress and of the merits of the project, which it will strengthen.

ACC’s objective is to develop and produce battery cells and modules for electric vehicles with a focus on safety, performance and competitiveness, while ensuring the highest level of quality and the lowest carbon footprint. The updated ACC capacity plan will mobilize an investment of more than seven billion euros, which will be supported by subsidies and financed by equity and debt. The creation of this European battery champion will support Europe to address the challenges of the energy transition in mobility, ensure its security of supply of a key component for the electric car industry.

ACC will be supported by a winning trio of partners that combine:

  • A deep technological expertise in battery development with Saft, an affiliate of TotalEnergies, which has more than 100 years of experience in the field of long-life batteries and battery systems.
  • A leading global mobility player with Stellantis that has a clear mission to provide cutting-edge technology to ensure freedom of movement for all through distinctive, appealing, affordable and sustainable mobility solutions.
  • The research and development expertise of Mercedes-Benz, along with its support to the expansion of ACC’s production facilities based on the brand’s benchmark quality standards.

“To have Mercedes-Benz join us as a new shareholder is a major milestone for ACC,” says Yann Vincent, CEO of ACC. “Mercedes-Benz will bring a vote of confidence in our technology roadmap and product competitiveness that significantly strengthens ACC’s business potential and underpins our ambitious growth plans. This is our contribution to an electric and sustainable future.”

“Mercedes-Benz pursues a very ambitious transformation plan and this investment marks a strategic milestone on our path to CO2 neutrality. Together with ACC, we will develop and efficiently produce battery cells and modules in Europe – tailor-made to the specific Mercedes-Benz requirements,” says Ola Källenius, CEO of Daimler AG and Mercedes-Benz AG. “This new partnership allows us to secure supply, to take advantage of economies of scale, and to provide our customers with superior battery technology. On top of that, we can help to ensure that Europe remains at the heart of the auto industry – even in an electric era. With Mercedes-Benz as a new partner, ACC aims to more than double capacity at its European sites to support Europe’s industrial competitiveness in the design and manufacturing of battery cells.”

“We welcome Mercedes-Benz as a strategic partner who shares our ambition to accelerate ACC’s leadership,” said Stellantis CEO Carlos Tavares. “Stellantis’ electrification strategy is running full-speed ahead, and today’s announcement is the next step in our plan to be the automotive frontrunner, with all 14 brands committed to offering best-in-class fully electrified solutions that meet demands of customers. This consortium leverages our shared technical expertise and manufacturing synergies, and continues to ensure that Stellantis leads the way the world moves in the most efficient, affordable and sustainable way.”

“We are delighted to welcome Mercedes-Benz as a new partner of ACC. This demonstrates the credibility of our initiative taken a year ago with Stellantis and will clearly support our ambition to create a European battery champion. Together, we are bringing all our skills to contribute to the sustainable development of mobility. This new step is another demonstration of TotalEnergies transformation into a broad energy company and of our willingness to extend our footprint in electric mobility. TotalEnergies will draw on the recognized expertise of its subsidiary Saft in batteries and on the industrial know-how of our partners to meet the strong growth of electric vehicles in Europe”, said Patrick Pouyanné, TotalEnergies’ Chairman and CEO.

 

About ACC
Automotive Cells Company (ACC) was founded in August 2020 and to date combines the expertise of three major companies with complementary skills and experience. ACC’s ambition is to become the European market leader for car batteries that allow clean and efficient mobility for all. The R&D Center and testing facilities in Nouvelle-Aquitaine are just the beginning. 


About Mercedes-Benz
Mercedes-Benz AG is responsible for the global business of Mercedes-Benz Cars and Mercedes-Benz Vans, with over 170,000 employees worldwide. The company focuses on the development, production and sales of passenger cars, vans and vehicle-related services. Furthermore, the company aspires to be the leader in the fields of electric mobility and vehicle software. Mercedes-Benz AG is one of the world’s largest manufacturers of luxury passenger cars. In its two business segments, Mercedes-Benz AG is continually expanding its worldwide production network with around 35 production sites on four continents, while gearing itself to meet the requirements of electric mobility. At the same time, the company is constructing and extending its global battery production network on three continents.  


About Saft
Saft specializes in advanced technology battery solutions for industry, from the design and development to the production, customization and service provision. For more than 100 years, Saft’s longer-lasting batteries and systems have provided critical safety applications, back-up power and propulsion for our customers. Our innovative, safe and reliable technology delivers high performance on land, at sea, in the air and in space. Saft is powering industry and smarter cities, while providing critical back-up functionality in remote and harsh environments from the Arctic Circle to the Sahara Desert. Saft is a wholly owned subsidiary of TotalEnergies, a broad energy group that produces and markets fuels, natural gas and electricity.

We energize the world. www.saftbatteries.com

About Stellantis
Stellantis is one of the world’s leading automakers and a mobility provider, guided by a clear vision: to offer freedom of movement with distinctive, affordable and reliable mobility solutions. In addition to the Company’s rich heritage and broad geographic presence, its greatest strengths lie in its sustainable performance, depth of experience and the wide-ranging talents of employees working around the globe. Stellantis will leverage its broad and iconic brand portfolio, which was founded by visionaries who infused the marques with passion and a competitive spirit that speaks to employees and customers alike. Stellantis aspires to become the greatest, not the biggest, while creating added value for all stakeholders, as well as the communities in which it operates. 

 

About TotalEnergies
TotalEnergies is a broad energy company that produces and markets energies on a global scale: oil and biofuels, natural gas and green gases, renewables and electricity. Our 105,000 employees are committed to energy that is ever more affordable, clean, reliable and accessible to as many people as possible. Active in more than 130 countries, TotalEnergies puts sustainable development in all its dimensions at the heart of its projects and operations to contribute to the well-being of people. 

 

COVID-19 – Conheça as Medidas de Apoio às Empresas e Emprego

Conheça as medidas do Governo para apoio ao emprego e às empresas

 in AFIA, atualizado 23-09-2021, 16h30


Conselho de Ministros 23-09-2021 – apresentação

Tendo em conta a evolução da pandemia em Portugal e, sobretudo, do processo de vacinação, o Governo decidiu avançar para a próxima fase do Plano de Levantamento Gradual das Restrições, tal como previsto a 29 de julho, aquando da apresentação da estratégia.

Assim, e a partir de 1 de outubro – data em que se prevê que mais de 85% da população portuguesa esteja completamente vacinada contra a Covid-19 –, serão adotadas as seguintes medidas:

  • Abertura de bares e discotecas com certificado digital;
  • Restaurantes deixam de ter limite máximo de pessoas por grupo;
  • Fim da exigência de certificado digital para acesso a restaurantes, estabelecimentos turísticos ou alojamento local, bingos, casinos, aulas de grupo em ginásios, termas e spas;
  • Fim dos limites de lotação, designadamente para:
    • Casamentos e batizados;
    • Comércio;
    • Espetáculos culturais.
  • Obrigatoriedade de apresentação do Certificado Digital Covid UE para:
    • Viagens por via aérea ou marítima
    • Visitas a lares e estabelecimentos de saúde
    • Grandes eventos culturais, desportivos ou corporativos
    • Bares e discotecas

O uso da máscara é obrigatório em:

  • Transportes públicos
  • Lares
  • Hospitais
  • Salas de espetáculos e eventos
  • Grandes superfícies

 

 


 

Linha de Apoio à Tesouraria para Micro e Pequenas Empresas (14-09-2021)

Já foi publicada a portaria que regulamenta a linha de apoio à tesouraria para micro e pequenas empresas, de qualquer setor de atividade, que se encontrem em situação de crise empresarial.

Esta linha com uma dotação inicial de 100 milhões de euros a atribuir até 31 de dezembro, sob a forma de subsídio reembolsável, será gerida pelo IAPMEI.

 


Resolução do Conselho de Ministros n.º 114-A/2021 (20-08-2021)

Declara a situação de contingência no âmbito da pandemia da doença COVID-19

 


Prorrogação do Apoio Extraordinária à Retoma Progressiva da Atividade (atualizado 13-08-2021)

O Decreto-Lei n.º 71-A/2021 prorroga o apoio extraordinário à retoma progressiva da atividade.


Fundo de Capitalização de Empresas

O Governo criou o Fundo de Capitalização de Empresas, com uma dotação inicial de 320 milhões de euros, de acordo com o Decreto-Lei n.º 63/2021, hoje publicado em Diário da República.

O Fundo tem por objeto:

  • Aportar apoio público temporário para reforçar a solvência de sociedades comerciais que desenvolvam atividade em território nacional e que hajam sido afetadas pelo impacto da pandemia da doença COVID -19;
  • Apoiar o reforço de capital de sociedades comerciais em fase inicial de atividade ou em processo de crescimento e consolidação.

Sociedade comerciais elegíveis

  • As sociedades comerciais devem contribuir, designadamente, para a inovação empresarial, dinamização e internacionalização do tecido empresarial, descarbonização da economia em conformidade com as obrigações nacionais associadas à transformação ecológica e digital, ou outros atributos relevantes para a economia, cujos critérios específicos de elegibilidade devem ser regulados por despacho do membro do Governo responsável pela área da economia.

Investimentos em capital e quase capital

O Fundo pode investir através de:

  • Instrumentos de capital, incluindo ações ordinárias ou preferenciais;
  • Instrumentos de quase capital, incluindo obrigações convertíveis ou outros instrumentos híbridos;
  • Instrumentos de dívida, incluindo dívida subordinada; ou
  • Uma combinação dos instrumentos referidos nas alíneas anteriores.

 

 


Reajustamento do Calendário Fiscal para o 2.º semestre de 2021 – Declarações Periódicas de IVA e faturas em PDF (atualizado 27-07-2021)

  • Declarações periódicas do IVA
    • Quando esteja em causa o regime mensal, as declarações a entregar em setembro, outubro, novembro e dezembro de 2021 podem ser submetidas até dia 20 de cada mês;
    • Quando esteja em causa o regime trimestral, a declaração a entregar em novembro de 2021 pode igualmente ser submetida até dia 20 desse mês;
    • A entrega do imposto exigível que resulte das declarações periódicas a que se referem as alíneas anteriores pode ser efetuada até dia 25 de cada mês.
  • As faturas em PDF sejam consideradas faturas eletrónicas para todos os efeitos previstos na legislação fiscal, até 31 de dezembro de 2021.
  • Consulte aqui o Despacho n.º 260/2021-XXII

 


Ausência ao trabalho por vacinação COVID-19

A ACT – Autoridade para as Condições do Trabalho emitiu uma informação com a interpretação de que a falta ao trabalho para receber a vacina contra a Covid-19 é justificada e não determina perda de retribuição.

 


Declaração Modelo 22 e IES/Declaração Anual – Prorrogação de prazos

O Despacho n.º 240/2021-XXII, do Secretário de Estado Adjunto e dos Assuntos Fiscais, de 14 de julho de 2021, vem ajustar o calendário das obrigações fiscais a cumprir em 2021, sem quaisquer acréscimos ou penalidades para os sujeitos passivos.

  • Declaração Modelo 22 de IRC de 2020 | O prazo de entrega da declaração Modelo 22 referente ao período de tributação de 2020, e o pagamento do imposto devido, é prorrogado até 19 de julho de 2021.
  • IES/Declaração Anual de 2020 | O prazo de entrega da IES/DA referente a 2020 é prorrogado até 30 de julho de 2021.
  • Consulte aqui o Despacho n.º 240/2021-XXII

 


Prorrogação das medidas extraordinárias de apoio aos trabalhadores e às empresas

O Decreto-Lei n.º 56-A/2021 de 6 de Julho, prorroga medidas extraordinárias de apoio aos trabalhadores e às empresas, no âmbito da pandemia da doença COVID-19

 


Certificado Digital COVID

O Decreto-Lei n.º 54-A/2021 de 25 de Junho, executa na ordem jurídica interna o Regulamento (UE) 2021/953, relativo ao Certificado Digital COVID da UE

 


Recuperar Portugal

Recuperar Portugal é o novo site com toda a informação sobre o PRR – Plano de Recuperação e Resiliência português.

 


Nova Estratégia Nacional de Testes para Covid-19 (atualizado 22-06-2021)

A Direção-Geral da Saúde (DGS) atualizada a Norma n.º 019/2020, de 26/10/2020, relativa à Estratégia Nacional de Testes para SARS-CoV-2, em matéria de definição de critérios para rastreios laboratoriais, designadamente, em contexto laboral, e para eventos culturais, desportivos, corporativos e de natureza familiar. Procede ainda à clarificação do tipo de testes autorizados.

Aceda ao conteúdo:

 


Declaração Modelo 22, IES/Declaração Anual, Dossier Fiscal e Dossier de Preços de Transferência relativos a 2020 – Prorrogação de prazos

Despacho n.º 191/2021-XXII, do Secretário de Estado Adjunto e dos Assuntos Fiscais, de 15 de junho de 2021, vem ajustar o calendário das obrigações fiscais a cumprir em 2021, sem quaisquer acréscimos ou penalidades para os sujeitos passivos.

  • Declaração Modelo 22 de IRC de 2020  | O prazo de entrega da declaração Modelo 22 referente ao período de tributação de 2020, e o pagamento do imposto devido, é prorrogado até 16 de julho 2021.
  • IES/Declaração Anual de 2020 | O prazo de entrega da IES/DA referente a 2020 é prorrogado até 22 de julho 2021.
  • Dossier Fiscal de 2020 | O prazo de constituição ou entrega (quando aplicável) do Dossier Fiscal referente a 2020 é prorrogado até 22 de julho 2021.
  • Dossier de preços de transferência de 2020 O prazo de constituição ou entrega (quando aplicável) da documentação de preços de transferência referente a 2020 é prorrogado até 22 de julho 2021.

 

Consulte aqui o Despacho n.º 191/2021-XXII

 


Medida excecional de compensação ao aumento do valor da retribuição mínima mensal garantida (atualizado a 26-05-2021)

Foi publicado em Diário da República o Decreto-Lei n.º 37/2021 que cria uma medida excecional de compensação ao aumento do valor da retribuição mínima mensal garantida

Entrou em funcionamento a dia 26 de maio, no site do IAPMEI, a plataforma que vai permitir às empresas pedirem o pagamento do apoio que as compensa pelo último aumento do salário mínimo.

Este apoio é dirigido a todas as entidades empregadoras de direito privado com sede em território continental, bem
como a pessoas singulares, com um ou mais trabalhadores ao seu serviço que a 31 de dezembro de 2020 recebiam
como remuneração base o valor de retribuição mínima mensal garantida (RMMG), no valor de 635 EUR, ou cuja
remuneração base era superior a 635 EUR e abaixo de 665 EUR.

O valor do apoio é apurado de acordo com a situação dos trabalhadores, ou seja, a entidade empregadora recebe o
apoio no valor de:

  • 84,50 EUR por trabalhador que na declaração de dezembro de 2020 auferia o valor de remuneração base
    declarada equivalente à RMMG para 2020 (635 EUR);

e,

  • 42,25 EUR por trabalhador, caso a remuneração base declarada auferida pelo trabalhador a dezembro de 2020 seja superior à RMMG para 2020 e inferior à RMMG para 2021 (entre 635 EUR e 665 EUR).

O IAPMEI e o Turismo de Portugal são as entidades responsáveis pelo pagamento deste subsídio que abrange entidades empregadoras, independentemente da sua forma jurídica, bem como pessoas singulares, com um ou mais trabalhadores ao seu serviço.

Para poder beneficiar do apoio a entidade empregadora terá obrigatoriamente de proceder ao seu registo até ao dia 9 de julho.


Novo Incentivo à Normalização da Atividade Empresarial (atualizado a 19-05-2021)

Atribuição de um apoio financeiro por trabalhador que tenha sido abrangido, no primeiro trimestre de 2021, pelo apoio extraordinário à manutenção de contrato de trabalho ou pelo apoio extraordinário à retoma progressiva de atividade, a conceder pelo IEFP, IP, ao empregador na fase de regresso dos seus trabalhadores à prestação normal de trabalho e de normalização da atividade empresarial.

São destinatários do novo incentivo à normalização os empregadores de natureza privada, incluindo os do setor social, que tenham beneficiado, no primeiro trimestre de 2021, de, pelo menos, um dos seguintes apoios:

  • Apoio extraordinário à manutenção de contrato de trabalho, nos termos do artigo 2.º do Decreto-Lei n.º 6-E/2021, de 15 de janeiro, na sua redação atual;
  • Apoio extraordinário à retoma progressiva de atividade em empresas em situação de crise empresarial, com redução temporária do período normal de trabalho, nos termos do artigo 4.º do Decreto-Lei n.º 46-A/2020, de 30 de julho, na sua redação atual.

 

MAIS INFORMAÇÕES – PÁGINA DO IEFP

 


 

Apoio Simplificado para Microempresas à Manutenção dos Postos de Trabalho (atualizado a 19-05-2021)

Atribuição de um apoio financeiro, a conceder pelo IEFP, IP, às microempresas em situação de crise empresarial que tenham beneficiado, apenas em 2020, do apoio extraordinário à manutenção de contrato de trabalho ou do apoio extraordinário à retoma progressiva de atividade, tendo em vista a manutenção dos postos de trabalho e a atenuação de situações de crise empresarial.

São destinatários do apoio simplificado os empregadores de natureza privada, incluindo os do setor social, considerados microempresas em situação de crise empresarial, que tenham beneficiado, no ano de 2020 de, pelo menos, um dos seguintes apoios:

  • Apoio extraordinário à manutenção de contrato de trabalho, previsto no artigo 5.º do Decreto-Lei n.º 10-G/2020, de 26 de março, na sua redação atual;
  • Apoio extraordinário à retoma progressiva de atividade em empresas em situação de crise empresarial, com redução temporária do período normal de trabalho, previsto no artigo 4.º do Decreto-Lei n.º 46-A/2020, de 30 de julho, na sua redação atual.

 

MAIS INFORMAÇÕES – PÁGINA DO IEFP

 


Apoio à Retoma (Apoio Extraordinário à Retoma Progressiva de Atividade) atualizado 14-05-2021

Destina-se a entidades empregadoras que tenham sido afetados pela pandemia da doença COVID -19 e que se encontrem, consequentemente, em situação de crise empresarial, ou seja, com uma quebra de faturação igual ou superior a 25%.

O empregador pode aceder ao apoio extraordinário à retoma progressiva de atividade com redução temporária do período normal de trabalho de todos ou alguns dos seus trabalhadores.

A partir de janeiro de 2021, este apoio também abrange os membros de órgãos estatutários que exerçam funções de gerência, que constem das declarações de remunerações, e desde que o empregador tenha, pelo menos, um trabalhador por conta de outrem ao serviço.

 


Novo incentivo à normalização da atividade empresarial (atualizado a 14-05-2021)

A Portaria n.º 102-/2021 Regulamenta o novo incentivo à normalização da atividade empresarial, previsto no Decreto-Lei n.º 23-A/2021, de 24 de março, e o apoio simplificado para microempresas à manutenção dos postos de trabalho, previsto no Decreto-Lei n.º 46-A/2020, de 30 de julho

 

 


Regime do apoio extraordinário à retoma progressiva (atualizado a 12-05-2021)

O Decreto-Lei n.º 32/2021, altera o regime do apoio extraordinário à retoma progressiva em empresas em situação de crise empresarial com redução temporária do período normal de trabalho.

 


SIFIDE Sistema de Incentivos Fiscais à atividade de Investigação & Desenvolvimento Empresarial

Novo prazo de candidaturas relativas ao exercício fiscal de 2020

As empresas com atividades em investigação e desenvolvimento (I&D) têm agora mais um mês para recuperar parte desse investimento através da dedução à coleta de IRC.

A submissão de candidaturas ao SIFIDE, constante do número 3 do artigo 40.º do Código Fiscal do Investimento, poderá ser feita até ao final do 6.º mês do ano seguinte ao do período de 2020, sem quaisquer acréscimos ou penalidades.

As empresas podem submeter a sua candidatura relativa ao exercício fiscal de 2020 até ao dia 30 de junho de 2021.

A prorrogação do prazo de candidaturas ao SIFIDE foi determinada através de um Despacho conjunto emitido pelo Ministério da Economia e Transição Digital, pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, e pelo Ministério das Finanças, com data de 3 de maio de 2021.

Consulte mais informações sobre o SIFIDE

 


 

Modelo de Governação dos fundos europeu do Plano de Recuperação e Resiliência (atualizado a 04-05-2021)

O Decreto-Lei n.º 29-B/2021 estabelece o modelo de governação dos fundos europeus atribuídos a Portugal através do Plano de Recuperação e Resiliência.

 

 


 

Estrutura de Missão “Recuperar Portugal” (atualizado a 04-05-2021)

A Resolução do Conselho de Ministros n.º 46-B/2021 cria a Estrutura de Missão «Recuperar Portugal».

 

 


DGS | Orientação n.º 006/2020 de 26/02/2020 atualizada a 29/04/2021

Infeção por SARS-CoV-2 (COVID-19). Procedimentos de prevenção, controlo e vigilância em empresas


Apoio Excecional à Família para Trabalhadores por Conta De Outrem (atualizado a 23-04-2021)

  • A Segurança Social atualizou no seu site, a informação relativa ao Apoio Excecional à Família para Trabalhadores por Conta de Outrem e disponibiliza um simulador que permite apurar o valor da isenção do Pagamento de contribuições associada ao apoio adicional do Apoio Excecional à Família.

Mais informações: http://www.seg-social.pt/apoio-excecional-a-familia-para-trabalhadores-por-conta-de-outrem


Calendário de obrigações fiscais em 2021 – Ajustamento: IVA, IRC e aceitação de faturas em pdf (atualizado a 22-04-2021)

O Despacho n.º 133/2021-XXII, do Secretário de Estado Adjunto e dos Assuntos Fiscais, de 22 de abril de 2021, vem ajustar o calendário das obrigações fiscais a cumprir em 2021, sem quaisquer acréscimos ou penalidades para os sujeitos passivos.

  • IVA
    • Declaração periódica mensal de IVA referente a abril de 2021 – entrega até 20 de junho de 2021; pagamento do IVA devido até 25 de junho de 2021;
    • Declaração periódica mensal de IVA referente a maio de 2021 – entrega até 20 de julho de 2021; pagamento do IVA devido até 25 de julho de 2021.
  • Modelo 22 de IRC de 2020
    • O prazo de entrega da declaração Modelo 22 referente ao período de tributação de 2020, e o pagamento do imposto devido, é prorrogado até 30 de junho 2021.
  • Faturas em pdf
    • É prorrogado para 30 de setembro de 2021 o prazo de aceitação de faturas em PDF como fatura eletrónica para efeitos fiscais.

 

 


Plano de Recuperação e Resiliência – apresentação (atualizado a 16-04-2021)

O Primeiro-Ministro, António Costa e o Ministro do Planeamento, Nelson de Souza, apresentaram, 16 de Abril, a versão final do Plano de Recuperação e Resiliência em Coimbra.

 


Sessão de apresentação pública do Plano de Recuperação e Resiliência

 


 

Decreto-Lei n.º 26-C/2021, 1º Suplemento, Série I, de 13-04-2021

Procede à regulamentação do apoio extraordinário ao rendimento e à redução da atividade de trabalhador.


Medidas de apoio aos trabalhadores e empresas (atualizado a 07-04-2021)

A Lei n.º 15/2021, de 07 de Abril, altera o Decreto-Lei n.º 6-E/2021, de 15 de Janeiro (estabelece mecanismos de apoio no âmbito do estado de emergência), no sentido de:

  • determinar que para efeitos do cálculo do apoio conferido no âmbito do apoio extraordinário à redução de atividade económica do trabalhador independente e da medida extraordinária de incentivo à atividade profissional, é considerado o rendimento médio anual mensualizado do trabalhador no ano de 2019;
  • clarificar que os empresários em nome individual (ENI), sem contabilidade organizada e independentemente de terem trabalhadores a cargo, são efetivamente beneficiários da medida APOIAR + SIMPLES do Programa APOIAR, criado pela Portaria n.º 271-A/2020, de 24/11.

 

 


Medidas de apoio aos trabalhadores / faltas por assistência à família decorrentes de suspensões e interrupções letivas (atualizado a 07-04-2021)

A Lei n.º 16/2021, de 07 de Abril, altera o Decreto-Lei n.º 8-B/2021, de 22 de Janeiro (estabelece um conjunto de medidas de apoio no âmbito da suspensão das atividades letivas e não letivas presenciais), sendo as seguintes as principais alterações:

  1. Estabelece-se a proibição de anulação de matrícula ou cobrança de juros ou penalidades por falta ou atraso no pagamento das mensalidades quando os utentes demonstrem existir quebra do seu rendimento mensal.
  2. Determina-se nessas situações deve ser elaborado um plano de pagamento, por acordo entre a instituição e os utentes, podendo iniciar-se no 2º mês posterior ao da cessação das medidas, a requerimento do utente.
  3. Salvo acordo expresso do utente em sentido diferente, as prestações não podem exceder o montante mensal de 1/12 do valor em dívida.
  4. Prevê-se agora, finalmente, que no caso de um dos progenitores desempenhar a sua atividade noutra forma, nomeadamente por teletrabalho, o outro progenitor mantém o direito ao apoio excecional à família para trabalhadores por conta de outrem e no apoio excecional à família para trabalhadores independentes pelas faltas ao trabalho motivadas por assistência inadiável a filho ou outro dependente a cargo menor de 12 anos, previsto respetivamente artºs 23º e 24º do Decreto-Lei n.º 10-A/2020, de 13 de Março (estabelece medidas excecionais e temporárias relativas à situação epidemiológica do novo Coronavírus – COVID 19).

 

 


Pagamento em prestações de contribuições e quotizações para a Segurança Social (atualizado a 07-04-2021)

A Portaria n.º 80/2021, de 7 de Abril, regulamenta as condições e procedimentos relativos ao pagamento em prestações à Segurança Social para regularização de dívida de contribuições e quotizações das entidades empregadoras, dos trabalhadores independentes e das entidades contratantes cujo prazo legal de pagamento termine até 31 de dezembro de 2021 e que não se encontrem ainda em fase de processo executivo (medida prevista no artº 420 do OE 2021)

  1. As dívidas não abrangidas por este regime nem pelo número abaixo, são regularizadas de acordo com o Decreto-Lei n.º 213/2012, de 25 de Setembro, com as regras e os procedimentos previstos na presente portaria.
  2. As dívidas que se encontrem em processo executivo são regularizadas nos termos do Decreto-Lei n.º 42/2001, de 9 de Fevereiro.
  3. Não são abrangidas pelo presente regime as dívidas de contribuições e quotizações que se encontrem incluídas em processo de insolvência, de recuperação ou de revitalização, processo especial para acordo de pagamento, processo extraordinário de viabilização de empresas, regime extrajudicial de recuperação de empresas, contratos de consolidação financeira ou de reestruturação empresarial, conforme se encontram definidos no Decreto-Lei n.º 81/98, ou contratos de aquisição, total ou parcial, do capital social de uma empresa por parte de quadros técnicos, ou por trabalhadores, que tenham por finalidade a sua revitalização e modernização.

 


 

Reorganização do trabalho (atualizado a 30-03-2021)

O Decreto-Lei n.º 25-A/2021, de 30 de Março, prorroga o regime excecional e transitório de reorganização do trabalho e de minimização de riscos de transmissão da infeção da doença COVID-19 no âmbito das relações laborais.

 


Decreto-Lei n.º 24/2021 – Diário da República n.º 60/2021, Série I de 2021-03-26

Estabelece um regime excecional e temporário em matéria de obrigações e dívidas fiscais e de contribuições à Segurança Social


 

Medidas de apoio aos trabalhadores e empresas (atualizado 24-03-2021)

Estabelece medidas de apoio aos trabalhadores e empresas, no âmbito da pandemia da doença COVID-19

 


Apoios ao Emprego e Economia

No âmbito do Plano de Desconfinamento apresentado pelo Governo, são agora anunciados novos Apoios ao Emprego e à Economia.

Medidas Fiscais

  • IVA Trimestral
  • IVA mensal
  • Retenções na fonte de IRS e IRC
  • Pagamento por conta de IRC
  • Autoliquidação de IRC
  • Processos de execução fiscal
  • Novas medidas complementares
  • Moratórias de Crédito

Emprego

  • Apoio à Retoma Progressiva (ARP)
  • Layoff simplificado
  • Novo Incentivo à Normalização
  • Apoio simplificado às empresas
  • Apoio à contratação

Empresas

  • Expansão do Programa Apoiar
  • Apoiar Rendas
  • Apoiar Rendas e Apoiar + Simples
  • Linhas de crédito já existentes

Para mais informações ver https://covid19estamoson.gov.pt/apoios-ao-emprego-e-economia/


COVID-19 Prorrogação de Prazos (atualizado 17-03-2021)

Foi publicado o Decreto-Lei nº 22-A/2021, 17 de março, que, no âmbito da pandemia da COVID-19, prorroga prazos e estabelece medidas excecionais e temporárias.

De entre as várias prorrogações de prazos estabelecidas por este diploma, destacam-se as seguintes:

  • Prazos de realização de assembleias gerais de sociedades comerciais, associações e cooperativas – possibilidade de serem efetuadas até 30 de junho de 2021 (no caso de cooperativas e associações com mais de 100 cooperantes ou associados, podem ser realizadas até 30 de setembro de 2021).
  • Marcação de férias – a aprovação e afixação do mapa de férias pode ser efetuada até 15 de maio de 2021.
  • Registo Central de Beneficiário Efetivo (RCBE) – a confirmação anual da informação do Registo Central de Beneficiário Efetivo, é dispensada em 2021, independentemente da data da declaração inicial, desde que não tenha ocorrido facto que determine a alteração da informação constante do RCBE.

 

 


Reforço dos Apoios à Economia e ao Emprego (atualizado 12-03-2021)

O Ministro da Economia apresentou o documento “Reforço dos apoios à economia e ao emprego”.

 


Entrega de declarações de remunerações corrigidas (atualizado 11-03-2021)


Incentivo ATIVAR.PT (atualizado 11-03-2021)

  • Despacho n.º 2731/2021, de 11/03, estabelece o regime excecional de admissibilidade de acumulação do apoio da dispensa parcial ou a isenção total do pagamento de contribuições para a segurança social com o apoio financeiro previsto no artigo 11.º da Portaria n.º 207/2020, que aprova a medida Estágios ATIVAR.PT – para as entidades às quais seja reconhecido, durante o 1.º semestre de 2021, o estatuto de interesse estratégico nacional pelo IEFP, no âmbito do artigo 20.º daquele diploma.

Segurança Social – diferimento extraordinário do pagamento de contribuições (atualizado 11-03-2021)

  • Despacho n.º 2732/2021, 11/03, determina que as entidades empregadoras e os trabalhadores independentes referidos no n.º 4 artº 9.º-A do Decreto-Lei n.º 10-F/2020, de 26/03, possam indicar até dia 31 de maio de 2021, na Segurança Social Direta, qual dos prazos de pagamento previstos no n.º 5 pretendem utilizar no âmbito do diferimento extraordinário do pagamento de contribuições referentes a novembro e dezembro de 2020.

 


 

COMPETE 2020 Avisos | Formação: Promoção da sustentabilidade e da qualidade do emprego

(atualizado 23-02-2021)

A qualidade dos recursos humanos das empresas, a sua capacidade de adaptação a mercados cada vez mais concorrenciais e em constante mutação contribui para a competitividade da economia nacional.

O atual contexto veio reforçar o quão fundamental é trabalhar as competências dos recursos humanos preparando-os para os novos desafios.

Assim estão abertos 5 avisos no COMPETE 2020  que visam dar continuidade à concessão de apoio público orientado para a capacitação dos ativos empresarias, no contexto da política de clusterização, estabelecendo-se como iniciativa piloto na medida em que se centra na atividade nos cluster de competitividade: “Calçado e Moda”, “Automóvel, “Engineering & Tooling”, “PRODUTECH”, “Têxtil, Tecnologia e Moda”.

Objetivos

Intensificar a formação dos empresários e gestores para a reorganização e melhoria das capacidades de gestão, assim como dos trabalhadores das empresas, apoiada em temáticas associadas à inovação e mudança através de:

  • Aumento das qualificações específicas dos trabalhadores em domínios relevantes para a estratégia de inovação, internacionalização e modernização das empresas;
  • Aumento das capacidades da gestão empresarial e e-skills para suportar estratégias de inovação e novos modelos de negócios das empresas;
  • Promoção de estratégias de upskilling e de reskilling com vista à adaptação e especialização dos recursos humanos das empresas e da sua capacidade de retenção de competências e talentos;
  • Promoção de ações de dinamização e sensibilização para a mudança e intercâmbio de boas práticas (mobilidade e troca de experiências).

Para mais informações consulte os respetivos Avisos do Programa de Capacitação dos Clusters de Competitividade:

 


CNC – recomendações relativas aos impactos da covid-19 nas demonstrações financeiras

A Comissão de Normalização Contabilística emitiu as Recomendações 1 e 2 – 2021 (Revistas) , relativas ao tratamento dos impactos da COVID-19 no relato financeiro das empresas e entidades em SNC (aprovada em 19/02/2021).


Apoio excecional à família no âmbito da suspensão das atividades letivas e não letivas presenciais

(atualizado 23-02-2021)

Com a publicação do Decreto-Lei n.º 14-B/2021, de 22 de fevereiro, a Segurança Social disponibiliza a nova declaração para requerer o apoio excecional à família no âmbito da suspensão das atividades letivas e não letivas presenciais.

Tal como acontecia até aqui, a nova declaração deve ser preenchida pelos trabalhadores e entregue às entidades empregadoras.

A partir do dia 23 de fevereiro, os trabalhadores que se encontrem a exercer atividade em regime de teletrabalho vão poder optar pelo apoio excecional à família, caso se encontrem numa das nas seguintes situações:

a) a composição do seu agregado familiar seja monoparental, durante o período da guarda do filho ou outro dependente que lhe esteja confiado por decisão judicial ou administrativa de entidades ou serviços legalmente competentes para o efeito;
b) O seu agregado familiar integre, pelo menos, um filho ou outro dependente que frequente equipamento social de apoio à primeira infância (creche), estabelecimento de ensino pré-escolar ou do primeiro ciclo do ensino básico;
c) O seu agregado familiar integre, pelo menos, um dependente com deficiência, com incapacidade comprovada igual ou superior a 60 %, independentemente da idade.

A entrega desta declaração serve de comunicação à entidade empregadora da opção do trabalhador em regime de teletrabalho pelo apoio à família. Essa comunicação terá de ser feita com uma antecedência de três dias relativamente ao início da prestação do apoio.

O valor da parcela paga pela segurança social será também aumentado de modo a assegurar 100% da retribuição base do trabalhador, com limite de 1.995€, quando se encontre numa das seguintes situações:

a) A composição do seu agregado familiar seja monoparental e o filho, ou outro dependente que esteja confiado por decisão judicial ou administrativa de entidades ou serviços legalmente competentes para o efeito, seja beneficiário da majoração do abono para família monoparental;
b) Os dois progenitores beneficiem do apoio, semanalmente de forma alternada.

O apoio excecional à família não é acumulável com outros apoios de resposta à pandemia pela doença COVID-19.

 


Plano de Recuperação e Resiliência: recuperar Portugal construindo o futuro (atualizado 16-02-2021)

O Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) agora submetido a consulta pública é um amplo documento estratégico, onde estão plasmadas reformas estruturais fundamentais para assegurar a saída da crise pandémica e garantir um futuro resiliente para Portugal.


Novo período de candidaturas ao programa ATIVAR.PT (atualizado 15-02-2021)

As candidaturas às medidas Estágios ATIVAR.PT e Incentivo ATIVAR.PT estão novamente abertas a partir de 15 de fevereiro com uma verba inicial global de 100 milhões de euros: 75 milhões de euros para os Estágios ATIVAR.PT e 25 milhões de euros para o Incentivo ATIVAR.PT. Estas medidas estão incorporadas no ATIVAR.PT – Programa Reforçado de Apoios ao Emprego e à Formação Profissional, inscrito pelo Governo no Programa de Estabilização Económica e Social, com o objetivo de assegurar a manutenção do emprego e a retoma progressiva da atividade económica, e tem como prazo de candidatura, o período que decorre entre os dias 15 de Fevereiro e 30 de junho de 2021.

Os Estágios ATIVAR.PT vieram substituir os Estágios Profissionais, introduzindo uma majoração das bolsas de estágio que varia (para as qualificações acima do ensino secundário) entre os 7,1% e 30,6%, e contemplando um conjunto de disposições transitórias que visam responder à situação que o mercado de trabalho enfrenta atualmente, incluindo um aumento da comparticipação do IEFP na bolsa de estágio de 65% para 75% no regime geral. Está ainda previsto um reforço do prémio-emprego atribuído a quem converter contratos de estágio em contratos sem termo, que passa de um valor máximo de 2.194 euros para 3.072 euros no regime geral.

Já o Incentivo ATIVAR.PT veio substituir o Contrato-Emprego e introduziu um aumento de 33% no apoio a conceder às empresas que celebrem contratos de trabalho com desempregados inscritos no IEFP, passando o apoio base de 3.949 euros para 5.266 euros nos contratos sem termo. Está ainda prevista a possibilidade de majoração quando esteja em causa a contratação de desempregados de longa duração, inativos desencorajados, jovens até aos 29 anos e pessoas com 45 e mais anos, que também abrange cuidadores informais ou pessoas em situação de sem-abrigo.

Ambas as medidas têm modelos de pagamento mais ágeis e céleres, o que permite que os apoios financeiros cheguem mais rapidamente às entidades promotoras.

Saiba toda a informação sobre estas medidas aqui

 


Decreto-Lei n.º 14-A/2021 – Diário da República n.º 30/2021, 2º Suplemento, Série I de 2021-02-12

Estabelece medidas excecionais e temporárias relativas ao setor das comunicações eletrónicas no âmbito da pandemia da doença COVID-19

 


ACT | Recomendações para os Serviços Externos de Segurança e Saúde no Trabalho em contexto de COVID-19 (atualizado 10-02-2021)

A ACT – Autoridade para as Condições de Trabalho  disponibilizou dois documentos que procuram fornecer informações para auxiliar as Empresas Prestadoras de Serviços Externos na sua atuação, em contexto de COVID-19.

Os serviços de Segurança e Saúde no Trabalho (SST) assumem um papel preponderante na criação de condições de trabalho dignas, na prevenção dos riscos profissionais nas empresas e na proteção dos trabalhadores. O atual estado de pandemia veio realçar a importância da atuação destes serviços, especialmente no que diz respeito à prevenção da incidência de COVID-19 nas empresas onde atuam.

Pretende-se, com estes documentos, sistematizar um conjunto de informações com o objetivo de dar apoio ao desenvolvimento da atividade dos serviços de segurança e saúde no trabalho junto das entidades empregadoras para que estas possam proporcionar aos trabalhadores um ambiente de trabalho seguro e saudável na necessária manutenção da atividade económica, com algumas abordagens especificas no que respeita à atuação face à atual situação pandémica.

 


Segurança Social | Entidades Empregadoras – Entrega de declaração de isolamento profilático | Alteração de procedimentos (atualizado 08-02-2021)

Com o intuito de agilizar o procedimento de entrega e tratamento dos processos de isolamento profilático por parte das Entidades Empregadoras, o Instituto da Segurança Social, em articulação com o Ministério da Saúde, automatizou o processo de troca de informação entre os dois organismos, tornando-o mais célere.

Para o efeito, a entidade empregadora deve aceder à Segurança Social Direta e, no separador Emprego, na secção de Medidas de Apoio (COVID-19), deve selecionar ”Comunicar trabalhadores em isolamento sem possibilidade de teletrabalho” e inserir o código da declaração de isolamento profilático remetida pelo trabalhador em causa (deixando de ter de submeter o formulário anteriormente previsto).

Deve ainda declarar a impossibilidade de realização de teletrabalho por parte do trabalhador e em seguida proceder à comunicação do trabalhador.

Se ainda não tem acesso à Segurança Social Direta, deverá pedir a senha na hora. Aceda aqui.

Consulte o manual passo a passo. Aceda aqui.

 


Programa de Apoio à Produção Nacional (atualizado 29-01-2021)

Foi lançado o Programa de Apoio à Produção Nacional, uma iniciativa da área governativa da Coesão Territorial, destinada ao apoio direto ao investimento empresarial produtivo e dirigida essencialmente ao setor industrial. O programa tem uma dotação de 100 milhões de euros, 50% dos quais afetos aos territórios do Interior.

Este programa tem como objetivo estimular a produção nacional das micro e pequenas empresas e reduzir a dependência do país face ao exterior.

 


Candidaturas em 2021 às medidas Incentivo ATIVAR.PT e Estágios ATIVAR.PT | IEFP

Em 2021, a medida Incentivo ATIVAR.PT e Estágios ATIVAR.PT têm dois períodos para a apresentação de candidaturas.

No âmbito das medidas Incentivo ATIVAR.PT e Estágios ATIVAR.PT, foi aprovado, por deliberação do Conselho Diretivo do IEFP, IP, o calendário de candidaturas para o ano de 2021.

O calendário de candidaturas prevê a realização de 2 períodos de candidatura regulares, nas seguintes datas:

  • Primeiro Período: abertura a 15 de fevereiro e encerramento a 30 de junho de 2021
  • Segundo Período: abertura a 15 de agosto encerramento a 30 de dezembro de 2021

 


Apoio Extraordinário ao Rendimento dos Trabalhadores | Segurança Social

Com a publicação do Orçamento de Estado para 2021, foi criado o Apoio Extraordinário ao Rendimento dos Trabalhadores com o objetivo de assegurar a continuidade dos rendimentos dos trabalhadores em situação de particular desproteção económica causada pela pandemia da doença COVID-19.

Sendo a situação de desproteção económica verificada através de condição de recursos, é imprescindível a atualização do seu agregado familiar e dos respetivos rendimentos junto da Segurança Social.

Consulte os manuais passo a passo de preenchimento:

 


Apoio extraordinário ao rendimento dos trabalhadores

A Portaria n.º 19-A/2021, de 25/01, regulamenta os procedimentos de atribuição do apoio extraordinário ao rendimento dos trabalhadores previsto no artº 156º da Lei do Orçamento de Estado para 2021, criado com o objetivo de assegurar em 2021 a continuidade dos rendimentos das pessoas em situação de particular desproteção económica causada pela pandemia da doença COVID-19.


Layoff Simplificado (Medida Extraordinária de Apoio à Manutenção dos Contratos de Trabalho) atualizado 23-01-2021

Destina-se a entidades empregadoras, que se encontrem sujeitas ao dever de encerramento de instalações e estabelecimentos por determinação legislativa ou administrativa de fonte governamental, no âmbito da pandemia da doença COVID-19.

A entidade empregadora pode aceder ao apoio desde que a sua atividade se encontre total ou parcialmente sujeita ao dever de encerramento, sendo abrangidos os trabalhadores afetados por esse dever de encerramento.


Decreto-Lei n.º 8-B/2021 – D.R. n.º 15/2021, 1º Suplemento, Série I de 2021-01-22

Estabelece um conjunto de medidas de apoio no âmbito da suspensão das atividades letivas e não letivas presenciais.

 


Apoio excecional à família – requerimento já disponível

(atualizado 21-01-2021)
Na sequência da suspensão das atividades letivas e não letivas presenciais em estabelecimento escolar ou equipamento social de apoio à primeira infância ou deficiência, já a partir desta sexta-feira, dia 22, o Governo decidiu reativar a medida de apoio excecional à família. Ao abrigo deste mecanismo, os pais que tenham de faltar ao trabalho para prestar assistência inadiável a filho ou dependente a cargo têm direito a receber um apoio correspondente a 2/3 da sua remuneração base, com um limite mínimo de 665 euros e um limite máximo de 1.995 euros.

Este apoio abrange os trabalhadores por conta de outrem, os trabalhadores independentes e os trabalhadores do serviço doméstico.

Não são abrangidas as situações em que é possível a prestação de trabalho em regime de teletrabalho.

Para aceder a este apoio, os pais devem preencher a declaração Modelo GF88-DGSS e remetê-la à entidade empregadora. Esta declaração serve igualmente para justificar as faltas ao trabalho.

O apoio é devido nos casos de assistência a filhos ou outros dependentes a cargo que sejam menores de 12 anos, ou, no caso de assistência a filhos ou dependentes com deficiência/doença crónica, sem limite de idade. Os dois progenitores não podem receber este apoio em simultâneo e apenas existe lugar ao pagamento de um apoio, independentemente do número de filhos ou dependentes a cargo.

Caso um dos progenitores se encontre em teletrabalho, o outro não poderá receber este apoio.

O apoio é assegurado em partes iguais pela Segurança Social e pela entidade empregadora, a quem cabe pagar a totalidade do apoio.

 


Linha de Apoio à Economia COVID-19: Empresas Exportadoras da Indústria e do Turismo

Banco Português de Fomento

Abertura de Candidaturas | 18 de janeiro de 2021

Dotação global | €1.050.000.000

Finalidade | Apoiar o emprego e a manutenção dos postos de trabalho de dois sectores fortemente afetados pela pandemia: o da indústria e o do turismo.

Beneficiários | Micro, Pequenas e Médias Empresas (PME), incluindo empresários em nome individual (ENI), bem como, Small Mid Cap e Mid Cap, em qualquer dos casos com atividade em território nacional continental, que desenvolvam atividade nas listas de CAE detalhadas na ficha técnica


Decreto-Lei n.º 6-C/2021 – Diário da República n.º 10/2021, 1º Suplemento, Série I de 2021-01-15

Prorroga o apoio extraordinário à retoma progressiva de atividade em empresas em situação de crise empresarial


Apoios ao Emprego e à Economia

(atualizado 14-01-2021)

Layoff Simplificado por encerramento da atividade

  • Entidade empregadora suporta apenas 19,8% do salário
  • Duração idêntica à do período de confinamento

Apoio à Retoma Progressiva por quebra de faturação da empresa

  • Possibilidade de redução do horário de trabalho até 100%
  • Redução contributiva de 50% para micro e PMEs

Apoio simplificado para Microempresas

  • Apoio no valor de 2 SMN (1.330€) por trabalhador

Medidas para Trabalhadores por conta de outrem, Trabalhadores independentes, Sócios gerentes, Trabalhadores em situação de desproteção social

  • Suspensão de execuções durante o primeiro trimestre
  • Suspensão dos processos de execução fiscal em curso ou que venham a ser instaurados pela AT e pela Segurança Social: de 1 de janeiro a 31 de março.
  • Impossibilidade de execução de penhoras neste período.
  • O pagamento dos planos prestacionais por dívidas à Segurança Social também é suspenso.

 

Consulte a apresentação do Ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital a 14 de Janeiro de 2021 sobre os Apoios ao Emprego e à Economia (pdf).

 


Contraordenação relativa ao teletrabalho obrigatório

Altera o regime contraordenacional no âmbito da situação de calamidade, contingência e alerta e agrava a contraordenação relativa ao teletrabalho obrigatório durante o estado de emergência


 


Decreto-Lei n.º 106-A/2020 – Diário da República n.º 252/2020, 3º Suplemento, Série I de 2020-12-30

Altera as medidas excecionais e temporárias relativas à pandemia da doença COVID-19

 


Novas medidas de apoio destinadas às empresas e ao emprego (atualizado 30-12-2020)

O Governo aprovou um conjunto de novas medidas destinadas às empresas e ao emprego no âmbito da pandemia da doença COVID-19

 


Governo cria portal sobre vacinação Covid-19 (atualizado 26-12-2020)

O Governo lançou este sábado uma nova página exclusivamente dedicada ao processo de vacinação contra a Covid-19, como já tinha sido anunciado previamente pelo coordenador da task-force responsável pela elaboração do Plano de vacinação contra a Covid-19, Francisco Ramos. Este espaço está a partir de agora disponível através de duas vias: site da DGS e site Estamos On (portal do Governo com as diferentes medidas de resposta à pandemia). Esta nova página pretende esclarecer os cidadãos quanto a todos os detalhes relativos ao processo de vacinação, que começa amanhã, domingo, dia 27 de dezembro.

 


Decreto-Lei n.º 103-A/2020 – Diário da República n.º 242/2020, 1º Suplemento, Série I de 2020-12-15
Altera o regime excecional e temporário de cumprimento de obrigações fiscais, no âmbito da pandemia da doença COVID-19


O Ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, apresentou o novo pacote de medidas de apoio ao emprego, empresas e economia(atualizado 10-12-2020)

 


Plano Vacinação COVID19 (atualizado 03-12-2020)

 


Decreto-Lei n.º 101-A/2020 – Diário da República n.º 232/2020, 2º Suplemento, Série I de 2020-11-27

Altera o apoio extraordinário à retoma progressiva de atividade em empresas em situação de crise empresarial e clarifica o regime excecional e temporário de faltas justificadas motivadas por assistência à família


Lei n.º 75/2020 – Diário da República n.º 232/2020, Série I de 2020-11-27

Processo extraordinário de viabilização de empresas


Controlar a pandemia – apresentação das medidas do Conselho de Ministros de 21 de novembro de 2020


Estratégia Portugal 2030 (atualizado 13-11-2020)

Foi publicada em Diário da República a Estratégia Portugal 2030 , que traça as linhas orientadoras para aplicação do próximo Quadro Financeiro Plurianual e dos novos instrumentos financeiros criados pela União Europeia para dar resposta à crise de Covid-19.

A Estratégia Portugal 2030 está estruturada em torno de quatro agendas temáticas centrais para o desenvolvimento da economia, da sociedade e do território de Portugal no horizonte de 2030:

  1. as pessoas primeiro: um melhor equilíbrio demográfico, maior inclusão, menos desigualdade;
  2. digitalização, inovação e qualificações como motores do desenvolvimento;
  3. transição climática e sustentabilidade dos recursos, e
  4. um país competitivo externamente e coeso internamente.

Leia o documento na íntegra

 


Fundos Europeus da Política de Coesão relativo a 2021-2027

O Conselho de Ministros aprovou a resolução que estabelece os princípios orientadores e a estrutura operacional do período de programação de fundos europeus da política de coesão relativo a 2021-2027.

Através da presente resolução estabiliza-se um conjunto de princípios orientadores do Acordo de Parceria 2021-2027, que permite prosseguir o desenvolvimento dos trabalhos de programação, com o foco nos desafios que se pretendem endereçar, beneficiando da experiência de aplicação do Portugal 2020 e explorando todas as possibilidades previstas nas propostas regulamentares europeias que garantam quer a coerência estratégica, quer a flexibilidade e eficiência operacionais necessárias à boa execução dos fundos europeus.

 


Conselho de Ministros,12 de Novembro

 


Apoio Extraordinário à Retoma Progressiva de Atividade – COVID 19

Atribuição, pelo IEFP, IP, de um apoio financeiro para frequência de um plano de formação destinado aos trabalhadores das entidades empregadoras de natureza privada e do setor social abrangidas pela Medida de apoio extraordinário à retoma progressiva de atividade em empresas em situação de crise empresarial, com redução temporária do período normal de trabalho (PNT) criada no âmbito do Programa de Estabilização Económica e Social e prevista no n.º 5, do artigo 4.º do Decreto-Lei n.º 46-A/2020, de 30 de julho, alterado pelo Decreto-Lei n.º 90/2020, de 19 de outubro, que vigorará até 31 de dezembro de 2020.

 


No Conselho de Ministros de 5 de novembro de 2020, foram aprovados vários diplomas, nomeadamente:

  • A resolução que estabelece um conjunto de medidas destinadas às empresas, no âmbito da pandemia da doença Covid-19.
    Este diploma visa o lançamento de novos instrumentos de apoio à situação de tesouraria das empresas, entre os quais se destacam:

    • Linha de crédito indústria exportadora
      • Empresas industriais com elevado volume de negócios proveniente de exportações de bens
      • Conversão de 20% do crédito concedido em subsídio a fundo perdido em caso de manutenção de postos de trabalho
      • Crédito determinado em função do n º de postos de trabalho.
      • Aceda aqui à apresentação das medidas
  • O decreto-lei que introduz regras excecionais e temporárias em matéria de sequencialidade das medidas que visam o apoio das empresas no contexto da retoma de atividade, tendo em vista, designadamente, a manutenção dos postos de trabalho.
    • Este diploma cria um regime excecional para acesso ao Apoio à Retoma Progressiva para aos empregadores que tenham requerido o incentivo extraordinário à normalização da atividade empresarial sem terem de devolver os montantes já recebidos. Por outro lado, estabelece-se também que o empregador que tenha recorrido à aplicação das medidas de redução ou suspensão previstas no Código do Trabalho, e que pretenda aceder ao apoio extraordinário à retoma progressiva de atividade, não fique sujeito ao prazo que limita o recurso a medidas de redução ou suspensão.
  • Ainda no âmbito das resposta à crise suscitada pela doença Covid-19, foi aprovada, após audição com os parceiros sociais com assento na Comissão Permanente de Concertação Social, a proposta de lei que procede à suspensão excecional do prazo de contagem de prazos associados à caducidade e sobrevigência dos instrumentos de regulamentação coletiva de trabalho, nos termos previstos no Código do Trabalho.
    • A presente proposta de lei, a submeter à Assembleia da República, visa suspender, de modo transitório e excecional, o prazo de sobrevigência da convenção coletiva de trabalho, prevenindo o surgimento de lacunas na cobertura da contratação coletiva, seja pelo esgotamento dos prazos de processos de denúncia já iniciados, seja pelo desencadeamento de novas denúncias.

Comunicado do Conselho de Ministros

 


Decreto-Lei n.º 94-A/2020 – Diário da República n.º 214/2020, 1º Suplemento, Série I de 2020-11-03

Altera as medidas excecionais e temporárias relativas à pandemia da doença COVID-19

 


Resolução do Conselho de Ministros n.º 92-A/2020 – Diário da República n.º 213/2020, 1º Suplemento, Série I de 2020-11-02


Novas medidas para combater a pandemia

  • Conheça as medidas aplicáveis a cada concelho no site EstamosOn

 


Apoio extraordinário à retoma progressiva (atualizado 28-10-2020)

A Segurança Social publicou  informação sobre o Apoio extraordinário à retoma progressiva

No âmbito da medida de Apoio Extraordinário à Retoma Progressiva de Atividade, a partir de 29 de outubro passará a ser possível as entidades empregadoras apresentarem o pedido de apoio para o próprio mês e para o mês anterior.

Assim, entre o dia 29 de outubro e o dia 31 de outubro, será possível às entidades empregadoras apresentarem o apoio para o mês de setembro de 2020.

Também será possível requerer o pedido de apoio para os novos intervalos de variação de quebra de faturação previstas no Decreto-Lei nº 46-A/2020, de 30 de julho, introduzidas pelo Decreto-Lei nº 90/2020, de 19 de outubro.

Caso já tenha requerido o mês de outubro e pretenda alterar a variação da quebra de faturação terá de anular o pedido introduzido e apresentar um novo.

O apoio, com redução temporária do período normal de trabalho, tem a duração de um mês civil, sendo prorrogável mensalmente até 31 de dezembro de 2020.

Fonte: http://www.seg-social.pt/noticias/-/asset_publisher/9N8j/content/apoio-extraordinario-a-retoma-progressiva-setembro

 


Governo aprova novas medidas para travar expansão da pandemia  (atualizado 22-10-2020)

O Governo aprovou uma resolução que determina «a proibição de circulação entre diferentes concelhos do território continental no período entre as 00h00 de 30 de outubro e as 23h59 de dia 3 de novembro e que define um conjunto de medidas especiais aplicáveis aos concelhos de Felgueiras, Lousada e Paços de Ferreira no âmbito da situação de calamidade decorrente da pandemia da doença Covid-19» a partir das 00h00 de 23 de outubro.


 

Mecanismo de apoio à Retoma Progressiva da Atividade (atualizado 21-10-2020)


Decreto-Lei n.º 90/2020 – Diário da República n.º 203/2020, Série I de 2020-10-19


Decreto-Lei n.º 87-A/2020 – Diário da República n.º 201/2020, 1º Suplemento, Série I de 2020-10-15


Plano de Recuperação e Resiliência – Recuperar Portugal 2021-2026 – Plano preliminar (atualizado 15-10-2020)

Pode ser consultada no Site do Governo, a versão preliminar do Plano de Recuperação e Resiliência – Recuperar Portugal 2021-2026, entregue pelo Primeiro-Ministro António Costa à Presidente da Comissão Europeia, no dia 15 de outubro.

 


Comunicado do Conselho de Ministros de 8 de outubro de 2020

O Conselho de Ministros aprovou hoje o decreto-lei que altera o apoio extraordinário relativo à retoma progressiva de atividade em empresas em situação de crise empresarial.
Introduzem-se agora alterações aos limites máximos a observar na redução do período normal de trabalho, às regras aplicáveis à determinação da compensação retributiva devida aos trabalhadores e ao regime de apoios concedidos pela segurança social, ao conceito de situação de crise empresarial considerado no âmbito da medida e, ainda, aos apoios complementares a conceder no âmbito do plano de formação complementar

Mais informações:


No dia 1 de Outubro  foi publicado em Diário da República do diploma que estabelece um regime excecional e transitório de reorganização do trabalho e de minimização de riscos de transmissão da infeção da doença COVID-19 no âmbito das relações laborais:

 


Apoio às Médias Empresas, Small Mid Caps e Mid Caps (atualizado 29-09-2020)

Criada no âmbito das medidas de caráter extraordinário para apoio ao emprego e à normalização da atividade empresarial, a Linha de Apoio à Economia COVID-19 permite às empresas portuguesas, mais afetadas pelas medidas adotadas para contenção da pandemia do novo coronavírus, financiarem em melhores condições de preço e de prazo, as suas necessidades de tesouraria.

A 30 de setembro de 2020, foi disponibilizada a nova linha específica de Apoio às Médias Empresas, Small Mid Caps e Mid Caps.

mais informações …


 

Apresentação do «Plano de Recuperação e Resiliência» (atualizado 29-09-2020)

 


Comunicado do Conselho de Ministros de 24 de setembro de 2020 (atualizado 24-09-2020)

Decreto-Lei que altera as medidas excecionais e temporárias relativas à pandemia da doença Covid-19, nomeadamente:
– As medidas excecionais de proteção dos créditos das famílias, empresas, instituições particulares de solidariedade social, e demais entidades da economia social, passam a vigorar até 30 de setembro de 2021;
– Define-se que a distribuição de lucros, sob qualquer forma, o reembolso de créditos aos sócios e a aquisição de ações ou quotas próprias, por parte das entidades beneficiárias, determina a cessação dos efeitos das medidas de apoio extraordinário à liquidez;
– As entidades beneficiárias que, no dia 1 de outubro de 2020, se encontrem abrangidas por alguma das medidas de apoio extraordinário à liquidez, beneficiam da prorrogação suplementar e automática dessas medidas pelo período de seis meses, compreendido entre 31 de março de 2021 e 30 de setembro de 2021.

Mais informações: https://www.portugal.gov.pt/pt/gc22/governo/comunicado-de-conselho-de-ministros?i=370


Abertura de período extraordinário de pedidos de apoio (atualizado 23-09-2020)

De 23 a 30 de setembro – Novos formulários na SSD
Estão disponíveis na Segurança Social Direta (SSD), entre os dias 23 e 30 de setembro, os formulários para realização de pedidos de apoio para períodos retroativos no âmbito do “Apoio extraordinário à redução da atividade económica” e da “Medida extraordinária de incentivo à atividade profissional” para Trabalhadores Independentes e para Membros de Órgãos Estatutários.

Este período excecional destina-se a possibilitar o acesso a estes apoios extraordinários aos trabalhadores independentes (TI) e/ou membros de órgãos estatutários (MOE) que, afetados na sua atividade económica pelos efeitos da pandemia COVID-19, nos períodos anteriores não conseguiram submeter os respetivos processos, ou não reuniam requisitos para a submissão das respetivas candidaturas.

mais informações: http://www.seg-social.pt/noticias/-/asset_publisher/9N8j/content/abertura-de-periodo-extraordinario-de-pedidos-de-apoio


Apoio extraordinário à retoma progressiva (atualizado 17-09-2020)

Entrega do pedido na Segurança Social Direta

O apoio extraordinário à retoma progressiva de atividade é destinado a empregadores privados ou do setor social em situação de crise empresarial por redução acentuada de faturação e reduções temporárias do período normal de trabalho (PNT) de todos ou alguns trabalhadores. Este apoio deve ser requerido na Segurança Social Direta através do menu Emprego, opção Layoff, selecionando o Regime – Apoio extraordinário à retoma progressiva de atividade das empresas com redução do período normal de trabalho.

O pedido deverá ser acompanhado da declaração do contabilista certificado (Mod. 3058-DGSS) atestando a situação de crise empresarial e de listagem nominativa dos trabalhadores a abranger, com indicação do respetivo número de segurança social, da retribuição normal ilíquida e da redução do período normal de trabalho a aplicar, em termos médios mensais, por trabalhador.

Deverá ser dado também o consentimento para a consulta da situação fiscal perante a Autoridade Tributária, bem como proceder ao registo do IBAN (menu Perfil, opção Conta Bancária), para onde será pago o apoio financeiro.

A apresentação do pedido de apoio pode ser feita em qualquer altura do mês, abrangendo todo o período desse mês Porém, durante o mês de setembro, o empregador pode entregar também o pedido do apoio referente ao mês de agosto.

O cálculo da redução do Período Normal de Trabalho é feito numa base mensal, devendo ser respeitados os limites legais horários diários e semanais.

Para mais informações:

http://www.seg-social.pt/apoio-extraordinario-a-retoma-progressiva-de-atividade

 


Incentivo Extraordinário à Normalização da Atividade Empresarial (atualizado 17-09-2020)

É um incentivo financeiro extraordinário, dirigido às entidades empregadoras, para apoiar a normalização da atividade empresarial, ou seja, depois de terminada a aplicação do chamado “layoff simplificado” ou do plano extraordinário de formação.

Para mais informações:

http://www.seg-social.pt/incentivo-extraordinario-a-normalizacao-da-atividade-empresarial

 


Visão Estratégica para o Plano de Recuperação Económica de Portugal 2020-2030 – sessão de análise – apresentações e vídeo (atualizado 15-09-2020)

No dia 15 de Setembro, decorreu em Lisboa a sessão de análise dos contributos do Debate Público da Visão Estratégica para o Plano de Recuperação Económica de Portugal 2020-2030, com presença do Primeiro-Ministro António Costa e do Professor António Costa Silva.


Despacho n.º 8844-B/2020 (atualizado 14-09-2020)

Determina que a AT deverá disponibilizar oficiosamente aos contribuintes a faculdade de pagamento em prestações, sem necessidade de prestação de garantia nos termos do Decreto-Lei n.º 492/88, de 30 de dezembro, de dívidas de imposto sobre o rendimento das pessoas singulares (IRS) e de imposto sobre o rendimento das pessoas coletivas (IRC) de valor igual ou inferior, respetivamente, a (euro) 5000 e (euro) 10 000, independentemente da apresentação do pedido


Comunicado do Conselho de Ministros de 10 de setembro de 2020

Controlar a Pandemia – apresentação do Primeiro-Ministro na conferência de imprensa do Conselho de Ministros de 10 de setembro de 2020

Resolução do Conselho de Ministros n.º 70-A/2020

Declara a situação de contingência, no âmbito da pandemia da doença COVID-19

 


Clarifica as medidas excecionais e temporárias no âmbito do Programa de Estabilização Económica e Social (atualizado 15-08-2020)

1 — Os trabalhadores cuja remuneração base em fevereiro de 2020 tenha sido igual ou inferior a duas vezes a RMMG e que, entre os meses de abril e junho, tenham estado abrangidos pelo menos 30 dias seguidos pelo apoio à manutenção do contrato de trabalho, previsto no Decreto -Lei n.º 10 -G/2020, de 26 de março, na sua redação atual, ou por redução temporária do período normal de trabalho ou suspensão do contrato de trabalho, nos termos dos artigos 298.º e seguintes do Código do Trabalho, aprovado pela Lei n.º 7/2009, de 12 de fevereiro, na sua redação atual, têm direito a um complemento de estabilização.

2 — O complemento de estabilização corresponde à diferença entre os valores da remuneração base declarados relativos ao mês de fevereiro de 2020 e aos 30 dias seguidos em que o trabalhador esteve abrangido por uma das duas medidas referidas no número anterior em que se tenha verificado a maior diferença, sem prejuízo do disposto no número seguinte.


Apoio extraordinário à retoma progressiva – Formulário já disponível na Segurança Social Direta (atualizado 10-08-2020)

Desde 6 de Agosto que está disponível na Segurança Social Direta o formulário eletrónico para as entidades empregadoras requererem o apoio extraordinário à retoma progressiva de atividade, destinado a empresas privadas ou do setor social em situação de crise empresarial por redução acentuada de faturação e reduções temporárias do período normal de trabalho (PNT) de todos ou alguns trabalhadores.

Apoio diferenciado depende da quebra de faturação

O apoio extraordinário destina-se a empresas com quebras na faturação igual ou superior a 40%, que procuram retomar a atividade e manter os postos de trabalho. A redução temporária do PNT, por trabalhador, e o apoio extraordinário correspondente têm os seguintes parâmetros:

  1. No caso de Empregador com quebra de faturação igual ou superior a 40 %, a redução do PNT, por Trabalhador, pode ser, no máximo:
    1. De 50 %, nos meses de agosto e setembro de 2020; e
    2. De 40 %, nos meses de outubro, novembro e dezembro de 2020;
  2. No caso de Empregador com quebra de faturação igual ou superior a 60 %, a redução do PNT, por Trabalhador, pode ser, no máximo:
    1. De 70 %, nos meses de agosto e setembro de 2020; e
    2. De 60 %, nos meses de outubro, novembro e dezembro de 2020.

Consulte o Manual Passo-a-Passo para registo dos pedidos na Segurança Social Direta que inclui o Apoio à Retoma Progressiva

Aceda à declaração do contabilista certificado – Mod. RC3058-DGSS

 


Mecanismo de apoio à Retoma Progressiva da Atividade  (atualizado 04-08-2020)

O Governo disponibilizou no seu portal uma página com Perguntas e Respostas sobre o Mecanismo de apoio à Retoma Progressiva da Atividade

 


Incentivo extraordinário à normalização da atividade (atualizado 04-08-2020)

O incentivo extraordinário à normalização da atividade pode ser requerido a partir de 4 de agosto.

Os empregadores que tenham beneficiado do regime de lay-off simplificado e que tenham condições para retomar a sua atividade, podem, a partir do dia 4 de agosto, apresentar o requerimento para acesso ao incentivo extraordinário à normalização da atividade empresarial, previsto no Decreto-Lei n.º 27-B/2020, de 19 de junho.

O requerimento para acesso ao incentivo encontra-se online, no portal iefponline, na área de gestão do empregador, estando já disponível no site do IEFP toda a informação sobre a medida.


Linha de Apoio à Economia COVID-19 – Micro e Pequenas Empresas (atualizado 06-08-2020)

Criada no âmbito das medidas de caráter extraordinário para apoio à normalização da atividade das empresas, com uma dotação de mil milhões de euros, a Linha de Apoio à Economia COVID-19 – Micro e Pequenas Empresas destina-se a apoiar a recuperação das micro e pequenas empresas afetadas pelos efeitos da pandemia do novo coronavírus.


Lei n.º 29/2020 – Diário da República n.º 148/2020, Série I de 2020-07-31

Medidas fiscais de apoio às micro, pequenas e médias empresas no quadro da resposta ao novo coronavírus SARS-CoV-2 e à doença COVID-19


Decreto-Lei n.º 46-A/2020 – Diário da República n.º 147/2020, 1º Suplemento, Série I de 2020-07-30

O presente decreto-lei cria o apoio extraordinário à retoma progressiva de atividade em empresas em situação de crise empresarial, com redução temporária do período normal de trabalho, no âmbito do Programa de Estabilização Económica e Social, tendo em vista a manutenção de postos de trabalho.


Apoio Extraordinário à Retoma Progressiva (atualizado 27-07-2020)

Mecanismo criado pelo Governo para apoiar a manutenção dos postos de trabalho nas empresas que tenham, pelo menos, uma quebra de faturação de 40%.

A Segurança Social comparticipa em 70% a comparticipação retributiva pela redução do período normal de trabalho dos trabalhadores. A redução do período normal de trabalho será variável em função da quebra de faturação e dos meses em causa.


Visão Estratégica para o Plano de Recuperação Económica de Portugal 2020-2030 (atualizado 21-07-2020)

A Visão Estratégica para o Plano de Recuperação Económica de Portugal 2020-2030, elaborada pelo Prof. António Costa Silva, constitui um documento enquadrador das opções e prioridades que deverão nortear a recuperação dos efeitos económicos adversos causados pela atual pandemia. É a partir desta visão estratégica que será desenhado o Plano de Recuperação, a apresentar à Comissão Europeia, com vista à utilização dos fundos europeus disponíveis.

O documento apresenta 10 eixos estratégicos em torno de (i) uma Rede de Infraestruturas Indispensáveis, (ii) a Qualificação da População, a Aceleração da Transição Digital, as Infraestruturas Digitais, a Ciência e Tecnologia, (iii) o Setor da Saúde e o Futuro, (iv) Estado Social, (v) a Reindustrialização do País, (vi) a Reconversão Industrial, (vii) a Transição Energética e Eletrificação da Economia, (viii) a Coesão do Território, Agricultura e Floresta, (ix) um Novo Paradigma para as Cidades e a Mobilidade e (x) Cultura, Serviços, Turismo e Comércio.

Consulte aqui o documento

 


Prazo para a entrega da IES prorrogado até 15 de setembro (atualizado 17-07-2020)

O governo prorrogou o prazo para a entrega pelas empresas da Informação Empresarial Simplificada (IES/DA) até 15 de setembro.

O prazo da submissão da IES/DA já tinha sido prolongado até 7 de agosto, mas um novo despacho do secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, António Mendonça Mendes, vem agora dar mais tempo, até 15 de setembro, para as empresas poderem cumprir esta obrigação declarativa, “sem quaisquer acréscimos ou penalidades”.

Entre os motivos deste novo prolongamento está a necessidade de assegurar a qualidade de reporte de dados, que servem de base à informação estatística nacional e que, considera o secretário de Estado, poderia ser comprometida devido às atuais circunstâncias excecionais impostas pela pandemia de covid-19.

Consulte aqui o Despacho do SEAAF


Segurança Social – Acordos de pagamento das contribuições diferidas (atualizado 15-07-2020)

Planos Prestacionais – pagamento de dois terços das contribuições diferidas [Decreto-Lei n.º 10-F/2020, de 26 de março, na sua redação atual]

Encontra-se disponível, durante o mês de julho, a funcionalidade que permite registar o pedido de plano prestacional de regularização dos montantes de contribuições diferidas.

Este plano prestacional permite:

  • às entidades empregadoras, que nos termos da lei possam beneficiar desta medida, proceder ao pagamento das restantes contribuições referentes aos meses de fevereiro a abril de 2020, ou março a maio de 2020, desde que reúnam as seguintes condições:
    • tenha existido pagamento, dentro do prazo, de um terço das contribuições e da totalidade das cotizações no mês em que eram devidas;
    • se beneficiou no período de março a maio, a totalidade das contribuições respeitantes a fevereiro de 2020 terá que estar paga dentro do prazo;
    • se o pagamento do primeiro mês tiver sido efetuado fora de prazo, os respetivos juros de mora têm que estar pagos.

pagamento será efetuado em prestações mensais e sucessivas, nos meses de julho a dezembro, sem juros de mora, vencendo-se a primeira prestação no final do mês de julho.

Para registar o pedido de Acordo, na Segurança Social Direta, aceda ao separador Conta-corrente> Pagamentos à Segurança Social> Planos Prestacionais> Registar plano prestacional.

De seguida, preencha os dados solicitados e confirme a simulação do plano pretendido.

Depois de proceder ao registo, receberá na sua caixa de mensagens da Segurança Social Direta a confirmação da autorização do plano prestacional.

Consulte aqui informação detalhada sobre Gestão de Acordos e Planos Prestacionais

 


 

Portaria n.º 170-A/2020 – Diário da República n.º 134/2020, 2º Suplemento, Série I, 13 de julho de 2020

Regulamenta o incentivo extraordinário à normalização da atividade empresarial, previsto no Decreto-Lei n.º 27-B/2020, de 19 de junho


Decreto-Lei n.º 27-B/2020, Diário da República n.º 118/2020, 2º Suplemento, Série I, 19 de junho de 2020

Prorroga o apoio extraordinário à manutenção dos contratos de trabalho em situação de crise empresarial e cria outras medidas de proteção ao emprego, no âmbito do Programa de Estabilização Económica e Social


Layoff – Formulário online na Segurança Social Direta (atualizado 18-06-2020)

As empresas que pretendam aderir à atual Medida Extraordinária de Apoio à Manutenção dos Contratos de Trabalho (layoff simplificado) ou ao layoff no âmbito do Código do Trabalho já dispõem de formulário online. Para submeter o pedido devem, através da Segurança Social Direta, escolher a opção Layoff do menu Emprego.

O formulário online agora disponibilizado aplica-se a novos pedidos ou a pedidos de prorrogação e substitui os formulários físicos Mod. RC 3056-DGSS e o Anexo, bem como Mod. RC 3057–DGSS e o Anexo.

 


Seguros de crédito – Facilidade de Curto Prazo OCDE 2020

A 5 de Junho o Ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital e o Secretário de Estado Adjunto e das Finanças assinaram um Despacho conjunto que aprova a “Facilidade de Curto Prazo OCDE 2020.

Entretanto já foram assinados os protocolos que operacionalizam esta medida com as 4 seguradoras: COSEC, Credito Y Caucion, COFACE, CESCE.

O montante garantido é de 750 milhões de euros.


Programa de Estabilização Económica e Social (atualizado 07-06-2020)

 


 

SITUAÇÃO DE CONTINGÊNCIA E ALERTA (atualizado 14-08-2020)

Resolução do Conselho de Ministros n.º 63-B/2020

  • Prorroga a declaração da situação de contingência e alerta, no âmbito da pandemia da doença COVID-19

 


Comissão de Normalização Contabilística (atualizado 01-06-2020)

A CNC emitiu as seguintes recomendações:

  • Recomendação 1 – Tratamento dos impactos da COVID-19 no relato financeiro das empresas e entidades em SNC (aprovada em 01 de abril de 2020)
  • Recomendação 2 – Tratamento dos impactos da COVID-19 no relato financeiro das empresas e entidades em SNC dos exercícios que encerram após 31 de dezembro de 2019 (aprovada em 06 de maio de 2020)
  • Recomendação 3 – Tratamento dos apoios governamentais no âmbito da pandemia da COVID-19 (atualizada em 01 de junho de 2020)

 


Plano de Desconfinamento – Conselho de Ministros de 29 de maio de 2020

 


Sistema de Incentivos ao Empreendedorismo e ao Emprego (SI2E)

Portaria n.º 122/2020 – D.R. n.º 100/2020, Série I de 2020-05-22  – Procede à terceira alteração ao Regulamento que criou o Sistema de Incentivos ao Empreendedorismo e ao Emprego (SI2E), aprovado pela Portaria n.º 105/2017, de 10 de março (adita um anexo que estabelece as regras excecionais e temporárias aplicáveis a operações apoiadas pelo SI2E, em resposta imediata ao impacto da crise de saúde pública no contexto do surto de COVID -19).


FAQ sobre Orientação Técnica n.º 1/2020 – Sistemas de Incentivos às Empresas

Foi disponibilizado no Portal do Portugal 2020, um documento com as novas FAQ/Perguntas Frequentes relativas à Orientação Técnica n.º 1/2020 – Medidas COVID-19 | Sistemas de Incentivos às Empresas.


 

Novo manual da DGS com medidas prevenção e controlo da Covid-19 (atualizado 19-05-2020)

A Direção-Geral da Saúde (DGS) lançou o primeiro volume de um manual com “Medidas Gerais de Prevenção e Controlo da COVID-19”, onde apresenta as caraterísticas gerais da doença e do vírus, bem como os gestos e procedimentos que devem ser adotados diariamente pela população.

No manual, os autores descrevem de uma forma sumária as principais características da doença, como sinais, sintomas e vias de transmissão, que “permitem perceber a importância e razão das medidas preventivas a adotar”.

Entre as medidas preventivas, o manual destaca o distanciamento entre pessoas, a utilização de equipamentos de proteção, a higiene pessoal, nomeadamente a lavagem das mãos e etiqueta respiratória, a higiene ambiental, como a limpeza e desinfeção, e a automonitorização de sintomas, com abstenção do trabalho caso surjam sintomas sugestivos de Covid-19.


Programa ADAPTAR – destinado às micro, pequenas e médias empresas (atualizado 25-05-2020)

Estabelece um sistema de incentivos à adaptação da atividade empresarial ao contexto da doença COVID -19, destinado a micro, pequenas e médias empresas (Programa ADAPTAR).

Este sistema visa minorar os custos acrescidos para o restabelecimento rápido das condições de funcionamento das empresas, sendo apoiados, nomeadamente, os custos de aquisição de equipamentos de proteção individual para trabalhadores e utentes, equipamentos de higienização, contratos de desinfeção e os custos com a reorganização dos locais de trabalho e alterações de layout dos estabelecimentos.


Despacho n.º 5503-B/2020 (atualizado 14-05-2020)

Concessão de uma garantia pessoal do Estado ao Fundo de Contragarantia Mútuo, no âmbito do apoio às empresas nacionais decorrentes da pandemia da doença COVID-19.


Pagamentos aos Beneficiários do SI Competitividade e Internacionalização (atualizado 14-05-2020)

De acordo com informação do Portugal 2020, foi recentemente publicada pela AD&C – Agência para o Desenvolvimento e Coesão, a Norma de Pagamentos dos Sistemas de Incentivos no âmbito do RECI – Regulamento Específico do domínio Competitividade e Internacionalização (Norma AD&C n.º12).


Requerimento de Apoios Excecionais – Nova data | Prazos para efetuar requerimento (atualizado 11-05-2020)

No âmbito dos apoios excecionais e extraordinários previstos no Decreto-Lei n.º 10-A/2020, de 13 de março, para trabalhadores por conta de outrem, trabalhadores independentes e membros de órgãos estatutários, informamos sobre os prazos de entrega dos próximos requerimentos.

Apoio Excecional à Família para Trabalhadores por conta de Outrem e Trabalhadores Independentes

O apoio financeiro deverá ser requerido nas seguintes datas:

  • relativo ao mês de abril – de 1 a 13 de maio;
  • relativo ao mês de maio – de 1 a 10 de junho;
  • relativo ao mês de junho – de 1 a 10 de julho.

Apoio Extraordinário à redução da atividade económica dos Trabalhadores Independentes e dos Membros de Órgãos Estatutários

O apoio financeiro deverá ser requerido através de formulário online disponível na Segurança Social Direta, nas seguintes datas:

  • relativo ao mês de abril – de 20 a 4 de maio;
  • relativo ao mês de maio – de 20 a 31 de maio;
  • relativo ao mês de junho – de 20 a 30 de junho.

Consulte o Despacho.


Segurança Social – Cálculo e pagamento (29 de Abril) (Segurança Social)

Informação relevante para o cálculo e pagamento da medida extraordinária de apoio à manutenção dos contratos de trabalho (layoff).

MAIS INFORMAÇÃO

 


Controlo de temperatura corporal (atualizado 01-05-2020)

Artigo 13.º-C – Decreto-Lei n.º 10-A/2020

1 – No atual contexto da doença COVID-19, e exclusivamente por motivos de proteção da saúde do próprio e de terceiros, podem ser realizadas medições de temperatura corporal a trabalhadores para efeitos de acesso e permanência no local de trabalho.
2 – O disposto no número anterior não prejudica o direito à proteção individual de dados, sendo expressamente proibido o registo da temperatura corporal associado à identidade da pessoa, salvo com expressa autorização da mesma.
3 – Caso haja medições de temperatura superiores à normal temperatura corporal, pode ser impedido o acesso dessa pessoa ao local de trabalho.

Consulte aqui o Decreto-Lei 10-A/2020 (versão consolidada)


 

Ofício-circulado n.º 20 223/2020, de 28/04 (Autoridade Tributária e Aduaneira)

COVID 19 – Medidas de apoio excecionais e temporárias. Decreto-Lei n.º 10-A/2020, de 13/03 e Decreto-Lei n.º 10-G/2020, de 26/03 – Perguntas frequentes (FAQ).

MAIS INFORMAÇÃO


Ofício-circulado n.º 30 220/2020, de 29/04 (Autoridade Tributária e Aduaneira)

IVA – Alínea a) do n.º 10 do artigo 15.º do Código. Extensão da isenção durante o período de emergência motivado pela pandemia do novo coronavírus – Covid-19.

MAIS INFORMAÇÃO


Flexibilização de Pagamentos – Guia de utilização do serviço


Autoridade Tributária e Aduaneira

Despacho 153/2020-XXII do SEAF de 24-04-2020: Cumprimento de obrigações fiscais (COVID 19).

 


Apoio à Manutenção de Contratos de Trabalho – Formação

Lay-Off Plano de Formação

 


Plano Extraordinário de Formação – Reforçar a qualificação dos trabalhadores

 


Incentivo Financeiro Extraordinário para Apoio à Normalização da Atividade da Empresa (período de candidatura ainda encerrado)

 


Apoio excecional à família para Trabalhadores por Conta de Outrem ? Entrega de Declaração de Remunerações


Linha de Crédito de Apoio à Atividade Económica Covid-19 acessível a todos os setores (atualizado 23-04-2020)

 


DIFERIMENTO DE IMPOSTOS E CONTRIBUIÇÕES (atualizado 17-04-2020)

 


MORATÓRIAS DE CRÉDITOS

 


 

SISTEMAS DE INCENTIVOS ESPECÍFICOS NO COMBATE AO COVID-19


PORTUGAL 2020

 


 

Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE)

  • A Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), atendendo à continuação da emergência de saúde pública suscitada pela pandemia de COVID-19, e depois de, numa primeira fase, ter aprovado conjunto de medidas excecionais e urgentes, procede agora à prorrogação dos prazos inicialmente previstos.
  • A ERSE regulamenta ainda o fracionamento de pagamentos e estabelece novas medidas para o setor da energia.
  • Consulte o comunicado aqui
  • Regulamento 356-A/2020 – consulte aqui
    • Regulamento que estabelece medidas excecionais no âmbito do SEN e do SNGN

AMBIENTE

 


DIREÇÃO-GERAL DA SAÚDE (DGS)

Conheça as principais Orientações e Informações da DGS para as empresas:

 


COVID-19 | DIÁRIO DA REPÚBLICA – medidas destinadas aos cidadãos, às empresas e às entidades públicas e privadas


 

NÃO PARAMOS ESTAMOS ON

Site sobre todas as medidas excepcionais implementadas pelo Governo em resposta ao COVID-19:

https://covid19estamoson.gov.pt/

Página da CIP

http://cip.org.pt/covid-19-informacoes-as-empresas/

 

 

 

NOVACOAT certificada ISO 9001:2015

Com ampla experiência técnica, aliada à inovação tecnológica, a NOVACOAT posiciona-se no mercado como uma empresa de excelência em tratamento de superfícies e pintura para a indústria automóvel e outras indústrias. Oferece ao cliente um serviço completo, desde a conceção até a entrega do produto final.

in NOVACOAT, 23-09-2021


Considerando a Qualidade, Segurança e Ambiente como pilar principal associado a todas as atividades e colaboradores, sendo estes últimos uma parte fundamental para o sucesso da empresa, a NOVACOAT orgulha-se que o seu Sistema Integrado de Gestão tenha sido auditado cumprindo com os requisitos da norma ISO 9001:2015.

Segue-se agora a IATF 16949.

A NOVACOAT agradece à equipa o esforço e dedicação de ter atingido esta meta num tão curto espaço de tempo.

Certificado ISO 9001:2015

 

https://novacoat.pt/

 

 

 

VW cuts output at Wolfsburg plant again on chip shortage

Automaker will build Golf on only one shift

in Automotive News Europe, by Nathan Eddy, 23-09-2021


Volkswagen will reduce production next week at its main plant in Wolfsburg, Germany, as the global shortage of microchips and electronic components continues to hit the automaker.

One assembly line, which builds the VW Golf, will operate only during the early shift from Monday through Thursday, while the situation for Friday was still being clarified, a VW spokesperson told Automotive News Europe.

Other assembly lines that build the Touran, Tiguan and Seat Tarraco models will suspend output or work on short time.

VW has been forced to stop or reduce output at Wolfsburg several times this year because of the shortage of semiconductor components that are used in numerous electronic systems in modern cars.

VW, Daimler and BMW executives warned at the Munich auto show earlier this month that that the shortage could take until 2023 to be resolved.

IHS Markit has slashed its production forecast for this year by 6.2 percent due to the supply crunch.

 

<em>A worker is pictured on an assembly line at VW’s plant in Wolfsburg, Germany.
REUTERS

 

CIP | Estratégias mais circulares e capacitação de recursos humanos são críticos para as empresas portuguesas

A CIP – Confederação Empresarial de Portugal, em parceria com a EY-Parthenon, acaba de concluir o apuramento dos resultados de um inquérito de avaliação do avanço da Economia Circular nas empresas portuguesas. Este inquérito foi realizado no âmbito do projeto “Economia Mais Circular”, um projeto CIP pioneiro em Portugal.

in CIP, 23-09-2021


Os resultados do inquérito E+C em apreço apresentam uma avaliação geral da realidade do tecido empresarial nacional em matéria de Economia Circular, em particular no que respeita à integração de conceitos de circularidade na tomada de decisões estratégicas, ao grau de implementação de iniciativas e modelos de circularidade no seu funcionamento e às barreiras associadas. Eles resultados decorrem de uma consulta realizada à base associativa alargada da CIP, distribuindo-se por uma grande diversidade de geografias e setores, com relevância particular das atividades industriais.

O inquérito E+C contou com a resposta de um total de 202 empresas, destacando-se a participação dos setores da “Moda” (20%), da “Metalurgia e Metalomecânica (13%)” e do “Comércio (12%)”. Refletindo as características do tecido empresarial português, os respondentes foram, maioritariamente, PMEs (77%).

Os resultados do inquérito E+C confirmam uma ideia fundamental já conhecida: são as empresas de maior dimensão a apresentar maior perceção e melhores resultados no que diz respeito aos aspetos fundamentais que permitem a progressão em matéria de Economia Circular. Destaca-se o foco em alguns desses aspetos, nomeadamente em “Pessoas e competências”, nos “Sistemas”, nos “Processos e infraestruturas”, na “Inovação” e na “Relações com o exterior/envolvente”.

Os resultados do inquérito E+C mostram, também, que os setores ligados aos “Minérios metálicos e não metálicos” e à “Metalurgia e metalomecânica” são os que evidenciam maior percentagem de empresas que compreendem bem o tema da circularidade e que o conseguem aplicar das mais variadas formas, seja na estratégia das próprias empresas, seja nos seus sistemas de negócio e na formação de equipas, entre outros.

Perceção do conceito de Economia Circular e Circularidade

Existindo uma quase total perceção da vantagem competitiva da Economia Circular e da Circularidade para os vários negócios, 97% das empresas reconhece a importância da adoção de modelos de negócio mais circulares. Contudo, é ainda possível identificar fortes barreiras à sua integração. Os dados analisados apontam para a realidade de apenas 19% dos respondentes integrarem a Economia Circular nas suas decisões de modo a reduzir a sua pegada ambiental. Esta reduzida percentagem parece resultar claramente de obstáculos e barreiras que limitam a aplicação de soluções de circularidade na atividade empresarial, entre as quais se destacam a legislação e enquadramento regulamentar, bem como as questões económicas e financeiras.

“Com a avaliação dos dados recolhidos junto das empresas portuguesas neste inquérito, conseguimos percecionar que a Economia Circular é uma temática que começa a aparecer na ordem do dia, tanto ao nível dos negócios como do diálogo com o Governo e com outras entidades. Infelizmente, notamos que existem ainda dificuldades de implementação prática nos negócios dos vários setores, não só pela débil perceção de processos e ações comuns, como também pelo enquadramento legislativo e regulamentar que subsiste nesta área”, sublinha Sílvia Machado, Assessora Sénior da CIP para a área de Ambiente & Clima.

A confirmar esta avaliação, o inquérito revela que 86% das empresas refletem já o tema da Circularidade, em alguma medida, na sua atividade, mas apenas 12% afirmam que este é um elemento central na sua estratégia.

Profissionalização transversal aos vários setores

No que se refere à aposta em recursos humanos especializados, cerca de três quartos dos inquiridos (74%) entende que tem colaboradores com competências para adotar o conceito de Circularidade, sendo esta realidade mais visível no grupo setorial dos “Minérios metálicos e não metálicos”, no grupo dos “Produtos alimentares” e no grupo da “Gestão de resíduos”. No entanto, é ainda possível verificar uma percentagem baixa (30%) de respondentes abertos à contratação de especialistas em Economia Circular.

Na resposta à especialização de recursos humanos, verifica-se que as empresas que já têm este tipo de perfis, com competências em Circularidade, são aquelas que revelam maior interesse em investir na contratação de mais ativos, o que demonstra a valorização deste know-how para o favorecimento dos negócios. Esta aposta em recursos humanos especializados está mais presente nas funções de “Ambiente”, “Economia Circular ou equivalente”, “Inovação” e “Cadeia de Fornecedores”.

Por outro lado, apenas 7% das empresas disponibiliza, no contexto dos seus planos de formação corporativos obrigatórios, formação personalizada sobre Economia Circular, sendo que os setores mais despertos para esta necessidade são os ligados à “Floresta”, à “Gestão de Resíduos”, à “Química e petroquímica” e aos “Serviços”.

O inquérito mostra, ainda, que a interação com stakeholders em matéria de Economia Circular se encontra em fase de desenvolvimento, mas é implementada em modelos muito “ad hoc”, portanto sem recurso a métodos mais avançados e elaborados.

O Projeto E+C (Economia Mais Circular) é um projeto da iniciativa da CIP, realizado em parceria com a EY-Parthenon, que foi lançado em fevereiro do corrente ano. É maior e mais completo projeto alguma vez feito em Portugal sobre Economia Circular e tem sido desenvolvido em colaboração estreita com as empresas. Durante 12 meses, além de proceder a um levantamento do estado da arte da Economia Circular em Portugal – identificando as boas práticas já adotadas e os projetos em curso –, o projeto E+C procura estimular a adoção pelas empresas portuguesas de uma metodologia de medição da Circularidade amplamente testada a nível internacional.

Pode consultar o Estudo, aqui.

 

 

Escassez de “chips” pode tirar 210 mil milhões às vendas dos fabricantes automóveis

O custo da escassez de semicondutores disparou mais de 90%, antecipando-se que o impacto nas receitas dos fabricantes automóveis suba para 210 mil milhões de dólares.

in Negócios, por Diana do Mar, 23-09-2021


Devido à crise de chips sem travão à vista, os fabricantes mundiais da indústria automóvel deverão fechar o ano com menos 7,7 milhões de veículos produzidos do que em 2020. Esta é previsão da consultora AlixPartners que reviu a estimativa face à anterior de uma redução de 3,9 milhões.

Em janeiro, a consultora tinha estimado que esta crise custaria à indústria 61 mil milhões de dólares, mas reviu os números em alta – para 110 mil milhões – em maio, colocando agora o embate na casa dos 210 mil milhões de dólares, segundo noticia a Bloomberg. E, dada a incerteza que a indústria enfrenta, não é descartada a possibilidade de novos ajustes nas previsões.

Apesar dos contínuos esforços para reforçar a cadeia de abastecimento, a disponibilidade de semicondutores tem vindo a agravar-se à medida que os construtores automóveis esgotam os stocks e outras indústrias ficam sem chips para dispensar.

“O barril está vazio, não resta mais nada para raspar”, afirmou Dan Hearsch, da AlixPartners, em declarações à Bloomberg. “Daqui para a frente as vendas vão sofrer. Só não tinham sofrido antes porque havia reservas no inventário, mas já não há”, reforçou.

Os produtores automóveis começaram a alertar que os problemas se estão a alastrar, podendo prejudicar os lucros do terceiro trimestre do ano. A última a fazê-lo foi a Traton SE, a unidade de camiões da Volkswagen AG.Surtos de covid-19 têm levado ao fecho de uma série de fábricas em mercados-chave de abastecimento no Sudeste Asiático e são agora precisas 21 semanas para dar resposta às encomendas de “chips”. Segundo a consultora, executivos da indústria automóvel antecipam mesmo que a escassez pode prolongar-se por anos a fio.”Parece certamente a mais longa escassez que a indústria alguma vez assistiu até porque nem acabou”, sublinhou Hearsch. “É, sem dúvida, a mais abrangente. Está e todo o lado e afeta toda a gente”, enfatizou. Esta é a terceira previsão da AlixPartners desde o início do ano sobre o impacto financeiro da escassez.

Devido ao problema, a administração de Joe Biden decidiu chamar à Casa Branca para uma reunião de emergência os CEO de grandes empresas afetadas. Segundo a Reuters, esse encontro irá contar com os executivos da Intel, Apple, Microsoft, Samsung Electronics, General Motors, Ford e Stellantis.

 

Declarações do Presidente da AFIA à ANTENA 1 – Indústria automóvel apela ao prolongamento do `lay off`” (com ÁUDIO)

As dificuldades no setor industrial automóvel estão a aumentar com a diminuição da procura e o preço das matérias primas, denuncia o presidente da associação de fabricantes para a indústria automóvel José Couto.

in Antena 1 / Lusa, 22-09-2021


Perante tal cenário, os fabricantes apelam ao prolongamento do ‘lay off’ até ao final do ano.

José Couto diz que se esta medida não for posta em prática a solução das empresas pode passar pela obrigação de despedimento de trabalhadores.

 

 

 

 

Empresas de componentes automóveis estão a “ficar esmagadas”, alerta Adão Ferreira

Apanhadas entre a espada e a parede, as empresas de componentes vivem um “sufoco”. E a AFIA alerta que não conseguirão aguentar muito mais. Existe um risco de perda de empregos no setor, diz a associação.

in Negócios, por Pedro Curvelo, 22-09-2021


“Esmagadas.” Esta é a palavra escolhida pelo secretário-geral da Associação de Fabricantes para a Indústria Automóvel (AFIA) para descrever a situação atual das empresas portuguesas do setor.

Em declarações ao Negócios, Adão Ferreira aponta como “o grande problema” das fabricantes de componentes o facto de estas não conseguirem aumentar os preços para refletir a escalada nos custos das matérias-primas e transportes.

“As margens já têm vindo a diminuir, as empresas estão esmagadas”, diz. “O termo é mesmo esse. Estão mesmo esmagadas porque estão sempre a ver as margens reduzidas. É mais uma das dores de cabeça que se está a viver atualmente”, reforça.

E, nota, ao contrário dos construtores automóveis que podem repercutir os maiores custos nos preços aos consumidores, as empresas da fileira automóvel que fornecem as fabricantes de veículos não têm espaço de manobra.

“Não há capacidade negocial para renegociar preços com os fabricantes automóveis porque a relação comercial é desequilibrada e os fabricantes de automóveis são muito mais poderosos. É o construtor automóvel que tem muito mais poder e impõe aquele preço”, sublinha. “Não há nada a fazer”, desabafa o responsável.

“As dores de cabeça têm vindo a acumular-se. Foi a pandemia, que ainda continua, foram os semicondutores, são as matérias-primas que agora também estão a aumentar… São tudo variáveis que não são controláveis pelas empresas”, lamenta Adão Ferreira.

E mesmo os dados relativamente positivos deste ano, com as exportações de componentes a resistirem sem uma queda muito acentuada – até julho encontravam-se 4,6% abaixo dos valores dos primeiros sete meses de 2019 –, as empresas não estão “numa situação comparável”.

As exportações do setor, defende o responsável da AFIA, têm sido resilientes graças sobretudo ao país vizinho, o principal destino das vendas ao exterior mas o impacto do Brexit levou a que as exportações para o Reino Unido tenham caído mais de 45% face a 2019. “As empresas não podem aguentar muito mais este sufoco. Não têm muito mais margem de manobra”, resume Adão Ferreira.

Navegar à vista

As próprias fábricas de automóveis têm vindo a mudar os seus planos de produção “quase dia a dia”, em grande medida devido à escassez de semicondutores. Isso, frisa, “ afeta toda a cadeia de abastecimento”.

A AFIA pretende apoio do Governo principalmente em termos de flexibilidade laboral e fiscalidade, por forma que “sejam criados mecanismos para que as empresas se possam adaptar rapidamente aos ciclos de produção”.

O fim das moratórias também é mais um fator de preocupação, nota Adão Ferreira. “Não temos dados, mas sabemos que muitas empresas recorreram às moratórias. Tudo o que possa controlar o nível de custos das empresas era bom.”

Perda de empregos é quase inevitável

Perante este cenário, o secretário-geral da AFIA considera que irá haver “algum ajuste” no pessoal das empresas. Ainda assim, acredita que não será muito pronunciado porque “as empresas precisam dos técnicos, que são muito especializados. A última coisa que as empresas querem é dispensar esse pessoal que, depois mais tarde, virão a precisar”.

Adão Ferreira acredita que os preços das matérias-primas tenderá a normalizar-se, mas admite que os preços dos automóveis venham a subir.

 

imagem: Paulo Duarte

 

Folha de bananeira, soja e coco: os novos ingredientes dos carros

A inovação é um processo constante e cada vez mais se ouvirá falar de novas componentes no fabrico dos carros. E muitas delas estão à mão de semear.

in Negócios, por Carla Pedro, 22-09-2021


Para se fabricar um automóvel existem matérias-primas há muito usadas, como os metais industriais e preciosos. Mas, com os progressos tecnológicos, aliados à defesa de um mundo mais verde, menos poluído, cada vez surgem mais “commodities” que se revelam grandes aliadas na produção de um veículo.

A tradicional borracha, que é um material duradouro, económico e flexível, não se usa apenas nos pneus, sendo aplicada também nos limpa para-brisas, mangueiras e vedantes. Também a madeira continua a ser usada na estrutura de alguns carros, já que aumenta a rigidez do chassis, sublinha a Quatro Rodas. E há fibras naturais extraídas da madeira que podem ser utilizadas, por exemplo, no revestimento da bagageira.

Mas as matérias-primas agrícolas começam também a ganhar mais visibilidade nas opções da indústria automóvel. Um exemplo é a folha de bananeira, que em 2008 passou a ser usada na confeção dos tapetes do modelo Lincoln MKT, por ser mais resistente ao calor e uma alternativa mais ecológica.

Outro exemplo vem do cânhamo. A sua fibra, conhecida pela resistência e durabilidade, que é produzida a partir do caule, foi usada, por exemplo, no Lotus Eco Elise – este modelo, apresentado no Salão de Londres de 2008, foi produzido com recurso a fibra endurecida do cânhamo na base dos bancos e no aileron traseiro, e pesava menos 32 quilos. Já em 2015, a Citroën e a Peugeot começaram a testar fibras de cânhamo no reforço de componentes plásticas, como as capas dos retrovisores e os revestimentos da porta, destaca a Flatout. Há também o Mazda MX-5, com carroçaria de plástico reforçado com cânhamo.

Também a fibra de coco recheia desde 1994 os bancos dos veículos comerciais da Mercedes no Brasil. Em 2010, foi a vez de a Fiat fazer o mesmo com o protótipo Uno Ecology, também nos assentos, destaca a Quatro Rodas. Já a Ford foi pioneira na tecnologia da espuma da soja como alternativa ecológica aos estofos sintéticos. É o caso do seu desportivo Mustang de 2008 e dos Ford Escape e Mercury Mariner, de 2010, aponta a mesma fonte.

As fibras naturais utilizadas na indústria automóvel não são aplicadas no seu estado original, mas combinadas com componentes sintéticas, como o polipropileno, para a produção de materiais mistos mais resistentes, explica à DW o diretor de sustentabilidade da Ford na Europa, Wulf-Peter Schmidt.

E, claro, o algodão não engana. Por isso, tem sido um recurso para as almofadas dos assentos que começa a ser cada vez mais usado por marcas automóveis, nomeadamente as que estão a produzir veículos mais ecológicos e com materiais vegan, como a Ford e a Land Rover. O mesmo acontece com um derivado da cana-de-açúcar que a Toyota usa nos assentos.

A inovação é um processo constante e cada vez mais se ouvirá falar de novas componentes no fabrico dos carros. E muitas delas estão à mão de semear.