Presidente da AFIA no seminário BREXIT

Tomás Moreira foi um dos oradores do seminário BREXIT – Oportunidades e Desafios para o Sector Automóvel, organizado pela AICEP em colaboração com a CIP e com o apoio da AIDA.

in AFIA, 07-12-2018


 

Este evento, realizado no dia 28 de Novembro em Aveiro,  teve como propósito informar as empresas exportadoras portugueses sobre os possíveis impactos da saída da união Europeia por parte do Reino Unido (BREXIT).

O Reino Unido é o 2º mercado automóvel em termos de vendas de automóveis e o 4º produtor automóvel da União Europeia.

Em 2017 Portugal exportou 1,1 mil milhões de euros de componentes automóveis para o Reino Unido.

Poderá ver estas informações no seguinte link:

As restantes apresentações estão disponíveis em:

 

 

 

 

SOPAIS adere à AFIA

A Direcção da AFIA dá as boas-vindas ao novo Associado: SOPAIS.

in AFIA, 07-12-2018


 

SOPAIS – Componentes Metálicos, Lda. é uma empresa portuguesa em actividade desde 1987 e com sede em Estarreja.

A SOPAIS fornece essencialmente componentes metálicos para a indústria automóvel: estampagem, conformação de peças, conformação de tubo e soldadura.

Como forma de responder às exigências e necessidades dos clientes a SOPAIS encontra-se certificada pelas normas IATF 16949 (Automóvel), ISO 14001 (Ambiente), OSHAS 18001 (Saúde  e Segurança Ocupacional).

No ano de 2017 e fruto do seu bom desempenho o IAPMEI distinguiu a SOPAIS com o estatuto de PME Excelência.

 

Para mais informações visite a página da SOPAIS em:

www.sopais.pt

 

 

 

 

Innovation is key to preserve Europe´s leadership in the mobility sector

CLEPA, together with the European Forum for Manufacturing, hosted a dinner debate at the European Parliament yesterday, focusing on the importance of innovation for preserving and boosting European leadership in the mobility sector.

in CLEPA, 06-12-2018


 

The dinner-debate “Driving innovation forward” hosted by Members of the Parliament John Procter and Andor Deli, was attended by several other MEPs, European Commission officials and industry representatives, among others. The two winners of the CLEPA 2018 Innovation Awards – Plastic Omnium in the category Environment and Bosch in the category for Safety — were among the speakers that highlighted the benefits of continuous investment in research and development.

 

Innovation is crucial in the mobility sector as it contributes to sustainable and efficient transport and supports European competitiveness. Over the last years, European automotive suppliers have invested more than €22 billion per annum in innovative technologies putting them at the forefront of developments.

 

Innovation is closing the gap to achieve society’s 2050 environmental and safety targets. Automotive suppliers support a holistic approach that rewards innovation and efficiency and brings synergies between technologies, policies, infrastructures and sectors. Safety innovations are an equally essential and rich avenue for development, contributing to support Europe´s industrial competitiveness.

 

CLEPA organises the yearly Innovation Awards competition, that recognises the accomplishments made by European automotive system and component manufacturers in the areas of Environment, Safety, Connectivity, Automation and Cooperation.

 

Sigrid de Vries, CLEPA Secretary General commented: “It is increasingly important to develop new technologies and systems for an ever-higher performance in terms of safety, sustainability, connectivity and seamless mobility. Companies largely carry these investments themselves, injecting substantial revenues back into their product development. However, support from funding programmes remains highly important to boost pre-competitive and collaborative research involving universities, research organisations, industry, SMEs, and other actors research. Here, Europe can continue to play an important role in support of global leadership.”

 

On his opening speech, MEP John Procter highlighted “There is clear need for supporting R&D In Europe. The development of research, supply, processing and production strategies into light-weight component construction developments is crucial for advancement in a low-carbon transition in the automotive sector”. Also, MEP Andor Deli commented “technology neutrality must prevail, based on a ?well-to-wheel? approach on vehicle emissions. There is a request to the European Commission to propose a methodology for this by the end of 2022” also, he subscribed the importance of having an innovation strategy on the CEE countries that “aims to attract the research and development teams of the automotive OEMs for not just traditional but also autonomous driving”

 

——————————————————————–

More information about CLEPA Innovation Awards here

2018 Awarded innovations brochure 

Videos from the winners in our YouTube channel

 

The policy papers and pictures from the event will be available next week at the European Forum for Manufacturing website   http://www.euromanuforum.com/

 

 

2C2T E COPO TÊXTIL PÕEM CARROS A RECONHECEREM PASSAGEIROS

Num futuro não muito distante, os carros vão identificar logo quem se senta neles, na sequência de uma investigação conjunta do Centro de Ciência e Tecnologia Têxteis da Universidade do Minho (2C2T) e da Copo Têxtil, empresa de capitais espanhóis com fábrica em Santo Tirso.

in Jornal T, 06-12-2018


 

Concebido para evitar roubos, este milagre do reconhecimento do ser humano pela máquina é conseguido através do cruzamento de várias informações – ritmo cardíaco, peso, maneira particular de sentar, etc – disponibilizadas por sensores colocados no tecido do assento. Sem o devido reconhecimento, o carro não arranca e fica imobilizado.

O 2C2T tem sido cada vez mais procurado por empresas que trabalham para o setor automóvel. Os airbags para os Audi autónomos, que está a desenvolver com os alemães da ZF, que têm fábrica em Ponte de Lima, são um dos cerca de 40 projetos, de dimensão e maturidade variadas, que o centro de i&d da Universidade do Minho tem em mãos.

Boa parte dos projetos nascem da procura por parte das empresas a braços com problemas que sozinhas não conseguem resolver. Quando a Somelos ficou alarmada com a elevada percentagem de defeito que estava a ter no fabrico de um fio elástico muito fino, revestido a algodão e com elastano e lycra dentro, foram ter com o 2C2T e em conjunto arranjaram uma solução que optimizou o processo de fabrico, reduzindo o desperdício e tornando-o energeticamente mais eficiente. Melhor era impossível.

“Mas não nos limitamos a esperar que nos venham pedir ajuda. Também somos proativos e propomos projetos às empresas”, explica Fernando Ferreira (foto), o diretor do 2C2T, centro em que estão envolvidos cerca de um centena de investigadores (desde doutorados da casa até técnicos, passando por bolseiros e alunos de mestrado ou doutoramento) e que tem um orçamento anual na ordem dos dois milhões de euros.

 

 

Rolf Schnellecke will be admitted to the Logistics Hall of Fame in Berlin

A glamorous stage for Professor Rolf Schnellecke: On December 5, 2018 the outsourcing pioneer was admitted access to the Logistics Hall of Fame on the occasion of the annual gala reception of the Logistics Hall of Fame in the historic Erich Klausener Hall of the Federal Ministry of Transport in Berlin, Germany.

in Logistics Hall of Fame, 05-12-2018


 

More than 250 guests, including the leading figures of the automotive industry and logistics, accompanied the Chairman of the Supervisory Board of Wolfsburg-based Schnellecke Group AG & Co. KG, when he received the membership certificate made of glass and metal.

“The members of the Logistics Hall of Fame are visionary people, driving forces and pioneers. With their ideas, their innovations, their entrepreneurship and their courage, they have optimized and developed logistics all over the world. And they have brought us growth and prosperity. With vision and determination Professor Rolf Schnellecke has raised especially the logistics of the automotive industry to a new level. For this he deserves gratitude and respect,” said Andreas Scheuer, Federal Minister of Transport.

The laudatory speech for the new member was held by Prof. Dr. Thomas Wimmer, Chairman of the Management Board of the German Logistics Association (BVL). In his speech, he paid tribute to Schnellecke’s groundbreaking work: “In 1990, Schnellecke was the first freight forwarder to carry out assembly work as part of the VW production. He has developed this form of cooperation into a trademark: value-added logistics for the automotive industry”.

In brief talks, VDA President Bernhard Mattes, VW Group logistics expert Thomas Zernechel und Schnellecke CEO Nikolaus Külps reviewed the history of logistics outsourcing and discussed the milestones and business models of the future.

Portugal in 150 Seconds – Industry com novo episódio sobre a J. Prior

A vertente Industry da série Portugal in 150 Seconds acaba de lançar mais um episódio, dedicado à J. Prior, uma empresa da indústria de plásticos constituída há 40 anos. A AICEP é parceira oficial deste projeto, que potencia a divulgação dos setores, empresas e instituições portuguesas.

in Lua Filmes / AICEP, 05-12-2018


 

A J.Prior é uma empresa de referência no mercado, que sustenta o seu crescimento na satisfação das necessidades dos clientes, colaboradores e parceiros. A conquista e fidelização dos clientes estão intimamente ligadas à superação de expectativas e à aposta no profissionalismo, no rigor, no elevado desempenho e na criação de soluções.

 

Esta vertente da série tem como parceiras oficiais a Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP) e a Agência para a Competitividade e Inovação (IAPMEI). Ao associarem-se a este projeto a AICEP e o IAPMEI estão a apoiar e a potenciar a divulgação das empresas portuguesas, instituições ou setores retratados nos episódios produzidos.

 

 

 

 

 

Groupe PSA Zaragoza superó su récord de producción mensual en noviembre

La planta de Groupe PSA en Zaragoza cerró el mes de noviembre con un total de 48.512 unidades fabricadas, registro que se convierte en el récord histórico mensual de la factoría. Esa cifra supera a las 48.493 unidades cosechadas en mayo de 2007, año en el que la planta aragonesa estableció su plusmarca de producción en 485.857 vehículos fabricados.

in AutoRevista, 05-12-2018


 

Actualmente, la factoría fabrica tres modelos de la marca Opel/Vauxhall (Corsa, Crossland X y Mokka X), así como el Citröen C3 Aircross. De las líneas de producción de Zaragoza están saliendo actualmente más de 2.060 vehículos al día, volumen que se incrementará a partir de enero de 2019.

Desde Groupe PSA Zaragoza destacan la buena acogida de todos estos modelos en el mercado y argumentan que este nuevo hito se ha logrado con la línea 1, donde se fabrican Opel Crossland X, Mokka X y Citröen C3 Aircross, trabajando a 17 turnos y tras incorporar en la línea 2 el turno de noche de Corsa reducido en octubre de 2018. A partir de enero, la línea de Corsa trabajará a su capacidad total en los tres turnos.

Antonio Cobo, director general de la planta de Zaragoza ha manifestado que “la adjudicación de nuevos modelos desde el año 2013 y su éxito en el mercado ha sido determinante no solo para la mejora de los niveles de empleo en la planta y en el sector, sino también para que la planta aragonesa haya podido optimizar su capacidad productiva y así llegar este año a sobrepasar los volúmenes mensuales de su año récord mientras seguimos apostando por una planta a su capacidad máxima anual”.

 

 

Competitividade acrescida para a Indústria do Setor Automóvel

Muito se tem discutido sobre a revolução em curso da Indústria 4.0, faltando aprofundar como podem as empresas do setor automóvel, nomeadamente em Portugal, capitalizarem esta transformação melhorando de forma decisiva o seu posicionamento competitivo, tornando o nosso país um mercado por excelência para o fornecimento de componentes para fabricantes internacionais.

in DPO Consulting, 04-12-2018


 

A UE está a regular cada vez mais a transferência de dados na qual assenta a Indústria 4.0. A circulação de dados – de informação pessoal ou de negócio – vem colocar um conjunto de desafios cujo entendimento antecipado do alcance, dimensão e oportunidade constituirá um fator decisivo, podendo dar origem a uma reorganização da cadeia de valor da indústria, nomeadamente ao nível dos Players.

Na verdade, no panorama regulatório atual, temos em vigor no espaço europeu o Regulamento Geral de Proteção sobre Dados que impõe medidas que obrigam a definir, documentar e implementar processos, a implementar estruturas de Governance, bem como formar e sensibilizar os colaboradores da necessidade de alteração de comportamentos de risco face às ameaças da Segurança da Informação e às ainda mais críticas ameaças cibernéticas provenientes da interligação global, do fim das fronteiras e perímetros físicos das organizações e da reduzida maturidade das organizações face a estes riscos.

Ainda no panorama regulatório europeu, está em vigor também uma diretiva relativa à proteção de infraestruturas críticas de cada país, diretiva esta já traduzida em lei dentro de cada país, em Portugal, a Lei 46/2018 de 13 de Agosto.  Esta Lei vem obrigar à adoção de um conjunto de medidas que garantam a resiliência e uma mitigação do risco de ataques em conjunto com a capacidade de responder adequadamente e repor os níveis de serviço num espaço de tempo definido e aceitável.

No início do ano de 2019, será apresentado pelo Centro Nacional de Cibersegurança o quadro de referência de Cibersegurança que se tornará base de Certificação para as organizações e empresas europeias (Programa de Certificação da ENISA – Agência Europeia de Cibersegurança) de forma a poderem demonstrar evidências na chamada “Digital Trust” ou confiança digital, perante os seus parceiros de negócio no Mercado Único Europeu, medida basilar da Comissão Europeia para o aumento da competitividade da Europa face ao panorama EUA/China.

O constante aumento do número de ataques com consequências financeiras significativas (as mais recentes sendo Maersk, Saint-Gobain, FedEx, Reckitt Benckiser, Beiersdorf entre tantas outras) alerta para a necessidade de incluir o risco de ataques cibernéticos e violações de dados (pessoais, de negócio ou de propriedade intelectual) na análise de risco corporativa, sob pena da estratégia das empresas estar a ser definida ignorando um crescente fator de disrupção.

Em suma, as maiores empresas do setor, maduras nas suas políticas e processos internos, mais poderosas financeiramente, estão progressivamente a aumentar o grau de exigência no processo de seleção dos seus parceiros e fornecedores (exemplo novos contratos/adendas para subcontratantes do Regulamento de Proteção de Dados) o que se traduz numa crescente exigência, baseada em evidências de responsabilidade demonstrada, confiança e resiliência.

Este desafio externo vem colocar o repto às empresas de assumirem a decisão estratégica de serem inovadoras, proactivas e apresentarem aos seus clientes as suas credenciais ou serem reativas perante os requisitos de Segurança da Informação provenientes da regulação Europeia e Internacional bem como dos próprios clientes que definem requisitos adequados à sua proteção, proteção esta que estende naturalmente aos seus parceiros e clientes dada a interligação crescente dos sistemas de informação.

A decisão dos Lideres não é sobre “se” mas sim “como” e “quando… e “hoje” já não é cedo.

 

Elsa Veloso

ev@dpoconsulting.pt

CEO da DPO Consulting

 

https://www.dpoconsulting.pt/

 

 

 

 

A PTC Academy apresenta a oferta formativa para o 1º semestre de 2019!

A PTC Academy apresenta a sua oferta formativa procurando dar resposta às necessidades sentidas no mercado e junto do seu público.

in PTC Academy, 03-12-2018


 

As formações tem uma forte componente prática e serão lecionadas por profissionais com grande experiência na área.

Contacte-nos para mais informações!

Email: academy@ptcgroup.com.pt

Site: www.ptcacademy.pt

 

 

Bosch reforça presença em Portugal e vai contratar 200 engenheiros

Multinacional alemã instala equipa de Investigação e Desenvolvimento (I&D) de ferramentas elétricas em Portugal. Até ao final de 2019, pretende contratar 200 engenheiros para as suas unidades de Ovar, Braga e Aveiro.

in Jornal Económico, por João Varela Rodrigues, 30-11-2018


 

A “cooperação luso-alemã” que a chanceler Angela Merkel sublinhou, aquando da sua visita à unidade da Bosch em Braga, acompanhada pelo primeiro-ministro, António Costa, em maio deste ano, continua a dar frutos. A multinacional germânica vai instalar em Portugal uma nova equipa de Investigação e Desenvolvimento (I&D) de ferramentas elétricas e prevê contratar um total de 200 engenheiros em 2019 para as várias divisões da empresa, disseram ao Jornal Económico dois responsáveis da Bosch.

Estes profissionais estarão dispersos pelas unidades da Bosch em Braga, Aveiro e Ovar. Nesta última, será criada uma equipa de I&D na área de ferramentas elétricas, que contará com 20 engenheiros contratados para o efeito, que estará em pleno funcionamento no próximo ano, num reforço que assinala a entrada de engenheiros portugueses  nesta divisão do grupo alemão.

“Sabemos que este é um passo muito importante na I&D em Portugal e que contribuirá positivamente para que Ovar faça parte do leque de regiões do país atrativas para o desenvolvimento da tecnologia do futuro. Algo que pesou na decisão de trazer essa equipa para Portugal foi a nossa capacidade de trabalho, flexibilidade e a criatividade”, afirmou o administrador da Bosch em Ovar, António Pereira.