Skip to main content

10 maiores exportadoras geraram um quinto das exportações em 2018

Existem mais de 45 mil empresas portuguesas que exportam. No entanto, as dez maiores – que representam 0,02% do universo total de exportadoras – geraram um quinto das exportações de bens registadas por Portugal no ano passado. Os dados foram fornecidos pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) a pedido do Negócios.

in Negócios, por Tiago Varzim, 23-02-2019


O peso das maiores exportadoras tem-se mantido estável ao longo das últimas três décadas (ver gráfico). O valor mais baixo foi registado em 2009 (17,4%) e o mais elevado em 2006 (22,5%). Estes dados para 2018 referem-se apenas a bens (não incluem as empresas de serviços) e são preliminares, pelo que podem vir a ser atualizados.

Segundo o INE, isto evidencia “uma significativa concentração do valor transacionado num número reduzido de empresas”. A conclusão consta do destaque de 2015, o último em que analisa o comércio internacional por caraterísticas das empresas. A exposição fica mais a nu quando se analisa as cinco maiores exportadoras: nesse ano respondiam por 15% das exportações de bens.

 

Em termos nominais, um peso de 21,3% em 2018 significa que dos 57,9 mil milhões de euros exportados em bens pelas empresas portuguesas, 12,3 mil milhões de euros são da responsabilidade das 10 principais exportadoras. Não é possível saber os valores nem os pesos concretos de cada uma dessas empresas, mas as próprias revelam alguns dos números.

O ranking é liderado pela Petrogal (universo da Galp), que exporta petróleo refinado, há 11 anos consecutivos. Tendo como base informação de anos anteriores, é possível concluir que a Galp é de longe a empresa que mais exporta, sendo que o valor anual poderá ser superior a quatro mil milhões de euros.

Segue-se a Autoeuropa, que liderou o top entre 2000 e 2005, que registou um recorde de produção em 2018 (a maior parte é exportada). Segundo a empresa, em 2016, as vendas da Autoeuropa ascenderam aos 1,5 mil milhões de euros.

Em terceiro lugar está a Navigator. No caso da papeleira, o relatório e contas de 2017 dava conta de exportações de 1,3 mil milhões de euros, o que “corresponde a 2,4% das exportações nacionais de bens”.

 

Exportações travaram, mas sobem. Setor automóvel domina


As exportações portuguesas continuaram a aumentar em 2018, apesar de terem travado. Depois de crescerem 10% em 2017, as vendas ao exterior subiram 5,3% no ano passado.

O ano passado foi marcado pelo bom desempenho exportador do setor automóvel, que também continua a dominar o ranking das empresas que mais exportam. Se incluirmos os combustíveis, sete das 10 maiores exportadoras estavam ligadas a esse setor em 2018.

A evolução da estrutura das exportações nos últimos 10 anos e o ranking das maiores exportadoras está relacionada. No caso da estrutura das exportações, tal como noticiado pelo Negócios, a venda de carros ao exterior ganhou protagonismo, assim como os produtos petrolíferos refinados.

No caso do top 10, este já era dominado pelo setor automóvel em 2008. As exceções eram a Navigator, a Somincor – extração e preparação de outros minérios metálicos não ferrosos – e a Repsol Polímeros. Mesmo comparando com 2000, a estrutura já era semelhante.

 

 

Clique aqui para ver a lista do TOP 10

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.