Skip to main content

AFIA promove aproximação entre Portugal e a Galiza

Estreitar as relações entre Portugal e Galiza e melhorar o entendimento do setor, levou a AFIA a promover uma série de encontros com a PSA Vigo, o CTAG e o CEAGA

in AFIA, 25-02-2015

https://afia.pt/uploadfiles/201502/20150220123000fe.JPG

(fila de trás da esquerda para a direita) Alberto Cominges (CEAGA), Hamid Mezaïb (PSA Mangualde), Yann Martin (PSA Vigo), Tomás Moreira (AFIA), Adolfo Silva (AFIA)
(fila de frente da esquerda para a direita) Patricia Solá (CEAGA), Joana Peixoto (AICEP), José Luciano Martinez Covelo (CEAGA), Philòmene Dias (AICEP), Maria José Táboas (PSA VIGO), Filipe Villas-Boas (AFIA), Jorge Castro (AFIA), Adão Ferreira (AFIA)

 

No âmbito do seu trabalho de promoção internacional, a AFIA – Associação de Fabricantes para a Indústria Automóvel, acompanhada pela AICEP, deslocou-se recentemente à Galiza para a realização de uma série de encontros com representantes de algumas das mais relevantes entidades do setor: da PSA-Vigo, do CTAG – Centro Tecnológico de Automoción de Galicia e da Fundación CEAGA – Cluster de Empresas de Automoción de Galicia.

As reuniões contaram com a presença dos mais altos quadros de cada uma das entidades e visam reforçar o entendimento da realidade do setor automóvel na Galiza e em Portugal, para que daí possam resultar novas e proveitosas sinergias.

Para além da aproximação de Portugal à Galiza, a AFIA seguiu nesta viagem com o objetivo de criar sinergias reais para que mais empresas portuguesas conheçam e possam usufruir dos serviços prestados por cada uma das entidades.

No rescaldo destes encontros, Tomás Moreira, presidente da AFIA reforça que «é urgente fortalecer os laços de cooperação já existentes entre Portugal e a Galiza e aprender com esta troca de experiências entre entidades de referência na Europa, como as que que acabamos de visitar». Tomás Moreira acredita ainda que estas visitas irão resultar em novas oportunidades para as empresas portuguesas do setor automóvel.

A visita à Fábrica PSA Peugeot Citroën foi um dos momentos chave desta ação. O objetivo da AFIA ao visitar a PSA Vigo foi mostrar o potencial e competitividade dos fornecedores portugueses, de forma a aumentar a percentagem de fornecimentos a está fábrica para os próximos modelos. Com um registo atual de 7% dos seus fornecimentos a partir de Portugal, a PSA reafirmou no entanto, o seu interesse estratégico em reforçar o volume de compras em Portugal, nomeadamente no que se refere ao seu projeto designado por K9. Para Yann Martin, Director da Fábrica de Vigo «comprar em Portugal faz claramente parte das nossas prioridades».

Cuidadosamente preparada, esta visita passou ainda pelo CTAG – Centro Tecnológico de Automoción de Galicia pelas suas competências em áreas tão distintas como a engenharia de processo, engenharia mecânica, novos materiais, segurança ativa e passiva, eletrónica e sistemas inteligentes de transportes. Através desta visita, a AFIA aposta que as empresas portuguesas possam assim, conhecer e recorrer a estes serviços sempre que precisem.

Na base do encontro com a Fundación CEAGA – Cluster de Empresas de Automoción de Galicia, esteve a reestruturação do Cluster português das indústrias de mobilidade, com troca de experiências e promoção de competitividade e inovação. Note-se que o CEAGA, foi constituído em 1997 e é composto por mais de 100 empresas, sendo um dos clusters espanhóis com mais experiência na promoção da competitividade dos seus associados, possuindo, inclusive, o Gold Label de nível de excelência.

Este foi mais um passo no trabalho da AFIA para melhorar o entendimento da realidade do setor automóvel na Galiza e em Portugal, fortalecendo os laços de cooperação e facilitando a criação de sinergias.


Sobre a AFIA

A AFIA – Associação de Fabricantes para a Indústria Automóvel é a associação portuguesa que congrega e representa, nacional e internacionalmente, os fornecedores de componentes para a indústria automóvel. Esta indústria agrega cerca de 200 empresas com sede ou laboração em Portugal, com um volume de emprego direto na ordem das 41.000 pessoas. Fatura 7,5 mil milhões de Euros por ano, com uma quota de exportação de 83%.

Em termos de importância na economia nacional, em 2014 representou 4,1% do PIB, 12% das exportações nacionais de bens e 5,6% do emprego da indústria transformadora.


 

Comunicado de imprensa – ficheiro pdf

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.