Skip to main content

Associações automóveis apoiam parceria comercial entre a Europa e EUA

O décimo “round” da Parceria de Investimento e Comércio Transatlântico (TTIP, nas siglas em inglês) entre os Estados Unidos e a União Europeia teve lugar em Bruxelas.

in Vida Económica, 24-07-2015

As negociações estão a ganhar uma nova dinâmica, com este acordo comercial, sem precedentes a nível económico, a ganhar força.

Para a indústria automóvel, o TTIP representa uma oportunidade para remover barreiras regulatórias, mantendo padrões elevados de segurança e ambientais. Caso o acordo avance e as diferenças regulatórias forem eliminadas, o comércio automóvel poderá aumentar cerca de 20% ou mais, o que resultará num aumento do negócio em mais de 20 mil milhões de dólares, de acordo com Associação dos Construtores de Automóveis Europeus (ACEA). A indústria estima que este aumento vai resultar em mais 240 mil veículos transacionados todos os anos, num valor de nove mil milhões de dólares e com a garantia de muitos milhares de postos de trabalho. Uma maior harmonização ao nível da legislação e a redução ou mesmo eliminação de muitas barreiras tarifárias e alfandegárias terá efeitos muito positivos, que se estenderão a toda a uma série de atividades económicas.

Considera o setor que a eliminação de tarifas e conseguir uma maior convergência ao nível da regulação vai permitir uma muito maior escolha por parte do consumidor, custos mais baixos e ainda aumentar a competitividade dos construtores automóveis dos dois lados do Atlântico. De notar que as mais importantes associações automóveis americanas e europeias estão disponíveis para prestarem todo o apoio necessário a este projeto, para já ainda num plano político, mas que começa a ganhar contornos muito interessantes. Até porque se trata de um acordo que vai beneficiar os consumidores, ao mesmo tempo que abre novas oportunidades de negócio e permite impulsionar o crescimento global. O setor automóvel é extremamente penalizado no comércio internacional, face à forte carga tributária que recai sobre o mesmo.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.