Fabricantes para a indústria automóvel temem aumento de greves em Portugal

O presidente da Associação de Fabricantes para a Indústria Automóvel (AFIA), Tomás Moreira, manifestou-se hoje preocupado com o eventual aumento da conflitualidade laboral em Portugal, considerando que qualquer obstáculo à livre circulação das mercadorias é “dramático” para o setor.

in Diário de Notícias / Lusa, 23-01-2019


 

“Podemos parar fábricas de automóveis em toda a Europa de um dia para o outro e isso é algo que Portugal não pode arriscar, porque seria uma perda de imagem terrível e travaria o investimento do setor em Portugal”, disse à Lusa Tomás Moreira.

O presidente da AFIA falava à Lusa em declarações à margem do 9.º encontro da indústria automóvel que decorreu hoje em Ílhavo.

Tomás Moreira realçou que Portugal tem conquistado investimento estrangeiro e as empresas portuguesas têm-se desenvolvido, porque “tem havido muito baixa conflitualidade e não tem havido obstáculos à livre circulação de mercadorias”, uma realidade que poderá mudar com o aumento de greves.

“Espero que haja a consciência das pessoas responsáveis por esse tipo de situações para não afetar de uma forma significativa os fluxos de mercadorias, porque isso tem consequências a muito longo prazo. Isso não nos afeta as vendas do dia ou da semana. Isso afeta todo o nosso desenvolvimento a médio e longo prazo”, sublinhou.

O representante dos fabricantes para a indústria automóvel referiu ainda que o mercado europeu de construção de automóveis está a estagnar, “fruto de mudanças que há no setor, tecnológicas, na mobilidade, nos hábitos das pessoas”, o que exige um maior investimento das empresas e apoio por parte do Estado.

“O Estado tem de facilitar esta transição e estas transformações, não sobrecarregando as empresas com custos não só na fiscalidade, mas também custos que estão escondidos na energia, nos combustíveis, nos transportes”, disse Tomás Moreira.

A falta de mão-de-obra qualificada e a falta de alternativas à rodovia, a longo prazo, são outras das preocupações do setor que em 2018 teve um volume de negócios de 11,3 mil milhões de euros.

“No futuro, haverá restrições e sobrecustos para os transportes rodoviários e nós precisamos de alternativas por via marítima e via ferroviária”, disse Tomás Moreira, adiantando que aquilo que existe hoje “não é suficientemente competitivo e operacional” para as necessidades do setor.

Referindo-se aos projetos anunciados pelo Governo para a ferrovia, o presidente da AFIA disse que “não estão a ser feitos os investimentos que o setor precisa”, temendo que Portugal possa ficar “transformando numa ilha e separado do resto da Europa, sem possibilidades de aceder por via ferroviária”.

 

 

Forte crescimento das exportações de componentes pode não ser sustentável

O paradigma da indústria automóvel está a mudar, com fortes pressões dos legisladores para que a pegada ecológica do setor seja fortemente cortada. O 9º encontro do setor dá disso conta.

in Jornal Económico, por António Freitas de Sousa, 23-01-2019


 

A fileira da indústria automóvel centralizada na Associação dos Fabricantes da Indústria Automóvel (AFIA) organiza esta quarta-feira o 9º Encontro da Indústria Automóvel (em Ílhavo), subordinada ao tema ‘Crescimento na Mudança’, num quadro em que o paradigma do setor está em crescente alteração.

“O sector de componentes para a indústria automóvel continua a demonstrar um sólido desempenho traduzido num aumento de 7% de exportações quando comparados os valores acumulados de Outubro de 2018 versus 2017. Este é um sinal de vitalidade que reflete a tendência de anos anteriores de aumento de penetração dos componentes produzidos em Portugal, já que o mercado automóvel europeu, principal destino das exportações portuguesas, irá crescer perto de 2%” refere a AFIA.

Mas, “apesar desta vitalidade demonstrada pelo sector há motivos de preocupação”. Depois da crise de 2009, o sector de componentes tem vindo a crescer as suas vendas a um ritmo anual que tem variado entre os 5% e os 10%, com reflexo direto no crescimento das exportações do sector.

Esta evolução “muito positiva” deveu-se a vários fatores conjugados: retoma, moderada mas sustentada, da produção de automóveis na Europa; Espanha, principal cliente da indústria de componentes portuguesa, foi dos mercados com maior crescimento; a indústria ganhou posições na Grã-Bretanha, aproveitando a revitalização da produção automóvel; com exceção da América do Sul, crescimento forte e sustentado da produção de automóveis no resto do mundo, que no total representam 8% do destino das nossas exportações; a partir de 2017, novos modelos lançados nas duas principais fábricas de automóveis portuguesas, com volumes de produção recorde.

A associação revela, por outro lado, que “estes fatores que levaram ao crescimento do nosso mercado terão nos próximos anos uma evolução previsivelmente menos positiva”. E elenca os sinais de preocupação: a produção de automóveis em Portugal e em Espanha estará a atingir um pico e a partir de 2019 dificilmente continuará a crescer, a não ser através da eventual instalação de um novo construtor automóvel, o que é apenas uma possibilidade longínqua: o mercado europeu está a retrair-se, em 2018 produzir-se-ão na Europa menos carros do que em 2017; o Brexit poderá travar as nossas exportações para o Reino Unido, o quarto maior mercado das nossas exportações, e com forte probabilidade provocará alguma retração do mercado: o protecionismo comercial crescente por parte dos EUA irá reduzir as exportações europeias para esse destino e poderá ser copiado por outros países, levando a barreiras tarifárias que reduzirão o comércio internacional.

Mas há ainda outros sintomas a considerar: as regulamentações de combate às emissões de: CO2, Dióxido de Nitrogénio e partículas, estão a colocar exigências e desafios difíceis de superar: a pressão para electrificação traz desafios acrescidos para as motorizações tradicionais; as novas tendências da mobilidade irão trazer uma redução do número de carros em circulação.

“Todos estes fatores, quer cada um individualmente, quer no seu conjunto, estão a alterar significativamente a envolvente em que operam os fabricantes de componentes para a indústria automóvel, concluiu a AFIA.

 

 

DS Smith Tecnicarton presentará sus soluciones para el sector de la automoción en el 9º Encuentro de la Industria del Automóvil de Portugal

La compañía, además, es patrocinadora del evento que reúne a todos los proveedores de la industria del automóvil de Portugal

in DS Smith Tecnicarton, 22-01-2019


 

DS Smith Tecnicarton presentará sus productos y las soluciones de embalaje para el sector de la automoción el próximo 23 de enero en el 9º Encuentro de la Industria del Automóvil de Portugal. El evento, organizado por AFIA (Asociación de Fabricantes para la Industria del Automóvil portuguesa) reunirá a todos los proveedores de la industria del automóvil de Portugal con el objetivo de intercambiar experiencias y reflexionar sobre los retos a los que se enfrenta el sector, tanto nacional como internacionalmente.

La compañía líder en soluciones innovadoras para el sector del embalaje industrial estará presente en este certamen como patrocinador y como expositor y busca crear un marco de encuentro con sus clientes para tantear nuevas oportunidades de negocio. También dará a conocer los valores de la empresa y sus servicios a potenciales nuevos clientes.

DS Smith Tecnicarton ya ha participado con anterioridad en antiguas ediciones de este encuentro, por lo que conoce la importancia de darse a conocer y potenciar su marca en este contexto. Su compromiso este año como patrocinador persigue el propósito de ir un paso más allá para darse a conocer entre todos los asistentes, a través de un espacio preferente desde el que presentarán sus soluciones de embalaje durante las pausas del evento y los momentos para el networking.

Como explica Rui Osório, director de la planta de DS Smith Tecnicarton en Portugal, “estamos en un entorno en el que darse a conocer en el sector es fundamental dado al alto nivel de competencia al que hoy en día nos enfrentamos las empresas, por lo que se hace imprescindible la participación en este tipo de eventos”.

En este sentido, Alicia Correa, directora de comunicación de Tecnicarton, explica que el mercado portugués “sigue siendo estratégico para la compañía, de ahí que reforcemos nuestra presencia en estos encuentros en los que la mayoría de asistentes son potenciales clientes, si no lo son ya”.

 

 

Acerca de Tecnicarton:

Tecnicarton es una empresa líder en soluciones innovadoras para el sector del embalaje industrial. Su principal actividad se centra en soluciones para el transporte y la logística de productos de gran volumen y peso, así como para productos que requieren una protección total en la cadena logística.

 

Actualmente trabaja en nuevos desarrollos para clientes como Renault, Volkswagen o Ford, así como fabricantes de equipos y componentes –airbags, proyectores, salpicaderos, etc.). Sus productos se utilizan tanto en operaciones para el equipo original, CKD y recambios.

También trabajan para el sector aeronáutico y el sector agroalimentario con embalajes de grandes pesos y graneles.

Tecnicarton pertenece  al Grupo DS Smith, proveedor de embalaje de cartón ondulado, líder en Europa y especialista en embalaje de plástico a nivel mundial. Actualmente opera en 34 países y emplea a alrededor de 25.400 personas.

 

 

AFIA REÚNE SECTOR

Dia 23 de janeiro a AFIA reúne a indústria automóvel no Museu da Vista Alegre, em Ílhavo, para debater o “Crescimento na Mudança”. O Secretário de Estado da Economia, José Correia Neves, encerrará a sessão.

in AFIA, 16-01-2019


 

“Crescimento na Mudança” é o tema que a AFIA – Associação de Fabricantes para a Indústria Automóvel senta ao volante do 9º Encontro da Indústria Automóvel. O evento vai reunir os principais agentes do setor no Museu da Vista Alegre, em Ílhavo, já na próxima quarta-feira, dia 23 de janeiro.

Com a indústria automóvel a manter recordes de crescimento nos últimos anos, quer em termos de exportações, criação de emprego e volume de negócios, a AFIA alerta para a pressão que o setor sente e para os desafios que surgirão no futuro. O tema “Crescimento na Mudança” pretende assim debater e encontrar formas de manter um crescimento sustentado numa altura em que a mudança de comportamentos do mercado já se começa a fazer sentir e a causar algumas incertezas quanto ao futuro. Este, será o espaço onde todas as entidades relacionadas com a área automóvel poderão trocar experiências e refletir sobre os principais temas que envolvem o setor atualmente.

O Encontro tem abertura marcada para as 10h com as boas-vindas de Tomás Moreira, presidente da AFIA, que recebe assim, todos os participantes seguindo-se a intervenção de Luís Castro Henriques, presidente da AICEP.

Pedro Carvalho e Fernando Ferrinha da AFIA serão os responsáveis por uma primeira abordagem ao setor, com uma caracterização da Indústria Automóvel em Portugal.

Durante o dia estão previstos três painéis, sendo o primeiro dedicado aos Recursos Humanos, com intervenções de José Martins da Universidade de Aveiro, Ricardo Costa da SDO Consulting e Jorge Araújo da Teamwork, com moderação de Jorge Castro da AFIA.

Já da parte da tarde os trabalhos têm início com a apresentação por Rodrigo Custódio (Roland Berger) do estudo “Global Automotive Supplier Study 2018”. Este painel contará com moderação de Tomás Moreira, presidente da AFIA e participação de Jorge Rosa, da presidente da ACAP e José Couto presidente da MOBINOV.

O último painel do dia será dedicado aos Factores competitivos da Indústria Portuguesa com intervenções de Tiago Caiado Guerreiro da CIP e Isabel Furtado da TMG. A moderação deste painel ficará a cargo de Adolfo Silva da AFIA.

A encerrar este 9º Encontro da Indústria Automóvel estará o Secretário de Estado da Economia, José Correia Neves.

De referir que a AFIA congrega os fornecedores da indústria automóvel localizados em Portugal há mais de 50 anos e tem procurado, através de vários iniciativas nacionais e internacionais, fomentar o desenvolvimento e internacionalização do setor.

O Encontro da AFIA é patrocinado por: BANCO BPI; DS SMITH TECNICARTON; FUCHS; HAYS; APPLUS IDIADA e OPCO.

 


 

Para mais informações ver:

 

A Ficha de Inscrição deverá ser remetida para info@afia.pt até ao dia 17 de Janeiro de 2019.

 

 

 

 

AFIA | Encontro de Fornecedores CaetanoBus

A Indústria Portuguesa deu um passo importante ao juntar as empresas Fabricantes de Componentes para a Indústria Automóvel com a maior fabricante de carroçarias e autocarros instalada em Portugal – a CaetanoBus.

in AFIA, 21-12-2018


 

Na sequência do processo contínuo de desenvolvimento dos seus Associados a AFIA em parceria com a CaetanoBus realizou, 6 Dezembro, um Encontro de Fornecedores.

A CaetanoBus apresentou a sua estratégia de crescimento para os próximos 10 anos e as oportunidades que daí advêm para os fornecedores actuais e potenciais.

Os Associados da AFIA, após a visita à fábrica situada em Vila Nova de Gaia, promoveram as suas capacidades junto dos responsáveis das áreas de Compras, de Engenharia e de Desenvolvimento desta empresa pertencente ao grupo Salvador Caetano.

Ficou claro no final que existe um clima de confiança na obtenção de resultados positivos para os Associados da AFIA, e a clara vontade da CaetanoBus alargar a incorporação nacional nos seus produtos.

 

 

AFIA aproxima empresas e formação

O desfasamento que existe entre a oferta e a procura de técnicos qualificados em Portugal é cada vez mais notório e um fator de preocupação para as empresas. Neste panorama, a Formação Profissional tem vindo a assumir um papel cada vez mais preponderante, sendo capaz de, num curto espaço de tempo, formar técnicos altamente qualificados de acordo com as necessidades da indústria.

in AFIA / ATEC, 17-12-2018


 

Ciente destas questões, a AFIA – Associação de Fabricantes para a Indústria Automóvel, promoveu um Open Day à ATEC – Academia de Formação, em Matosinhos, com o claro objetivo de aproximar as empresas às entidades de formação, fomentando sinergias por forma a encontrar um equilíbrio entre a “oferta” e a “procura” de recursos humanos qualificados.

Além da apresentação da Academia e visita às instalações, as empresas visitantes foram ainda desafiadas pelo Diretor da ATEC para a Região Norte, Paulo Peixoto, a refletir nas dificuldades e possíveis soluções de recrutamento de mão-de-obra qualificada.

Visitaram a ATEC o CINFU, a ERT Têxtil, o GRUPO PR, a TMG, a Sonafi, a ZF, a DF Elastomer Solutions, a Mitsubishi Fuso Truck, a PTCPORT – Plastic & Tooling Concept, a MICROplásticos, a Renault Cacia, a Fundínio e a Yazaki Saltano.

 

 

AFIA | 9º ENCONTRO DA INDÚSTRIA AUTOMÓVEL

A AFIA – Associação de Fabricantes para a Indústria Automóvel, vai realizar, no Museu da Vista Alegre, em Ílhavo, no dia 23 de Janeiro de 2019, o 9º Encontro da Indústria Automóvel, subordinado ao tema “Crescimento na Mudança”.

in AFIA, 12-12-2018


 

Ao organizar o Encontro da Indústria Automóvel, promove a AFIA uma oportunidade para que todas as entidades relacionadas com o sector automóvel troquem experiências e reflictam sobre temas que o caracterizam, numa perspectiva nacional e internacional.

Para mais informações ver:

 

A Ficha de Inscrição deverá ser remetida para info@afia.pt até ao dia 17 de Janeiro de 2019.

 

Esperando que este evento responda às expectativas de V.Exas, apresentamos os nossos melhores cumprimentos,

 

A AFIA

 

 

 

AFIA no Fórum Económico Portugal-Marrocos

A CIP – Confederação Empresarial de Portugal  em parceria com a sua congénere marroquina, a CGEM – Confédération Générale des Entreprises du Maroc, com o apoio da Embaixada de Marrocos em Portugal e da AICEP realizaram um Fórum Económico Portugal-Marrocos.

in AFIA, 07-12-2018


O Fórum Económico Portugal-Marrocos, contou com a presença de mais de 180 participantes, entre os quais 70 representantes de empresas e entidades marroquinas, que estão em contacto com empresas portuguesas para identificar potenciais oportunidades de negócio nos sectores automóvel, têxtil e vestuário, tecnologias de informação e startups, energia, construção, entre outros.

Durante o Fórum Portugal-Marrocos, realizaram-se mesas-redondas sectoriais entre as quais uma dedicada ao Automóvel.

Tomás Moreira, Presidente da AFIA, apresentou a indústria portuguesa de componentes automóveis e as relações entre os dois países. Conforme divulgado na altura, a AFIA assinou em Dezembro de 2017 um protocolo de cooperação com a sua congénere marroquina, AMICA, para entre outros fortalecer a promoção da cooperação técnica e comercial entre as empresas dos dois países.

A AFIA em parceira com a CEFAMOL promoverão a participação portuguesa:

  • Automotive Meetings Tangier-Med, Fevereiro 2019
  • Salon de la Sous-Traitance Automobile, Maio 2019

 

No seguinte link do Portal da CIP estão disponíveis mais informações do Fórum Económico assim como todas as apresentações deste painel: AFIA, CEFAMOL, AMICA, AICEP, SIMOLDES e RENAULT MARROCOS

 

Portal da CIP

 

Presidente da AFIA no seminário BREXIT

Tomás Moreira foi um dos oradores do seminário BREXIT – Oportunidades e Desafios para o Sector Automóvel, organizado pela AICEP em colaboração com a CIP e com o apoio da AIDA.

in AFIA, 07-12-2018


 

Este evento, realizado no dia 28 de Novembro em Aveiro,  teve como propósito informar as empresas exportadoras portugueses sobre os possíveis impactos da saída da união Europeia por parte do Reino Unido (BREXIT).

O Reino Unido é o 2º mercado automóvel em termos de vendas de automóveis e o 4º produtor automóvel da União Europeia.

Em 2017 Portugal exportou 1,1 mil milhões de euros de componentes automóveis para o Reino Unido.

Poderá ver estas informações no seguinte link:

As restantes apresentações estão disponíveis em:

 

 

 

 

A AFIA dá as boas-vindas ao novo Associado: SARRELIBER

A Direcção da AFIA aprovou a adesão à Associação da empresa SARRELIBER.

in AFIA, 14-11-2018


 

A Sarreliber – Transformação de Plásticos e Metais, S.A. foi constituída em 2001 e é especializada no revestimento químico e electrolítico de peças plásticas.

Esta empresa de capitais franceses pertence ao grupo SARREL fundado em 1959 e que também tem fábricas em França e no México.

Em Portugal a SARRELIBER tem fábrica em Arcos de Valdevez e encontra-se em certificada pelas normas IATF 16949 (Automóvel), ISO 14001 (Ambiente), OSHAS 18001 (Saúde  e Segurança Ocupacional), ISO 50001 (Eficiência Energética), NP4427 (Recursos Humanos) .

 

Para mais informações visite a página da SARRELIBER em: www.sarrel.com